quarta-feira, 1 de abril de 2015

Cientistas chineses conseguem desenvolver máquinas de metal líquido


Máquinas de metal líquido, capazes de mudar de forma e movimentar-se num determinado espaço, foram desenvolvidas por cientistas da Academia Chinesa de Ciências e a Universidade de Tsinghua, em Pequim, informou a imprensa oficial do país asiático.

Os especialistas, citados pela agência oficial Xinhua, explicaram que estas máquinas podem adaptar a sua forma ao espaço geométrico no qual se encontram, movidas por um campo eléctrico endógeno baseado em ligas de metais líquidas, metais próximos que a máquina pode absorver e o hidrogénio gerado por reacções electroquímicas.

A escola médica da Universidade de Tsinghua e o Instituto Técnico de Física e Química da Academia Chinesa de Ciências trabalham no desenvolvimento destas máquinas.

Os cientistas chineses definiram estas máquinas como «moluscos biomiméticos» que poderiam servir para um desenvolvimento futuro de robôs fabricados em metal líquido e transformável, algo que até agora só existe na ficção científica (por exemplo, o famoso T-1000 do filme «Exterminador do Futuro 2»).

Como exemplo do novo avanço, os especialistas chineses mostraram uma peça de alumínio que, colocada junto a uma das máquinas desenvolvidas, é absorvida e se transforma numa pequena bola de cinco milímetros de diâmetro.

Esta é depois capaz de movimentar-se de forma espontânea em distintas dissoluções durante mais de uma hora, a uma velocidade de cinco centímetros por segundo, equivalentes a cerca de 0,18 km/h.