quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Uma em cada cinco plantas está ameaçada


Biodiversidade Uma em cada cinco espécies vegetais em todo o mundo está ameaçada de desaparecimento e as actividades humanas são responsáveis, até 80%, pela extinção em curso, segundo um estudo científico publicado ontem em Londres.

A um mês da cimeira sobre a biodiversidade de Nagoya, no Japão, (entre 18 e 20 de outubro), os jardins botânicos reais de Kew, o museu de história natural britânica e a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) publicaram a primeira avaliação das espécies vegetais ameaçadas.

O estudo, que durou cinco anos, examinou uma amostra representativa das 380 mil espécies de plantas conhecidas em todo o mundo.

Dos vegetais estudados, representando todas as grandes famílias de plantas (dos legumes às coníferas passando pelas orquídeas), 22% estão classificados como "ameaçados", 4 % estão em "perigo crítico", 7% em perigo" e 11 por cento são "vulneráveis".

Em relação a 33% das espécies não há informação suficiente, consideram os investigadores.

Baleias-azuis vistas em Los Angeles


Baleia-Azul

Um grupo de baleias-azuis foi visto muito próximo das praias de Los Angeles, Califórnia.

Este é o maior animal vivo actualmente no planeta e alimenta-se de krill - um pequeno crustáceo semelhante ao camarão - normalmente encontrado nas águas geladas do Ártico. Porém, um fenómeno climático conhecido como La Niña causou o arrefecimento da superfície do Oceano Pacífico, atraindo os crustáceos para o litoral californiano e, atrás deles, as baleias.

Os donos de barcos de passeio levaram pessoas até perto dos animais. Os biólogos criticaram a acção, que submete os cetáceos a um grande stress.

Em todo o mundo, existem apenas cerca de 10 mil baleias-azuis, ameaçadas pela caça e pela destruição dos habitats, o que faz do acontecimento em Los Angeles uma oportunidade única de ver estes animais ao vivo.


fonte: Jornal i

Bebé nasce três semanas após a morte da mãe


Há mais de três semanas que Edil, de 28 anos, morreu no Hospital de Santa Ana, em Turim, Itália. Exactamente 22 dias após a morte, a jovem deu à luz uma menina, com apenas 800 gramas mas que se encontra de boa saúde.

Edil, a mãe, esteve três semanas ligada a uma máquina, foi alimentada por uma sonda e recebeu injecções para controlar a pressão sanguínea. Os médicos continuaram a tratar de Edil como quando era viva, pela simples razão de que dentro dela ainda havia uma vida. Quando a jovem morreu o feto encontrava-se no sexto mês de gestação.

Para além desta bebé, a jovem da Somália tinha ainda outros cinco filhos e há muito tempo que se encontrava em estado muito grave. Foi a conselho do cunhado, que reside em Turim, que se mudou para a cidade do norte da Itália à procura de ajuda médica. Com a poucas forças que ainda tinha, Edil viajou para o Centro Traumatológico de Turim.

Quando chegou àqueles cuidados médicos, Edil estava praticamente cega devido ao tumor alojado no cérebro. Depois de submetida a uma intervenção cirúrgica, recuperou alguma visão mas os médicos não puderam fazer muito mais. A 6 de Setembro, entrou num coma irreversível, que parou por completo toda a sua actividade cerebral.

Edil foi então transferida para o centro de reanimação do Hospital de Santa Ana, onde os médicos confirmaram a sua morte cerebral. Mas antes de confirmarem oficialmente a morte da jovem e de desligarem a máquina, fizeram uma ressonância magnética para ver em que condições se encontrava o feto.

“Considerando o avançado estado da gestação e a possibilidade real de fazer vir ao mundo a bebé, decidimos fazer esse exame e o resultado mostrou que o feto não tinha sofrido danos e que podia viver”, disse Evelina Gollo , responsável do departamento de reanimação do Hospital de Santa Ana.

O problema é que o feto era demasiado pequeno para provocar o seu nascimento. Os médicos decidiram continuar com o tratamento de Edil, mantendo os sinais vitais de maneira artificial, sabendo que não iriam salvar a mãe, mas que poderiam vir a salvar a filha. Após as 28 semanas de gestação, os médicos fizeram uma nova ressonância magnética e comprovaram que o feto estava acrescer bem apesar de ter um peso baixo, decidiram esperar que se desenvolvesse mais para a fazer nascer.

O estado de Edil, mantida viva de forma artificial, começou a deteriorar-se e os médicos temeram pela vida do bebé. Decidiram intervir e realizar a cesariana que traria ao mundo a bebé, com 800 gramas. A menina vai ter o nome da sua mãe, Edil.

Após o parto, os médicos desligaram as máquinas que mantinham a vida artificial de Edil, a mãe que deu à luz três semanas depois de ter morrido.

fonte: JN

Cientistas descobrem planeta habitável a 20 anos-luz de distância


O Glieseg 581g encontra-se a 20 anos-luz da Terra

Planetas rochosos, parecidos com a Terra, já foram descobertos. Mas este, a 20 anos-luz de distância de nós, é o primeiro que parece ser habitável, dizem cientistas norte-americanos.

O Gliese 581g é um dos seis planetas do sistema em torno da estrela Gliese 581 (uma anã vermelha, que fica na Constelação da Libra), tem uma massa três vezes superior à da Terra e parece ser rochoso. Orbita a sua estrela a uma distância que o coloca dentro da chamada “zona habitável”, onde a água poderá existir em estado líquido à superfície do planeta. E tem um diâmetro 1,2 a 1,4 vezes superior ao da Terra, portanto terá gravidade suficiente para conseguir reter a sua atmosfera.

A descoberta, que resulta de 11 anos de observações, foi feita por cientistas da Universidade da Califórnia, Santa Cruz, e do Instituto Carnegie, em Washington. Foi anunciada esta madrugada em comunicado de imprensa, e colocada online, no site de publicação de artigos de investigação da área da física arXiv.org, mas será também publicada na revista científica “Astrophysical Journal”.

Para os astrofísicos, um planeta “potencialmente habitável” é aquele que pode sustentar vida – não necessariamente um que os humanos considerem bom para se viver. Este fica bem no meio da zona habitável do sistema solar – onde não fica demasiado quente nem demasiado frio, onde pode haver rios e oceanos à superfície.

Mas um ano em Gliese 581g dura apenas 37 dias – é este o tempo que leva a completar uma volta à sua estrela. E mostra sempre a mesma cara à estrela, como a Lua faz com a Terra. Assim, no lado do planeta virado para o Sol é sempre dia e no que fica na obscuridade – a noite é eterna.

As temperaturas à superfície oscilam, por isso, entre o calor escaldante e o frio de enregelar – mas a temperatura média é negativa: -31 a -12 graus Célsius, diz um comunicado de imprensa da Universidade da Califórnia em Santa Cruz. Mas, como terá atmosfera, poderá ter um efeito de estufa capaz de harmonizar melhor as condições na superfície.

No entanto, o local mais confortável do planeta seria a zona de transição entre a obscuridade e a luz, onde as temperaturas seriam mais amenas, dizem os cientistas. Mas o facto de o planeta estar dividido em duas zonas claramente definidas e estáveis pode ser uma vantagem para que surja a vida.“Quaisquer formas de vida que surgissem no planeta teriam uma grande variedade de climas estáveis para evoluir, dependendo da longitude em que se encontrassem”, comentou Steven Vogt, um dos coordenadores da equipa.

Talvez o mais interessante desta descoberta é o que traz em termos de implicações sobre a probabilidade de as estrelas terem pelo menos um planeta habitável na sua órbita. Dado o número relativamente pequeno de estrelas monitorizado pelos astrónomos caçadores de planetas, esta descoberta aconteceu relativamente depressa: se os planetas habitáveis são raros, diz Vogt, “não devíamos ter achado um tão depressa, e tão perto de nós.”

A conclusão dele é optimista: “O número de sistemas solares com planetas potencialmente habitáveis é, provavelmente, da ordem dos 10 ou 20 por cento. Quando se multiplica isto pelas centenas de milhares de milhões de estrelas da Via Láctea, obtemos um número gigantesco. Pode haver dezenas de milhares de milhões de sistemas solares com planetas habitáveis na nossa galáxia.”

fonte: Público

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

"Erro" de sonda da Nasa cria "fusão" de Sol e Júpiter


Imagem registada pela sonda mostra o Sol com listras como a de Júpiter

A sombra da Terra numa imagem do Sol acabou por deixar a estrela bastante semelhante a Júpiter, criando uma figura curiosa obtida pela sonda SDO da Nasa - a agência espacial americana.

"Agora sabemos como seria se Júpiter e o Sol tivessem um filho", brinca o engenheiro Ralph Seguin do laboratório Lockheed-Martin Solar and Astrophysics num comentário no site Spaceweather.com.

A SDO está em uma órbita sincronizada com a terrestre, acima de uma estação de pesquisas perto de La Cruces, no Novo México, transmitindo dados sobre o Sol. Geralmente, essa posição dá à SDO uma visão da estrela, porém, em épocas próximas aos equinócios da primavera e do outono, a Terra atrapalha tudo. Uma vez por dia, por cerca de uma hora, a espaçonave, a Terra e o Sol alinham-se perfeitamente, e a SDO fica parcialmente cego.

A imagem do "Sunpiter" é uma composição de outras imagens vistas através de diversos filtros de cor e de um magnetograma em branco e preto, tiradas bem no momento em que o sol estava saindo do blackout, explica o site Wired. Os magnetogramas são representações visuais do campo magnético solar, compilados a partir de uma série de imagens de diversas épocas. As faixas de cores que deixaram o Sol com a cara de Júpiter apareceram em decorrência da sombra da Terra movendo-se na frente da estrela.

"Os erros podem ser bonitos, às vezes", defende a agência em sua conta do Twitter, a @NASA_SDO. A época dos eclipses se estende até dia 6 de Outubro, então, provavelmente, novas imagens curiosas surgirão durante a semana.

fonte: terra

Café australiano procura recorde com hambúrguer de 96 quilos

Apenas a carne pesava 81 quilos e levou 12 horas a ser cozida. Também foram usados 120 ovos, 150 fatias de queijo e 2,5 kg de tomates.

Com o objetivo de entrar para o Guinness, livro dos recordes, um café em Sydney, na Austrália, preparou um hambúrguer de 96 quilos. Apenas a carne pesava 81 quilos e levou 12 horas a ser cozida, segundo reportagem do jornal inglês "Metro".


Café bateu recorde com hambúrguer de 96 quilos

De acordo com o periódico, o hambúrguer preparado pelos funcionários do café, que superou a marca anterior de 84 quilos, que tinha sido estabelecida em Michigan, nos Estados Unidos.

Além da carne, foram usados 120 ovos, 150 fatias de queijo, 1,5 kg de beterraba, 2,5 kg de tomates e quase 2 kg de alface para preparar o hambúrguer gigante.

fonte: G1

Espécies de mamíferos consideradas extintas são redescobertas


Wallaby

Estudo da Universidade de Queensland, Austrália, aponta que animais antes considerados extintos foram redescobertos, e que os esforços para conservação focam geralmente em animais que nunca mais serão encontrados. As informações são do site da Discovery News.

Os cientistas Diana Fisher e Simon Blomberg, ambos da universidade, examinaram 187 espécies de mamíferos que se pensava estarem extintas desde 1500, e descobriram que 67 delas foram redescobertas desde então.

Segundo Blomberg, em entrevista ao site, os mamíferos que tiveram seus habitats naturais destruídos são os mais fáceis de serem reencontrados. Já os mais difíceis são os mortos por predadores, doenças ou caça humana.

Fisher disse ao site que não é tarde para encontrar várias espécies em algum lugar em que elas possam estar vivas. "Elas podem não esperar para sempre para serem encontradas e protegidas, por isso o foco de conservação deve mudar para mamíferos com mais chances de estarem vivos", falou. Segundo ela, o tigre da Tasmânia é um exemplo de espécie que dificilmente será encontrada novamente.

A Austrália é um dos países com maiores níveis de extinção de mamíferos. Porém, segundo os investigadores, a população local não está alertada sobre quais animais correm risco de extinção e não conhecem os animais que foram reencontrados.

fonte: Terra

Presidente do Peru pede que Yale devolva relíquias incas


Estatueta inca encontrada em escavação em Machu Picchu: governo peruano quer objectos de volta

Alan García afirmou que, se a universidade não devolver os objectos de Machu Picchu, será considerada uma saqueadora de tesouros.

O presidente peruano, Alan García, exigiu na segunda-feira que a Universidade de Yale devolva tesouros arqueológicos que seus investigadores saquearam da região de Machu Picchu no início dos anos 1900.

O Peru diz que a universidade levou cerca de 40 mil objectos, incluindo cerâmicas, jóias e ossos do local nos Andes peruanos.

"Ou chegamos a um entendimento sobre... Machu Picchu, ou simplesmente teremos que chamá-los de saqueadores de tesouros", disse García, referindo-se à Universidade de Yale.

Os artefactos foram enviados para fora do Peru depois que um graduado de Yale, o explorador norte-americano Hiram Bingham, redescobriu Machu Picchu em 1911. O país argumenta que os objectos foram emprestados à universidade por 18 meses mas nunca foram devolvidos.

"Agora é a hora para começar a embalar as coisas e enviá-las de volta junto com a pesquisa... O silêncio indicaria que são culpados do roubo", disse García.

Na época da descoberta de Bingham, a antiga cidade, hoje um ponto turístico, estava esquecida, coberta de densas florestas nas montanhas, a cerca de 2.400 metros de altitude.

O Peru tem centenas de sítios arqueológicos espalhados pelo país e vem enfrentando dificuldades há anos para combater o tráfico de fósseis e artefactos.


Investigadores registam baleia de 11 metros sendo devorada por 30 tubarões

Ação dos tubarões foi acompanhada por cientistas de ONG ambientalista na costa da África do Sul

Mais de 30 tubarões foram vistos comendo uma baleia de quase 11 metros nas águas da Cidade do Cabo, na África do Sul. A baleia foi encontrada já morta por investigadores, que decidiram deixá-la próxima de uma conhecida zona de alimentação de tubarões brancos, chamada Seal Island.


Detalhes da alimentação dos tubarões brancos foram registadas pela ONG Save Our Seas

Ao ser encontrada pelos tubarões, a baleia foi dilacerada durante uma semana, até ser reduzida a ossos e músculo. Segundo o blog da ONG Save Our Seas, que documentou o processo, os tubarões faziam mordidas "testes" para selecionar o que queriam comer, rejeitando músculos e priorizando gordura.

De acordo com a ONG, isso pode ajudar a explicar por que mais de 75% dos ataques em humanos consistem em uma única mordida e depois a libertação do corpo.


Investigadores conseguiram observar de perto o hábito de alimentação dos tubarões


Carcaça da baleia é cercada pelos tubarões

A investigadora Alison Kock, da ONG Save Our Seas, explicou que os cientistas observaram que os tubarões maiores, de cerca de 4 metros, tiveram prioridade na hora de escolher as áreas que seriam comidas. "Nos dois primeiros dias de "banquete", os tubarões menores ficavam ao redor e só comiam os restos", afirmou.


Luas de saturno formam "boneco de neve" em imagem de sonda


Luas de Saturno formam "boneco de neve" em ilusão de óptica

Imagem captada pela sonda Cassini, da Nasa - a agência espacial americana -, mostra duas luas de Saturno aparentemente formando um boneco de neve. A lua Dione, a de cima na imagem, está, na verdade, mais próxima da sonda.

Porém, graças ao reflexo e à localização de uma grande cratera na superfície sul da lua Dione, ela aparentemente está ligada à lua Rhea. As luas, na verdade, estão aproximadamente 500 mil km distantes.

fonte: terra

Nasa divulga nova imagem de nebulosa "ícone"


Nebulosa foi criada por uma explosão estelar - fenómeno conhecido como supernova

A Nasa - a agência espacial americana - divulgou uma nova imagem da nebulosa Caranguejo, na constelação de Touro, um verdadeiro "ícone cósmico", como chama a própria agência.

O mosaico utiliza observações de três de seus principais telescópios - o Chandra (raios-X, em azul), Huble (óptico, em vermelho e amarelo) e o Spitzer (infravermelho, em roxo). A nebulosa foi criada por uma gigantesca explosão de uma estrela vista na Terra no ano de 1054.

No cento da nebulosa pode ser encontrado um objecto com superdensidade conhecido como estrela de neutrões. Segundo a Nasa, essas estrelas são consideradas "geradores" cósmicos, produzindo 100 mil vezes mais energia que o Sol.

Ainda de acordo com a agência, a nebulosa Caranguejo é um dos objectos mais estudados pelos astrónomos, somente o Chandra a registou repetidamente ao longo desde sua fundação, o que a torna um dos "ícones cósmicos".

fonte: terra

Perna controlada por botões dá movimento a deficiente físico


O arquiteto Takanori Kato participa dos testes há três anos e já consegue andar 500 metros

O médico japonês Eiichi Saito afirma que o primeiro par de pernas robóticas capaz de fazer pessoas paralisadas da cintura para baixo voltarem a andar deve ficar pronto em Dezembro. A fase de testes do equipamento está sendo concluída. Com ele, deficientes físicos podem andar com as pernas mecânicas, controlando os movimentos por meio de botões.

As pernas têm seis motores: nos tornozelos, nos joelhos e na cintura. Depois de acopladas ao corpo, o utilizador pode escolher o tamanho da passada e a velocidade.

Saito trabalha na máquina há dez anos. O mais difícil, segundo ele, foi obter o equilíbrio, de forma que a pessoa pudesse andar sem tropeçar. Para resolver o problema, Saito trabalhou com uma empresa de autopeças.

O arquiteto Takanori Kato participa dos testes há três anos. Paralisado da cintura para baixo por causa de um acidente de snowboard, Kato já consegue andar 500 m.

A expectativa da equipe é começar a alugar o equipamento para hospitais do Japão dentro de um ano. O protótipo permitirá, inclusive, a realização de movimentos complexos como subir e descer escadas.

fonte: terra

Asteroide "perigoso" passará próximo da Terra em Outubro


Imagens de 16 de Setembro mostram asteroide movendo-se, em fundo de estrelas e galáxias

O Telescópio Pan-STARRS (Panoramic Survey Telescope & Rapid Response System, em inglês) descobriu asteroide que passará a 6 milhões de km da Terra no meio do mês de Outubro. O objecto possui cerca de 45 metros de diâmetro e foi encontrado quando estava cerca de 32 milhões de km mais distante. As informações são do site Science Daily.

É o primeiro asteroide que pode trazer algum perigo à Terra a ser descoberto pelo telescópio. O objecto foi chamado de 2010 ST3. "Esse asteroide não irá atingir a Terra num futuro imediato, mas a descoberta mostra que o Pan-STARRS é um óptimo sistema para detectar potenciais asteroides perigosos", disse ao site Robert Jedicke, da Universidade do Havaí, Estados Unidos, que está trabalhando com os dados do asteróide. "O asteroide estava muito longe para ser detectado por outros sistemas", completou Jedicke.

A expectativa é de que o Pan-STARRS encontre dezenas de milhares de novos asteroides todo ano com precisão suficiente para calcular suas órbitas ao redor do sol. Qualquer objecto de tamanho considerável e que pareça vir próximo à Terra nos próximos 50 anos será considerado potencialmente perigoso e monitorado cuidadosamente. Especialistas da Nasa acreditam que, com alguns anos de cuidado, será possível organizar uma missão espacial para combater qualquer asteroide descoberto que esteja em rota de colisão com a Terra.

O Telescópio Pan-STARRS é mantido por diversas instituições internacionais.

fonte: terra

Escavações romanas de Óbidos paradas há quatro anos por falta de financiamento


Eburobrittium


Eburobrittium

Associação Nacional de Farmácias financiou trabalhos, mas cortou apoios e alega que as farmácias estão sem dinheiro desde que o Governo mexeu nas leis.

Os trabalhos arqueológicos na cidade romana de Eburobrittium que se realizavam todos os verões, estão parados desde 2006, porque caducou um protocolo entre a Câmara de Óbidos e a Associação Nacional de Farmácias (ANF) ao abrigo do qual esta última - que também é proprietária do terreno - financiava o projecto.

As polémicas legislativas que têm envolvido o sector das farmácias levaram a que a ANF se tornasse menos generosa, como reconhece o seu secretário-geral, Paulo Duarte. "Deixámos de ter condições para manter isso. Antes olhávamos para estas questões culturais de uma forma diferente. O dia-a-dia das farmácias era mais estável, mas, com esta revolução que houve no sector, tivemos de deixar de nos dedicar a estas coisas", disse, em alusão à guerra entre o Governo e a ANF. A associação diz-se, porém, disponível para continuar a ceder o seu terreno, a fim de nele prosseguirem as escavações.

Em 2001, quando foi assinado um protocolo entre a ANF e o município de Óbidos, então presidido pelo socialista Pereira Júnior, a primeira prometia financiar as escavações com 2500 contos por ano (cerca de 12.500 euros) e a autarquia respondia por toda a parte logística do projecto. Mas o protocolo caducou há quatro anos.

Há duas semanas, a câmara, agora liderado por Telmo Faria (PSD), reuniu com a ANF e o arqueólogo Beleza Moreira, responsável científico das escavações, para tentar relançar os trabalhos, na qual ficou decidido procurar também o apoio do Igespar e da Direcção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo. "Continuamos sem escavações, não podemos ir à descoberta de parte da cidade, que é uma coisa que tem impacto em termos culturais e turísticos", queixa-se o arqueólogo Beleza Moreira.

Onde fica Eburobrittium?

Eburobrittium é uma cidade romana referenciada por Plínio-o-Velho, escritor romano do século I, entre Leiria (Collipo) e Lisboa (Olisipo) e que foi descoberta em 1994 durante a construção da A8. No ano seguinte descobriu-se o Fórum e parte das termas, mas o que está à vista é apenas uma pequena parte da cidade. "Todos os anos tínhamos conseguido tirar partes da cidade a descoberto, mas sem as escavações não é possível", acrescenta.

A ANF possui terrenos em Óbidos porque pretende ali construir a Casa do Farmacêutico, um empreendimento originalmente pensado com funções sociais, destinado aos associados seniores, mas que foi entretanto reavaliado para conter também uma vertente turística. A ideia é juntar uma casa de repouso, um estabelecimento hoteleiro, picadeiro, campo de golfe e também piscinas e spa, tendo em conta as águas termais que dali brotam (e que terão sido bem aproveitadas pelos romanos de Eburobrittium, segundo os vestígios de umas termas ali encontrados).

"Não estamos propriamente a avançar, porque, à luz da política de medicamentos deste Governo, suspendemos o projecto", explica Paulo Duarte. A associação procura agora um parceiro da área da saúde ou da hotelaria para ajudar a abrir o empreendimento ao exterior e dinamizar a componente do golfe, termas e turismo rural.

fonte: Público

Sonda Cassini regista eclipse em Saturno


A imagem mostra eclipse da lua Mimas em Saturno

Nasa - agência espacial americana - divulgou nesta quarta-feira imagem de um ponto escuro em Saturno capturada pela sonda Cassini. A imagem mostra sombra formada pela lua Mimas, que não aparece na imagem, eclipsando o planeta.

A sonda registou a imagem pelo norte de Saturno, com a sombra da lua acima dos anéis do planeta. Ela estava a 2,5 milhões de km de Saturno e registou a imagem próximo à luz infravermelha.

fonte: terra

Um quinto das plantas do planeta está ameaçado de extinção


É nos trópicos que se concentra a maioria das espécies ameaçadas

Uma em cada cinco espécies de plantas no planeta está ameaçada de extinção, a maioria nas regiões tropicais, revela hoje um estudo científico internacional que atribui as maiores responsabilidades às intervenções humanas no meio.

A destruição da floresta em Madagáscar está a empurrar para a extinção a pequena palmeira Dypsis brevicaulis. Estima-se que a população mundial esteja agora reduzida a 50 plantas em três locais. Mas não é caso único.

O grupo mais ameaçado é o das Gimnospérmicas, onde se incluem os pinheiros e as araucárias e o habitat que, de momento, mais preocupa é a floresta tropical. E é nos trópicos que se concentra a maioria das espécies ameaçadas.

Para chegar a estas conclusões, os investigadores dos Kew Gardens, do Museu de História Natural de Londres e da UICN (União Mundial de Conservação da Natureza) estudaram uma amostra de 7000 espécies – dos principais grupos de plantas, como os Briófitos, Pteridófitos, Gimnospérmicas e Angiospérmicas -, representativas das 380 mil conhecidas actualmente. Do trabalho resultou o primeiro estudo à dimensão da ameaça ao mundo vegetal.

“Pela primeira vez temos uma ideia clara do risco de extinção das plantas conhecidas no mundo. Este relatório mostra que as mais urgentes ameaças e regiões em maior perigo”, comentou Stephen Hopper, director dos Kew Gardens.

E os resultados não surpreenderam ninguém. “O estudo confirma aquilo que já suspeitávamos, ou seja, que as plantas estão ameaçadas e que a principal causa é a perda de habitat induzida pelo ser humano”, acrescentou o responsável. O relatório refere, especificamente, a conversão de habitats em solos agrícolas e para pastagens. No Sudeste asiático, as plantações de óleo de palma estão a causar um “efeito devastador nas florestas tropicais nativas”, ameaçando “muitas espécies de plantas”. Já na Austrália, ecossistemas inteiros estão a entrar em colapso devido à infestação do fungo Phytophthora cinnamomi que causa o apodrecimento das raízes. E se os Estados Unidos, Europa e Ásia não têm espécies muito ameaçadas, os autores alertam para a crescente expansão e intensificação de práticas agrícolas e desenvolvimento urbano.

Relatório será levado à cimeira de Nagoya

A partir de aqui, este relatório faz caminho até à Cimeira da ONU dedicada à Biodiversidade, em meados de Outubro em Nagoya, Japão. “A meta para a biodiversidade em 2020 que será discutida em Nagoya é ambiciosa. Mas numa altura em que aumenta a perda da biodiversidade, é inteiramente apropriado intensificar os nossos esforços”, considerou Hopper. “As plantas são a fundação da biodiversidade e o seu significado em tempos climáticos, económicos e políticos incertos tem sido descurado há muito tempo”.

“Todo o nosso esforço terá merecido a pena se os líderes mundiais tomarem medidas significativas para reduzir o actual ritmo de perda da biodiversidade”, disse Neil Brummitt, responsável pelo projecto no Museu de História Natural de Londres.

Os responsáveis adiantam que este projecto vai ser revisto periodicamente, para “monitorizar o destino das plantas”, mostrando onde e que tipo de acção é necessária. Ainda assim, esta não será uma missão fácil. Avaliar a ameaça às plantas (com 380 mil espécies estimadas) é mais complicado do que fazer o mesmo em relação às aves (9998 espécies), mamíferos (quatro mil) ou anfíbios (6433). 

fonte: Público

Abutre-preto encontrado na A29, em Gaia


Um abutre-preto, espécie que já não nidifica em Portugal desde os anos 70 do século passado, foi encontrado na autoestrada A29, em Gaia, muito débil, disse à agência Lusa o director do Parque Biológico de Gaia.


Nuno Gomes Oliveira referiu que a ave "foi apanhada à mão, sem dificuldade", e está a ser tratada na enfermaria do parque, devendo ser libertada no Alentejo "dentro de uma semana ou duas, no máximo".

"Foi alguém que a viu na A29 e avisou a GNR. É uma ave juvenil, talvez com alguns meses. Veio por aí fora e perdeu-se", disse Nuno Oliveira, afirmando que a recuperação do abutre será feita, fundamentalmente, com alimentação e algum exercício físico.

O director do parque realçou que o abutre tem de ser libertado o quanto antes, para que não se habitue ao homem e volte a procurar alimento por si próprio.

"É a primeira vez que há uma referência de abutre-preto nesta região", salientou Nuno Oliveira, explicando que esta espécie já só cria em Espanha, junto à fronteira com o Alentejo, onde frequentemente são vistos alguns exemplares.

O abutre-preto é a maior ave de rapina da Europa, sendo considerada uma espécie "criticamente em perigo" em Portugal


Mulheres obrigadas a urinar de pé


As estudantes da Universidade de Shanxi, na China, tiveram uma surpresa ao regressar de férias: em vez das sanitas nas casas de banho, depararam-se com... urinóis. A direcção da universidade decidiu instalar urinóis femininos porque chegou à conclusão de que, se as mulheres urinarem de pé gastam menos 160 toneladas de água por dia. Para que não haja dúvidas, foram colados nas paredes dos W.C. cartazes a explicar como usar os novos urinóis.


Australianas batem recorde mundial de estafeta em saltos altos


Saltos de sete centímetros não impediram bons resultados

Quatro jovens australianas bateram na terça-feira o recorde mundial de estafeta em saltos altos ao percorrerem 263 pés (80 metros), num a pista junto ao edifício da Ópera de Sydney, em apenas 64 segundos. 


A proeza atlética, imediatamente homologada por um representante do 'Livro dos Recordes do Guinness', implicou que várias equipas - incluindo as vencedoras 'Pinkettes', que receberam um cheque de dez mil dólares australianos (7120 euros) - conciliassem equipamento de corrida com 'stilettos' de 7,5 centímetros.


A iniciativa com fins beneméritos, cujas receitas reverteram para a pesquisa de uma cura para o cancro da mama, foi patrocinada por uma marca de lâminas e cremes depilatórios. Por isso mesmo, o testemunho que as corredoras passaram entre si tinha a forma de uma lâmina sobredimensionada.






terça-feira, 28 de setembro de 2010

ONU tem embaixadora para comunicar com extraterrestres


A astrofísica, Mazlan Othman, vai ser designada em breve, embaixadora das Nações Unidas para o Universo e estará encarregue de coordenar a resposta da espécie humana no caso de existir uma tentativa de contacto de extraterrestres.

Este novo cargo surge depois de terem sido descobertos um grande número de planetas que orbitam estrelas, o que volta a abrir a hipótese de que os humanos possam a vir a ser contactados por vida extraterrestre inteligente.

O plano de converter a Delegação das Nações Unidas para o espaço Exterior (UNOOSA) num organismo de coordenação para encontros com extraterrestres será previamente debatido pelas várias comissões das Nações Unidas antes de ser enviada para a Assembleia Geral. “Quando (os extraterrestres) nos disserem ‘levem-me ao vosso lider’, Othman será o mais próximo que teremos,” disse o perito em direito espacial Richard Crowther.

Othman ocupa actualmente o cargo de directora da Delegação das Nações Unidas para o espaço Exterior e as responsabilidades do seu novo cargo vão ser reveladas numa conferência, em Inglaterra na próxima semana.

fonte: Jornal i

Google celebra 12 anos com pintura


Um singelo bolo de anos substituiu hoje o famoso logotipo do Google na sua página principal. O 'Doodle' (assim se chamam os logos comemorativos do Google) anuncia o 12.º aniversário do mais utilizado motor de busca da Internet.

A imagem representa uma pintura do artista americano Wayne Thiebaud - um artista nascido em 1920 famoso pelas suas pinturas de bolos, gelados e outros doces.

Aparentemente, esta será a data que a empresa adopta definitivamente para o seu aniversário. É que, segundo a revista especializada PC World, a marca Google.com foi registada a 15 de Setembro de 1997, ainda que o motor de busca só tenha entrado em funcionamento no dia 4 de Setembro de 1998.

Para aumentar a confusão das datas, a Google já celebrou o aniversário a 7 de Setembro por duas vezes: em 2003 e 2004. Depois disso, fixou-se no dia 27.

Para relembrar os últimos aniversários da Google, a PC World fez um apanhado dos 'Doodles' criados nos últimos oito anos. Pode vê-los AQUI.

fonte: DN

Pele de menina britânica desprende-se 14 vezes ao dia

Miúda de 5 anos de idade é portadora de anomalia genética rara.
Ictiose lamelar é doença crónica caracterizada por descamação.


Annabelle Whitehouse leva uma vida normal, embora tenha de passar cremes e trocar ligaduras com frequência

Annabelle Whitehouse, uma menina de 5 anos de idade, é portadora de uma doença genética rara que faz sua pele desprender 14 vezes ao dia. Por causa da anomalia, ela é obrigada a usar ligaduras permanentemente. A miúda, que vive no oeste da Inglaterra, foi diagnosticada com ictiose lamelar, uma dermatose (moléstia da pele) caracterizada pela formação de massas epidérmicas semelhantes a escamas de peixes.

A doença é crónica. Geralmente, a criança nasce como se estivesse envolta em uma membrana constritiva transparente que cobre todo corpo, chamada membrana colódia. Annabelle tem de se tratar com cremes especiais, aplicados em seu rosto e mãos – mais expostos ao ambiente – a cada 30 minutos. Ela também usa ligaduras, que são trocadas quatro vezes ao dia, informa o site do jornal britânico “Daily Mail”.

Annabelle passou por orientação psicológica e, segundo seus pais, tem levado uma vida relativamente normal – o que inclui aulas de ballet.

fonte: G1

Novas imagens das auroras de Saturno

A sonda espacial "Cassini" mostra novas imagens das auroras brilhantes do planeta Saturno. Um espectacular jogo de cor que dura apenas dois dias.


As imagens e os resultados preliminares da análise foram apresentados por Tom Stallard, cientista da sonda "Cassini", ontem, segunda-feira, no Congresso Europeu de Ciência Planetária, em Roma.

"As auroras de Saturno são muito complexas e só agora estamos a começar a compreender todos os factos envolvidos. Este estudo proporcionará uma visão mais ampla da grande variedade e das diferentes características da aurora que se podem ver e que nos permitirá entender melhor o que controla as mudanças da sua aparência", disse Tom Stallard.

A novas imagens, mostram a aurora de Saturno em verde brilhante, ao redor do pólo sul do planeta. A Missão Cassini-Huygens é um projecto de cooperação da NASA com a Agência Espacial Europeia e com a Agência Espacial Italiana.

fonte: JN

Laser para diagnóstico não invasivo


Futuro. O laser poderá dentro de cinco anos tornar-se uma tecnologia corrente no diagnóstico de doenças como o cancro da mama, os problemas dentários ou a osteoporose. A previsão foi feita pelo investigador norte-americano da universidade de Michigan Michael Morris e noticiada ontem pela BBC News on line.

O método de diagnóstico por laser, designado por espectroscopia Raman, está já a ser testado como instrumento de estudo dos ossos humanos, nomeadamente pela equipa de Michael Morris.

A espectroscopia Raman mede a intensidade e o comprimento de onda da luz disseminada pelas moléculas, fornecendo um padrão químico do que se está a estudar. "Quando há doenças, a composição química dos tecidos fica pouco ou muito alterada, dependendo dos problemas em causa", afirmou o investigador à BBC News.

fonte: DN

Revelado segredo da construção das pirâmides


Investigador norueguês defende que antigos egípcios já tinham conceitos de construção moderna há mais de quatro mil anos. Planos eram rigorosos com medidas muito precisas.

Intrigado pela precisão que os antigos egípcios mostraram na construção das suas monumentais pirâmides, o arquitecto norueguês e professor na Universidade de Ciência e Tecnologia de Trond- heim, na Noruega, Ole Bryn, decidiu investigar as técnicas que foram utilizadas pelos construtores de pirâmides do Egipto há mais de quatro mil anos. Agora o investigador avança uma nova hipótese para explicar o rigor que preside à sobreposição das pedras, desde a base até ao topo. Tratou-se sobretudo de boas contas no planeamento.

Avaliando várias questões, incluindo as do peso e do transporte de cada um dos enormes blocos que constituem aqueles monumentos funerários de reis, o arquitecto norueguês defende que o ponto essencial está na rigor dos planos e na técnica de construção. Segundo o investigador, que apresenta esta semana a sua teoria numa exposição, durante as comemorações do centenário da sua universidade, os antigos egípcios inventaram há mais de quatro mil anos a construção em grelha.

Ou seja, fizeram em separado o sistema de medição da estrutura e a construção do monumento no terreno. E esta separação de águas, afirma Ole Bryn, teria introduzido nas técnicas de construção, nessa época, o conceito de tolerância, que na gíria moderna desta actividade se refere à diferença aceitável (em termos de medidas) que existe entre o desenho prévio e a construção final.

Ole Bryn estudou os planos de 30 das antigas pirâmides egípcias e, de acordo com a Science Daily, conseguiu dessa forma decifrar o segredo da precisão da sua construção, que permitia aos construtores sobrepor as pedras de tal forma que atingiam o cume exactamente no ponto esperado.

A partir desta avaliação dos antigos planos das pirâmides, Ole Bryn desenvolveu depois uma forma de passar essa informação para a actual linguagem do desenho de arquitectura. E isso é possível para qualquer pirâmide de qualquer época, segundo a Science Daily.

Bastará para tanto conhecer as dimensões da pirâmide real, para poder traçar o seu "plano" no papel, segundo explicou o arquitecto norueguês.

Ole Bryn fez aliás essa transposição em relação à maior das pirâmides de Gisé, a pirâmide de Kéops. Um imponente monumento com 146,6 metros de altura, que é comporto por cerca de 2,3 milhões de blocos de pedra calcária que, em conjunto, pesam sete milhões de toneladas. O plano moderno traçado pelo arquitecto norueguês figura na exposição em Trondheim.

fonte: DN

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Venezuela: Queda de raio mata três pessoas


Raio caiu no estado venezuelano de Vargas

Três pessoas morreram e duas ficaram feridas devido à queda de um raio no estado venezuelano de Vargas, 20 quilómetros a norte da capital do país, Caracas. 

Segundo a imprensa local, o acidente ocorreu cerca das 16h00 (23h00 em Lisboa), na localidade de Maré Abajo, na sequência do temporal que há vários dias fustiga a Venezuela.

As vítimas eram pescadores e uma era menor de idade.


Brasil: Criança de dois anos sofre coma alcoólico


Um menino de dois anos deu entrada no domingo num hospital de Sertãozinho, a cerca de 330 quilómetros de São Paulo, com um quadro de coma alcoólico.

Segundo o pessoal médico que o recebeu, a criança entrou inconsciente e sem responder aos estímulos, além de apresentar um "hálito etílico”. De acordo com o site ‘G1’, o seu estado de saúde é estável.

Na sequência do episódio, os pais, principais suspeitos de terem dado bebida à criança, foram detidos.

O menino só deixará a Santa Casa local, onde se encontra sob observação, depois de determinada a sua guarda.


Pai descobre rato prensado em fatias de pão


Descoberta macabra num rolo de pão

A empresa britânica Premier Food foi multada em 16.821 libras (19.770 euros) depois de um homem ter descoberto um ratinho prensado nas fatias de pão que havia comprado online. 

Stephen Forse estava a preparar sanduiches para os filhos e alguns amigos quando reparou num "objecto escuro incrustado no canto de três ou quatro fatias".

"De início pensei que a massa não tinha cozinhado bem, mas quando olhei de perto apercebi-me de que o objecto tinha pêlo", descreveu à BBC o residente em Bicester (Inglaterra).

As autoridades de saúde foram alertadas e recolheram a 'prova do crime', concluindo que se tratava de um rato com a cauda cortada.


Médicos "congelam" pacientes para fazer cirurgia cardíaca


A baixa temperatura permite que os cirurgiões reduzam o risco de danos ao paciente e diminuam a necessidade do uso de anestésicos e máquinas

Médicos nos Estados Unidos estão usando uma técnica revolucionária que congela os pacientes até um ponto em que eles poderiam ser considerados mortos para depois submetê-los a cirurgias cardíacas complicadas. A técnica, usada no Hospital New Haven da Universidade de Yale, induz a hipotermia reduzindo a temperatura do corpo do paciente dos 37 graus normais para apenas 18 graus centígrados. "O corpo está essencialmente em real estado de animação suspensa, sem pulso, sem pressão, sem sinais de actividade cerebral", explica o médico John Elefteriades.

A baixa temperatura do corpo permite que os cirurgiões tenham tempo para realizar a operação reduzindo o risco de danos ao cérebro e outros órgãos e diminuindo a necessidade do uso de anestésicos e máquinas. Depois da operação, o corpo do paciente é lentamente aquecido e seu coração, estimulado com um desfibrilador.

Recuperação milagrosa

Em medicina, técnicas revolucionárias frequentemente surgem após acidentes. Onze anos atrás, Anna Bagenholme, uma esquiadora de 29 anos caiu por um buraco no gelo na Noruega. Anna Bagenholme sobreviveu após seu coração parar de bater por mais de três horas e sua temperatura corporal caiu para 13,7 graus centígrados. Esta foi a mais longa parada cardíaca da história, e com a temperatura mais fria já registada.

Bagenholme parecia morta, mas os médicos que a atenderam sabiam que o frio que tinha feito seu coração parar também poderia ter preservado seu cérebro. Eles decidiram então seguir com a ressucitação e começaram a aquecê-la lentamente. Após algum tempo, o coração da esquiadora voltou a bater e três semanas mais tarde, ela abriu os olhos pela primeira vez e começou uma recuperação lenta e gradual. O facto de ela ter sobrevivido sem sequelas alterou o conceito de vida e morte e permitiu que os médicos tentassem manipular esse processo para salvar outros pacientes.

''Técnica fascinante''

Em circunstâncias normais, quando há necessidade de parar o coração para a realização de uma cirurgia, os médicos usam uma máquina coração-pulmão para substituir as funções do órgão durante a operação. Mas em alguns casos, o uso dessa máquina não é possível e a técnica de hipotermia está se provando uma boa alternativa. "É a técnica mais fascinante que já vi em medicina e, a cada vez, parece um milagre ela funcionar", diz Elefteriades.

Esmail Dezhbod, de 59 anos, precisava de reparos complicados em veias em torno de seu coração para impedir o rompimento fatal de um aneurisma na aorta. Em seu caso, as cirurgias tradicionais não podiam ser realizadas sem que houvesse danos cerebrais e o doutor Elefteriades optou pela indução de hipotermia. Os riscos eram enormes, mas não havia alternativa melhor e a aposta deu certo, com o paciente sendo reanimado com sucesso após a cirurgia. "Eu tenho dor, não é fácil. Mas sei que o fim será feliz e sei que meu problema foi resolvido", disse Dezhbod.

fonte: terra

Dono da Segway morre em acidente com seu próprio produto


Heselden adquiriu a empresa em Dezembro do ano passado


Segway

O proprietário da empresa Segway, Jimi Heselden, morreu nesta segunda-feira aos 62 anos num acidente com um dos patinetes motorizados que sua empresa fabrica. Ele morreu na hora ao cair de um barranco às margens de um rio em uma fazenda de sua propriedade no condado de West Yorkshire, norte da Inglaterra.

Segundo reportagem da BBC, o Segway foi encontrado pela polícia no fundo do rio logo após a remoção do corpo do empresário, que ocorreu por volta das 12h (horário local). A polícia ainda informou à imprensa local que não há indícios de ataque ou agressão, e que considera a morte um acidente.

Heselden não foi o inventor do equipamento. Ele adquiriu a empresa em Dezembro do ano passado, após fazer fortuna com empreiteiras e empresas de engenharia como a Hesco Bastion, que fornece a militares estruturas pré-moldadas para muros e paredes de segurança.

Na Inglaterra, a lei diz que o Segway não pode ser usado em vias públicas, somente em lugares fechados e particulares. Ciclovias, calçadas e o leito carroçável - o "meio da rua" - não podem ser usados para conduzir o patinete eléctrico por razões de segurança, informa o Daily Telegraph. A tragédia ocorreu dentro de uma propriedade particular do próprio empresário.

Lançado com grande estardalhaço em 2001, o Segway nunca alcançou o sucesso esperado por seu inventor, que dizia que o veículo substituiria carros e bicicletas. Apesar da alta facilidade de manobra, do pequeno tamanho e de alcançar até 20km/h, o custo do equipamento e a pouca autonomia limitaram as vendas e, com o tempo, o aparelho "revolucionário" se tornou um produto de nicho, usado principalmente em rondas de segurança em ambientes fechados e outras actividades restritas.

fonte: terra

Biblioteca Britânica coloca manuscritos gregos na internet


Os Salmos de Theodore, altamente ilustrados e criados em 1066, estão entre os destaques do site

A Biblioteca Britânica, em Londres, colocou na internet mais de um quarto dos seus manuscritos gregos, totalizando 280 volumes, em mais um passo rumo à digitalização completa desses importantes documentos antigos.

Os manuscritos, disponibilizados gratuitamente no site www.bl.uk/manuscripts, são parte de uma das mais importantes coleções localizadas fora da Grécia para o estudo de mais de 2 mil anos de cultura helénica. A biblioteca detém um total de mais de mil manuscritos gregos, mais de 3 mil papiros e uma abrangente colecção de impressos arcaicos gregos.

As informações ali presentes interessam a académicos que trabalham com literatura, história, ciência, religião, filosofia e arte do Mediterrâneo Oriental durante os períodos clássico e bizantino.

"Isso é exatamente o que todos esperávamos da nova tecnologia, mas raramente tínhamos", disse Mary Beard, professora de cultura clássica da Universidade de Cambridge. "Isso abre um recurso precioso para qualquer um do especialista ao curioso em qualquer lugar do mundo, gratuitamente."

Entre os destaques do acervo digitalizado estão os Salmos de Theodore, altamente ilustrados, produzidos em Constantinopla em 1066, e as fábulas de Babrius, descobertas em 1842 no monte Atos, que contêm 123 fábulas de Esopo corrigidas pelo grande académico bizantino Demetrius Triclinius.

A iniciativa, financiada pela Fundação Stavros Niarchos, se soma a outros projectos da biblioteca para ampliar a divulgação de documentos antigos, frágeis e raros.

Outros projectos digitais incluem um caderno de Leonardo da Vinci, do século XVI, e o Codex Sinaiticus, do século IV, contendo a mais antiga cópia completa do Novo Testamento.

fonte: terra

Maior barco a energia solar inicia volta ao mundo


A embarcação tem 15 m de largura e 31 m de comprimento, coberta por 540 m² de módulos fotovoltaicos

O maior barco do planeta movido exclusivamente a energia solar iniciou nesta segunda-feira uma volta ao mundo. O PlanetSolar partiu de Mónaco com uma tripulação de seis membros e deve passar por locais como Miami, Cancún, San Francisco, Sydney, Cingapura e Abu Dhabi.

"Nós queremos ajudar a impulsionar o desenvolvimento de tecnologias de energia sustentável", diz o alemão Immo Ströher, dono do barco, em comunicado. Segundo Ströher, o projecto pretende oferecer uma solução sustentável de transporte para grandes cidades e para o ambiente.

O PlanetSolar tem 15 m de largura e 31 m de comprimento e é coberto por 540 m² de módulos fotovoltaicos. Segundo a equipa, baterias especiais garantem que o barco navegue por três dias sem luz solar.

fonte: terra

Estudo: colisão de galáxias aumenta força de raios cósmicos


As colisões entre galáxias produzem ondas eléctricas cujo campo magnético aumenta a força de protões e electrões para altas energias, formando raios cósmicos mais fortes

Investigadores da Universidade de Leiden, Holanda, descobriram que colisões de galáxias produzem energia que formam gigantes aceleradores de partículas que geram raios cósmicos de alta energia que batem na Terra. As informações são do site da revista New Scientist.

As colisões entre galáxias produzem ondas eléctricas cujo campo magnético aumenta a força de protrões e electrões para altas energias, formando os raios mais fortes. Foram usados na pesquisa rádio telescópios na Holanda, Índia e Estados Unidos para captar imagens do brilho formado nos arredores de dois agrupamentos de galáxia colidindo. A energia das ondas de rádio mudou em volta do arco brilhante formado de uma maneira igual aos modelos de aceleração de partículas.

As ondas eléctricas estendem-se por 6 milhões de anos-luz. A aceleração com o choque de galáxias pode aumentá-la para milhões de vezes maior que as partículas de qualquer átomo e que qualquer raio cósmico que ocasionalmente bata na Terra.

fonte: terra

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...