quinta-feira, 31 de março de 2011

Alguns teóricos afirmam que os homens conviveram com dinossauros


Na área de Kachina Bridge, em Utah, EUA – uma formação de arenito imensa, semelhante a um arco de mais de 60 metros, que se compôs pela acção da água corrente numa parede de rocha – culturas pré-históricas decoravam paredes com pinturas e gravuras, conhecidas como petróglifos.

Entre esses desenhos estão o que os teóricos criacionistas (que acreditam que toda a vida foi criada no mesmo dia, cerca de 6.000 anos atrás) afirmam ser representações de dinossauros, como prova de suas crenças.

Agora, uma pesquisa mais detalhada afirma que as imagens antigas (supostamente de seres humanos vivendo ao lado de dinossauros) não passam de manchas e ilusões. A implicação mais importante dos novos resultados é que uma das peças favoritas do campo criacionista, apontada como “evidência” para a coexistência de dinossauros e seres humanos, um petróglifo de dinossauro, nem sequer existe.

Os investigadores analisaram as quatro imagens de “dinossauros” a olho nu, com binóculos, e com lentes de telefoto, enquanto as imagens eram iluminadas pela luz solar directa, indirecta e na sombra.

O primeiro dinossauro realmente parece-se com um dinossauro quando visto a olho nu. Porém, os arqueólogos que examinaram a figura e viram o que muitas vezes um olho destreinado não pode ver.

Os investigadores descobriram que o “pescoço” e a “cabeça” do “dinossauro” é um composto de dois petróglifos diferentes, enquanto as “pernas” parecem ser apenas manchas. Durante o processo de intemperismo, os produtos químicos usados pelo homem na gravação das figuras podem ter escorrido para formar o que parecem ser as pernas de dinossauro. Muitos dos minerais da região podem manchar.

Esse era o melhor petróglifo de dinossauro, ou seja, o mais difícil de se discutir, porque parecia bastante com um dinossauro. Até a realização desse estudo, não havia outra maneira de interpretá-lo.

O principal “dinossauro”, portanto, está extinto. As demais figuras nem sequer se parecem com os dinossauros, mesmo a olho nu, segundo os investigadores. De facto, os cientistas acreditam que os quatro “dinossauros” da região eram na verdade “ilusões”, produzidas pela pareidolia, um fenómeno psicológico responsável por pessoas que vêem caras, animais e outras figuras em nuvens, na lua, etc.


União Soviética mentiu sobre a missão espacial de Yuri Gagarin


Um livro da autoria de um jornalista russo revela que a então União Soviética mentiu acerca do sucesso da operação que levou Yuri Gagarin a ser o primeiro homem em órbita no espaço.

Em 1961, a União Soviética colocou com sucesso a primeira nave espacial tripulada por um homem em órbita, mas os problemas - mantidos em segredo até agora -, ocorreram no seu regresso à Terra.

De acordo com o Daily Telegraph, o livro intitulado 108 minutos que mudaram o Mundo revela que a cápsula espacial de Gagarin aterrou a mais de 320 quilómetros do local inicialmente previsto, causando a que no momento da aterragem não estivesse ninguém à sua espera.

«Durante muitos anos a literatura soviética afirmou que a Vostok [nome da nave] e Yuri Gagarin aterraram na área inicialmente prevista», pode ler-se no livro.

Agora sabe-se que os cientistas russos terão calculado erradamente (por duas vezes) a trajectória de aterragem da nave, tendo obrigado na altura o astronauta a procurar meios de comunicação para informar a delegação do seu 'novo paradeiro'.

A operação surgiu em pleno clima de Guerra Fria, e o seu sucesso foi exaltado como um sucesso da ideologia comunista através da máquina de propaganda soviética.

Os factos foram igualmente distorcidos noutro ponto, pois os soviéticos declararam que Gagarin aterrou no interior da cápsula espacial, quando a realidade viu o astronauta a utilizar um pára-quedas na sua aterragem.

A operação não podia ter sido considerada um recorde mundial se Yuri Gagarin tivesse aterrado com um pára-quedas, o que justifica a mentira mantida durante quatro décadas.

fonte: Sol

Mensagem em garrafa respondida depois de 24 anos a vaguear no mar


Um menino russo de 13 anos encontrou uma mensagem numa garrafa que há 24 anos atrás foi lançada ao mar por uma criança alemã.

Daniil Korotkikh encontrou a garrafa de cerveja numa praia perto da região de Kaliningrado, na Rússia, lá estava a mensagem de Frank Uesbeck, que na altura em que a escreveu tinha apenas 5 anos.

Na mensagem estava escrito: «O meu nome é Frank e tenho cinco anos de idade. O meu pai e eu estamos a bordo de um navio que tem como destino a Dinamarca. A quem encontrar a carta peço que me escreva de voltae eu respondere-lhe-ei».

Ao canal de televisão russo NTV, Daniil conta que «quando eu estava a caminhar na praia vi uma garrafa nas dunas e percebi que tinha um bilhete dentro. Achei interessante e fiquei curioso, poucas pessoas têm a sorte de encontrar uma mensagem numa garrafa».

Da mensagem, que vinha cuidadosamente embalada em papel celofane, constava o endereço, que o menino alemão colocou de forma a assegurar que poderia receber uma resposta.

O menino alemão, que agora é um homem casado de 29 anos, cujos pais ainda moram na mesma morada, não queria acreditar quanto recebeu resposta à mensagem que tinha enviado quando criança.

fonte: Sol

Antropólogo exibe pedra maia para desmentir o fim do mundo em 2012


A pedra do calendário maia que foi interpretada erroneamente como um anúncio do fim do mundo marcado para dezembro de 2012 foi apresentada na terça-feira em Tabasco, sudeste do México.

A peça é formada de pedra calcária e esculpida com martelo e cinzel, e está incompleta. "No pouco que podemos apreciá-la, em nenhum de seus lados diz que em 2012 o mundo vai acabar", enfatizou José Luis Romero, subdiretor do Instituto Nacional de Antropologia e História.

Na pedra está escrita a data de 23 de dezembro de 2012, o que provocou rumores de que os maias teriam previsto o fim do mundo para este dia. Até uma produção hollywoodiana, "2012", foi lançada apresentando esse cenário de Apocalipse.

"No pouco que se pode ler, os maias referem-se à chegada de um senhor dos céus, coincidindo com o encerramento de um ciclo numérico", afirmou Romero.

A data gravada em pedra refere-se ao Bactum 13, que significa o início de uma nova era, insistiu Romero.

fonte: UOL

Dados de satélite constroem com detalhe a imagem da gravidade do planeta


A superfície do planeta surge moldada pela gravidade

Depois de dois anos em órbita, o satélite GOCE da Agência espacial europeia (ESA) reuniu dados suficientes para mapear a gravidade do planeta num modelo com um nível de detalhe sem precedentes, foi hoje anunciado.

A superfície do planeta surge moldada pela gravidade, com zonas a amarelo (onde esta é maior) e zonas a azul (onde a gravidade é menor).

Os dados vão ajudar os cientistas a perceber melhor como funciona o planeta Terra, salienta a ESA, em comunicado, depois de ter apresentado hoje a imagem em Munique, Alemanha, durante uma conferência internacional dedicada ao satélite.

Esta imagem “é uma referência crucial para medir a circulação do oceano, as alterações do nível do mar e a dinâmica da formação de gelo, tudo isto afectado pelas alterações climáticas”, explica a ESA.

“Chegou a altura de utilizar os dados do GOCE para a ciência. Estou particularmente ansioso para ver os primeiros resultados oceanográficos”, comentou Reiner Rummel, antigo responsável na Universidade Técnica de Munchen. O satélite vai “dar-nos topografia dinâmica e padrões de circulação dos oceanos com uma resolução e qualidade sem precedentes”, continuou.

Os dados sobre a gravidade no planeta, obtidos por aquele satélite, podem ajudar a perceber melhor os processos que dão origem a sismos como aquele que devastou a região Nordeste do Japão a 11 de Março. “Uma vez que este sismo foi causado pelo movimento das placas tectónicas debaixo da água do oceano, o movimento não pode ser observado directamente do espaço. Contudo, os sismos deixam marcas nos dados sobre a gravidade que podem ser usados para compreender os processos que dão origem a estes desastres naturais”, acrescenta a ESA. Em última análise, este trabalho pode ajudar a prever tremores de terra.

O satélite GOCE foi lançado em Março de 2009 e, de momento, já recolheu mais de doze meses de dados. Volker Liebig, director dos Programas de Observação Terrestre na ESA, adiantou que a agência vai continuar a medir a gravidade do planeta até ao final de 2012, aumentando o detalhe do modelo.

fonte: Público

quarta-feira, 30 de março de 2011

Ipod poderá vir a ser carregado pelo coração humano


O coração humano poderá ser a bateria do futuro para alimentar aparelhos electrónicos como o Ipod da Apple, graças a um chip desenvolvido através da nano tecnologia que utiliza movimentos do corpo para gerar energia.

De acordo com o Daily Telegraph, um grupo de cientistas apresentou a sua descoberta no Encontro Nacional de Exposição da Sociedade Química Americana, onde utilizou um chip para providenciar energia a ecrãs de LCD.

Cientista no Instituto de Tecnologia da Geórgia, Zhong Lin Wang afirmou que «esta descoberta representa um marco na produção de aparelhos electrónicos portáteis que possam ser alimentados por movimentos corporais».

Os cientistas esperam que o desenvolvimento do chip possa culminar em aparelhos que «não necessitem de baterias ou alimentadores de corrente» para funcionarem.

«Os nossos nano geradores estão condenados a mudar vidas no futuro», assegurou, frisando que «o seu potencial só está limitado à imaginação de cada um».

A tecnologia consiste na utilização de nano fios compostos por óxido de zinco que geram electricidade quando são alvos de tensão ou flexão.

Qualquer movimento corporal, desde andar até ao batimento cardíaco, pode gerar energia.

Durante a apresentação, cinco nano geradores produziram um micro ampere de corrente de saída de 3 volts. Uma voltagem semelhante à produzida por duas pilhas AA.

«Mais nano fios e nano geradores, se forem agrupados, poderão gerar energia suficiente para alimentar aparelhos maiores, como o Ipod ou um telemóvel», destacou.

fonte: Sol

Estudo revela que maioria das ferramentas de censura da Web é criada no Ocidente


Um estudo publicado no âmbito da iniciativa OpenNet revela que a maioria dos programas utilizados por regimes ditatoriais para censurar a Internet foi desenvolvida por empresas do Ocidente

A conclusão surge num estudo da autoria de Helmi Noman e Jillian C. York, que tinha como objectivo analisar o papel das empresas do sector das novas tecnologias na censura da Internet, nomeadamente no Médio Oriente durante as recentes revoluções que ocorreram na região.

De acordo com o relatório, pelo menos «nove países da região utilizaram ferramentas para bloquear conteúdos sociais e políticos criadas no Ocidente», o que impediu «cerca de 20 milhões de pessoas de acederem a sites», sublinham os autores.

O conjunto de países citado pelo estudo inclui estados como a Arábia Saudita, Tunísia, Qatar, Sudão ou o Iémen, que recorriam a ferramentas para bloquear conteúdos relacionados com temas tão como ateísmo, sexualidade ou contrários ao Islão, entre outros.

Os autores do estudo alegam que as empresas que desenvolvem as tecnologias em causa, como a norte-americana McAfee ou a canadiana Netsweeper, sabem qual é o seu fim.

Jillian C. York considera mesmo que a conclusão mais importante do estudo foi terem descoberto «quanto dinheiro se está a gastar em tecnologia nos EUA para passar por cima de filtros que as suas próprias empresas criam».

fonte: Sol

Você acredita no final dos tempos?


Catástrofes provocadas por fenómenos da Natureza sempre aconteceram no Mundo, sentindo-se o Homem impotente diante da força destes eventos, tais como terramotos, sismos, tornados, inundações, secas, fogos, tsunâmis, isto só para citar alguns. Mas, se estes acontecimentos são surpreendentes pela sua quantidade e amplitude, inscrevem-se, porém, numa série incomum de fenómenos geoclimáticos semelhantes, que se foram multiplicando ao longo dos últimos anos, um pouco por todo o Mundo, a uma cadência e com uma magnitude crescente de ano para ano. De acordo com os últimos dados do CRED (Centre for Research on the Epidemiology of Disasters), o número de desastres ambientais aumentou mais de 10 vezes, entre 1975 e 2009.

Especialistas, técnicos ou simples cidadãos interrogam-se sobre as razões destes acontecimentos. Serão estes consequências das tão propagandeadas e pouco debatidas alterações climáticas? Ou fruto da negligência e da ganância sem limites? Ou algo ainda mais grave?

O terramoto que aconteceu no dia 11, no Japão, teve um abalo de 8,9 graus na escala Richter, sendo o quinto maior da História mundial. A catástrofe, que atingiu a costa nordeste do país, registou milhares de mortos e de desaparecidos. Tendo o impacto do tremor gerou um tsunâmi, com ondas de 10 metros, causado imensos estragos e provocado uma crise nuclear sem precedentes. O país, considerado o primeiro do Mundo a nível das tecnologias mais avançadas, foi impotente diante da Natureza… Será isto o princípio das dores de que fala a Bíblia?

2010, o segundo pior ano


Terramotos no Haiti, no Chile e na região central da China; uma onda de calor e incêndios florestais na Rússia; inundações no Paquistão… Os 950 desastres naturais de 2010 deixaram 295 mil mortos e causaram um prejuízo de 130 milhões de dólares. Tendo a quantidade de desastres sido muito superior à média dos últimos trinta anos, que foi de 615 casos, afirmou a seguradora alemã Munich Re. Destes 950, nove décimos foram eventos climáticos, tais como tempestades e inundações.

Portanto, este total torna 2010 o ano com o segundo maior número de catástrofes naturais desde 1980, ano a partir do qual existem dados sobre catástrofes, sensivelmente superior à média anual para os últimos 10 anos, que é de 785 eventos, por ano. Estes episódios levam a crer que, de facto, a volta de Jesus está próxima. Sendo assim, para muitas pessoas, o temor de que o Mundo acabe é latente, principalmente em casos como estes de grandes devastações naturais.


NASA mostra primeira foto de Mercúrio


A imagem histórica foi tirada esta terça-feira e, entretanto, já foram feitas mais de 300


A NASA divulgou a primeira imagem da órbita de Mercúrio. A fotografia foi tirada pela sonda Messenger, que entrou na órbita do planeta mais próximo do Sol a meio deste mês. A imagem histórica foi tirada esta terça-feira e, entretanto, já foram feitas mais de 300.

Esta é a primeira vez que uma nave entra na órbita de Mercúrio, depois de seis anos no espaço. Antes, apenas foi feito um sobrevoo em 1970 pela Mariner10.

fonte: DN

Homem chinês vive 55 anos sem um ânus


Um chinês passou 55 anos sem ter uma abertura retal no lugar certo – um feito muito raro. Ele nasceu com um problema conhecido como “ânus imperfurado”, que acontece com uma em cada 5 mil crianças.

O problema acontece mais comumente em meninos do que em meninas e a causa é desconhecida – o bebé nasce sem abertura retal, ou com a abertura bloqueada.

Cirurgiões normalmente conseguem arranjar essa anormalidade, mas Wu, um fazendeiro chinês da província de Hubei, a cirurgia era muito cara, pelo menos até sua idade actual. Então como ele viveu sem um ânus?

Ele tinha um corte cirúrgico de cinco centímetros perto de sua uretra, através do qual “espremia” seus excrementos.

Pode soar nojento quando você imagina Wu indo ao banheiro, mas foi um procedimento necessário. E os problemas não se limitavam às visitas ao banheiro – a dieta do chinês também precisava ser especial para evitar a prisão de ventre e ele era um utilizador freqüente de laxantes.

Em janeiro de 2011 ele finalmente conseguiu juntar dinheiro suficiente para pagar um cirurgião. Depois de três dias da cirurgia, ele afirmou conseguir defecar como uma pessoa normal.

fonte: HypeScience

terça-feira, 29 de março de 2011

Bebé nasce com dois dentes perfeitos


Um menino surpreendeu seus pais por nascer com os dois dentes da frente completamente formados.

A maioria dos bebés têm seu primeiro dente com a idade de seis meses a um ano, mas Oliver James teve dois dentes brancos desde o início.

Seus pais Joanne Jones, 31, e Lee, 32 anos, disseram que já reservaram a primeira consulta de seu filho com um dentista.

O jovem tem dois incisivos da frente em sua gengiva inferior e os médicos dizem que os dentes podem cair e serem substituídos ou permanecer no local como o primeiro de seus dentes de bebé.

Sr. e Sra. James, de Haverhill, Cambridgeshire, foram inundados com amigos e familiares que estão ansiosos para ver o sorriso de seu dentuço primogénito.

A Sra. James, uma educadora, disse que estava satisfeita por ter um bebé saudável.

Ela acrescentou que seus dentes estavam se tornando populares entre os visitantes.

Ela disse: "Oliver é um bebé muito, muito bom e foi uma completa surpresa ver seus dentes. Eles não são pequenos tocos, eles são os dentes adequados."

"Bebés nascerem com dentes não é algo desconnhecido, mas é extremamente raro."

"Foi muito engraçado no hospital, porque todo mundo queria vir e ver os dentes de Oliver quando ouviram sobre eles."


O oceano está a se tornar numa 'sopa de plástico'


Se arrastar uma rede de malha fina em qualquer parte dos 5 giros subtropicais da Terra - vórtices gigantes do oceano, onde as correntes convergem e rodam sem pressa - vai transportar para o convés, uma confusão de porcaria planctónica castanha, peixes ocasionais, lulas ou caravelas - e, quase certamente, uma generosa porção de partículas de plástico coloridas, cada uma do tamanho de uma unha.

Cada floco de copo de plástico ou pedaço de escova de dentes é como uma esponja para os poluentes orgânicos persistentes (POPs) - compostos potencialmente perigosos que não se degradam facilmente e agarram-se a qualquer superfície dura que encontram. O destino de todo este plástico determina não só a saúde da vida marinha, mas também a nossa própria; se o peixe está banqueteando-se com estes pedaços tóxicos, então, provavelmente nós também estamos.

No mês passado, investigadores do 5 Gyres Institute em Santa Monica, Califórnia, e a Algalita Marine Research Foundation, em Long Beach, Califórnia, navegaram em Piriápolis, Uruguai. Eles tinham acabado de completar a terceira etapa da primeira expedição do mundo para estudo da poluição plástica no giro subtropical do Atlântico Sul. Em todas as redes de arrasto simples, a equipa descobriu plástico.

"Essa questão só recentemente chegou ao conhecimento do público", diz Anna Cummins, co-fundadora da 5 Gyres. "Estamos tentando documentar o problema e obter informações de base porque há uma escassez de dados".

Numa experiência de laboratório, a investigadora Chelsea Rochman alimentou um grupo de peixes com uma dieta infundida com plástico, e um outro grupo de uma dieta sem o plástico. Os resultados preliminares mostram que os peixes que comeram plástico sofreram significativa perda de peso e danos no fígado. "Nós estamos a procurar por tumores, morte celular e congestão nos órgãos que filtram toxinas", diz ela.

O que os investigadores estabeleceram até agora é que o plástico nos oceanos é persistente e generalizado. As investigações sobre o que toda essa poluição significa para a fauna e para as pessoas está apenas a começar, mas os primeiros sinais não são tranqüilizadores. "O mar não é infinito. Ele não tem espaço para os nossos resíduos", diz Cummins.


Machados de pedra com mais de um milhão de anos encontrados na Índia


Alguns dos artefactos achados em Attiramapakkam

Datação é a mais antiga daquela zona e pode ajudar a perceber as migrações dos nossos antepassados.

Bifaces da cultura acheulense com mais de um milhão de anos foram descobertos no sudeste da Índia. Estas são as ferramentas mais antigas encontradas até agora no sul da Ásia. As descobertas providenciam mais dados para se perceber a diáspora dos antigos hominídeos.

Shanti Pappu, o arqueólogo indiano responsável pelos trabalhos, explica que foram localizados mais de 3500 artefactos a sete metros de profundidade em Attiramapakkam, um dos sítios arqueológicos mais ricos do paleolítico (situado no estado de Tamil Nadu), descoberto em 1863 pelo geólogo britânico Robert Bruce Foote. O estudo está publicado na «Science».

Para datarem os artefactos, os investigadores fizeram medições electromagnéticas aos sedimentos que os cobriam. Percebeu-se então que os objectos tinham sido ali deixados antes da última inversão geomagnética. Juntamente com medições de isótopos de berílio e alumínio foram capazes de datar os objectos entre um milhão e 1,7 milhões de anos.

Os bifaces mais antigos encontrados fora de África encontram-se em Israel (Ubeidiya) e têm 1,4 milhões de anos. Os outros estão na China (800 mil anos) e no Paquistão (500 mil anos). Os investigadores consideram, à luz desta descoberta, que os objectos encontrados anteriormente no sul da Ásia deviam ser datados novamente.

A comunidade científica encontra-se dividida quanto à interpretação deste conjunto lítico. Citado pelo jornal espanhol «El Mundo», o arqueólogo inglês Robin Donnell, da Universidade de Sheffield, diz que o achado significa que esta tecnologia se estendeu pelo sul da Ásia centenas de milhares de anos antes do que pelo Levante e a Europa, onde este tipo de indústria tem apenas 500 mil anos.

Manuel Domínguez-Rodrigo, que investiga na Garganta de Olduvai, na Tanzânia, onde se encontra a tecnologia acheulense e a olduvaiense, lembra que o sistema de datação utilizado pode não ser totalmente fiável.

Para José María Bermúdez de Castro, director do centro espanhol do de Investigação e Evolução Humana, estes achados têm muita importância, pois pensa-se que terá sido pela Índia que os antigos hominídeos (homo erectus) traçaram a sua rota migratória até à Indonésia. Existe também a possibilidade de que esta tecnologia tenha surgido em paralelo neste período em várias zonas do planeta.


Armas químicas foram utilizadas pelos persas contra os romanos


Esqueleto do soldado persa que terá iniciado o ataque, tendo também ele morrido intoxicado

Novo estudo sobre tomada de Dura Europos (Síria) revela imaginação bélica na Antiguidade

Soldados romanos que combateram em Dura Europos (na actual Síria), no ano 256 d.C, terão sido vítimas de armas químicas. Esta teoria é defendida por uma equipa de investigadores dirigida por Simon James, da Escola de Arqueologia e História Antiga, da Universidade de Leicester, Reino Unido. O artigo está publicado no «American Journal of Archaeology».

Naquela época, o exército do Império Sassânida (da Pérsia pré-islâmica) tentava tomar a cidade que era uma base militar romana fortificada com muros de vários metros de espessura. A escavação de túneis era feita por ambos os lados – fosse para fazer ruir os muros, como para interceptar o inimigo.

Nos anos 30, o arqueólogo francês Robert du Mesnil du Buisson escavou um desses túneis e encontrou 19 corpos empilhados de soldados romanos e o de um persa. O investigador sugeriu que a morte se devia ao combate corpo a corpo ou que os soldados tinham sido queimados, pois também encontrou cristais de enxofre e betume.

O estudo agora publicado refuta esta explicação. Simon James explica que os túneis eram demasiado estreitos para que tivesse havido luta corpo a corpo e também não existem marcas nos corpos desse confronto. Por outro lado, a posição dos corpos não indica que tenham sido queimados vivos.

O arqueólogo diz que os sassânidas acenderam deliberadamente fogo no túnel quando os romanos entraram e lançaram as substâncias químicas enxofre e alcatrão. Os romanos morreram asfixiados com o gás, que se converteu em ácido sulfúrico dos pulmões.

Aa "armadilhas" químicas seriam já bem conhecidas na Antiguidade. Um dos exemplos mais antigos remonta ao ano 189 a. C., quando os gregos queimaram penas de galinha e utilizaram um fole para guiar o fumo para os túneis utilizados pelos invasores romanos.



O Integral detecta matéria instantes antes de ser sugada


O Cygnus X-1

Observatório da ESA estuda o buraco negro Cygnus X-1

O observatório de raios gama da Agência Espacial Europeia (ESA), Integral, detectou matéria extremamente quente, apenas um milissegundo antes de entrar para o esquecimento de um buraco negro. Esta observação única sugere que parte da matéria poderá conseguir escapar.

A algumas centenas de quilómetros da sua superfície mortal, o espaço é uma agitação de partículas e radiação. Vastas tempestades de partículas ficam condenadas, a velocidades próximas à da luz, elevando a temperatura até aos milhões de graus.

Normalmente, demora apenas um milissegundo até as partículas atravessarem esta distância final, mas poderá haver esperança para uma pequena parte delas. Graças às novas observações do Integral, os astrónomos sabem agora que esta região caótica está enredada em campos magnéticos.

Esta foi a primeira vez que foram identificados tão próximo de um buraco negro. O Integral mostra ainda que os campos magnéticos são estruturados, e formam um túnel de escape para algumas partículas condenadas. A descoberta foi feita pela equipa de Philippe Laurent, CEA Saclay, França, através do estudo do buraco negro Cygnus X-1, que está a desfazer uma estrela vizinha, alimentando-se do seu gás.

Os dados revelam que é suficientemente forte para roubar partículas ao campo gravitacional do buraco negro, puxando-os para fora e criando jactos de matéria para o espaço. As partículas nestes jactos são levadas para trajectórias em espiral, no percurso dentro do campo magnético até à liberdade e isto está a afectar uma propriedade dos raios gama, conhecida como polarização.

Tal como a luz visível, os raios gama são uma espécie de onda e a orientação da onda denomina-se polarização. Quando uma partícula com velocidade gira num campo magnético produz um tipo de luz, conhecida como emissão de sincrotrão, que apresenta um padrão específico de polarização. Foi esta polarização que a equipa encontrou nos raios gama.


Integral

Cygnus X-1

“Tivemos de recorrer a quase todas as observações que o Integral fez do Cygnus X-1 para conseguir esta detecção,” explicou Laurent. Acumuladas ao longo de sete anos, estas observações repetidas do buraco negro somam agora cinco milhões de segundos de tempo de observação, o equivalente a fazer uma única imagem com um tempo de exposição de dois meses. A equipa de Laurent juntou-as todas para criar esta exposição.

“Ainda não sabemos exactamente como é que a matéria a cair se transforma nos jactos. Há um grande debate entre os teóricos; estas observações irão ajudar a decidir,” diz Laurent. Os jactos à volta dos buracos negros já tinham sido observados por rádio telescópios mas estas não conseguem apanhar o buraco negro com o detalhe suficiente para se saber com exactidão a que distância surge. Isto faz com que estas observações do Integral tenham um valor inestimável.

"A descoberta da emissão polarizada de um jacto do buraco negro é uma demonstração única de que o Integral, que está a cobrir a banda da alta energia no largo espectro de missões científicas da ESA, continua a produzir resultados essenciais, mais de oito anos depois do seu lançamento," disse Christoph Winkler, cientista de projecto da ESA para o Integral.


Investigadores desenvolvem gaivota mecânica


Ave robótica é comandada por controle remoto


Ave tem quase 2 metros de envergadura e é comandada por controle remoto

Investigadores da empresa alemã Fiesto conseguiram criar uma réplica de gaivota comandada por controle remoto muito parecida com a ave real.

Baptizada de SmartBird, a gaivota consegue levantar voo, voar e pousar sem qualquer auxílio, apenas batendo as asas para se manter no ar e mudando a posição da cabeça e da cauda para alterar a direcção.

O projecto faz parte do Bionic Learning Network, do qual várias universidades nos Estados Unidos e na Europa fazem parte. Os investigadores deste programa procuram usar a natureza como modelo para criação de sistemas mecânicos.

A SmartBird voa como uma gaivota graças a um sistema complexo de controle. Suas asas têm duas partes independentes e podem "bater" como se fossem asas reais para criar sustentação. A cauda funciona como um leme, estabilizando o pássaro no voo em linha reta e mudando sua direcção.

A ave mecânica tem uma envergadura de quase 2 metros, muito maior que uma gaivota real, mas ela se parece muito com o animal.


Sistema informático da NASA vulnerável a ciberataques


Relatório interno detectou fragilidades na sequência de intrusões de hackers em 2009.

O sistema informático da NASA é "altamente vulnerável" a ataques externos. O diagnóstico foi feito por um grupo interno da agência espacial, depois de intrusões no sistema em 2009. As conclusões foram agora divulgadas.

"Verificámos que os servidores informáticos do conjunto das missões apresentavam vulnerabilidades que podem ser exploradas a partir da Internet", refereo inspector da NASA Paul Martin no seu relatório, citado pela AFP.

O documento menciona seis servidores informáticos ligados aos sistemas de controlo das naves espaciais que contêm dados sensíveis. Ataques a esses servidores poderiam tomar o seu controlo, ou inutilizá-los e, a partir daí, entrar noutras zonas da agência, segundo o documento. "Uma situação desse tipo poderia danificar gravemente ou paralisar mesmo as operações da NASA", esclarecem os relatores.

Outro problema detectado é o de uma das redes de servidores da agência revelar códigos de encriptação e também informações sobre os seus utilizadores. "Até que a NASA ponha fim a estas graves deficiências e melhore a segurança em matéria de tecnologias de informação, ela será vulnerável a essas intrusões que poderiam ter consequências graves, se não catastróficas, para essas redes, as suas operações e o seu pessoal", alerta o inspector geral da NASA.

fonte: DN

Cérebro de 2,5 mil anos é descoberto intacto na Inglaterra


O cérebro intacto foi retirado de um crânio datado de 673 e 482 a.C


Os cientistas ficaram intrigados com o facto de como um órgão tão frágil pode ter sobrevivido tanto tempo


De acordo com os investigadores, há evidências de que o crânio pertenceu a um homem entre 26 e 45 anos e de que o mesmo teria sido enforcado


O crânio foi retirado de um fosso lamacento da Idade do Ferro, no local da planeada expansão do campus leste da Universidade de York

Investigadores da Universidade de York fizeram uma descoberta curiosa na Inglaterra. Eles encontraram um crânio humano de 2,5 mil anos e, dentro dele, o cérebro praticamente intacto. Os cientistas ficaram intrigados com o facto de um órgão tão frágil se ter preservado tanto tempo. A descoberta foi publicada na revista Yorkshire Archaeology Today. As informações são do site Live Science.

O crânio, datado entre 673 e 482 a.C, foi retirado de um fosso lamacento da Idade do Ferro, no local da planeada expansão do campus leste da universidade. "Foi simplesmente incrível pensar que o cérebro de alguém que morreu há tantos milhares de anos pode persistir mesmo em terra húmida", disse Sonia O'Connor, investigadora na Universidade de Bradford, ao site Live Science.

O'Connor liderou uma equipa de investigadores que avaliou o estado do cérebro, depois que foi encontrado, em 2008. "É particularmente surpreendente, porque se falar com patologistas que lidam com cadáveres eles diriam que o primeiro órgão a se deteriorar seria o cérebro, por causa de seu teor de gordura", explicou O'Connor, segundo o site.

De acordo com os investigadores, há evidências de que o crânio pertenceu a um homem entre 26 e 45 anos e de que o mesmo teria sido enforcado. O'Connor diz que o achado pode ter sido enterrado rapidamente após a morte num ambiente húmido, onde a ausência de oxigénio impediu que o cérebro entrasse em estado de putrefação.

fonte: terra

segunda-feira, 28 de março de 2011

Cobra mortífera desaparece de jardim zoológico


Uma cobra venenosa, tão mortal que pode aniquilar um elefante adulto em três horas e uma pessoa em apenas 15 minutos, desapareceu do Jardim Zoológico do Bronx, em Nova Iorque.

O espécime desapareceu do espaço onde coabitava com outros répteis e até agora não há indícios do local onde se terá escondido.

Os tratadores esperam que não tenha alcançado nenhuma zona pública onde possa oferecer perigo à população.

De acordo com a lenda, o veneno desta cobra, oriunda do Norte de África, terá sido o escolhido por Cleópatra para cometer o suicídio.

fonte: Sol

Pais de bebé sofrem de cancro terminal



Elisa e a filha de 18 meses

Um jovem casal de norte-americanos enfrenta um drama que está a comover a América. Nathan Bond, de 38 anos, e a mulher Elisa, de 36, foram diagnosticados, ambos, com cancro terminal e não devem viver mais de cinco anos. Casal espera "milagre" para que a filha de 18 meses não fique orfã.

No último dia dos namorados, durante um "check-up" de rotina, os médicos de um hospital de Nova Iorque diagnosticaram um cancro colo-rectal, considerado incurável, em Nathan. O pintor, segundo os médicos, terá 60% de hipóteses de viver mais de cinco anos.

Nove dias depois da descoberta, quando a família ainda tentava recuperar da notícia trágica, o destino voltou a ser cruel com os Bond. Elisa descobriu que também estava com um cancro de mama em estado terminal.

Com Elisa, os médicos foram ainda mais pessimistas. A jovem mãe terá apenas 16% de hipóteses de viver por mais cinco anos.

Neste momento de enorme dificuldade, o casal está a contar com a família, os amigos e o amor que sentem pela pequena filha para enfrentar este drama que comove a América.

Numa entrevista ao jornal norte-americano New York Daily News, Elisa disse que está à espera de um milagre divino.

"Gostava de envelhecer com o meu marido e cuidar, juntos, da nossa filha. Agora, estou à espra de um milagre", disse a mulher, sem conseguir conter a emoção.

O Casal criou um blogue na Internet para angariar fundos e compartilhar os pormenores da luta diária contra a doença terminal. O blogue já angariou 25 mil dólares para ajudar a cobrir as despesas com o plano de saúde do casal.

Na última publicação, Nathan e Elisa contaram que estavam a preparar-se para sua quarta e segunda sessão de quimioterapia, respectivamente. Será a primeira vez que fazem tratamento em conjunto.

"Estamos a lutar contra as estatísticas para estarmos cá com a nossa filha", disse Nathan. "Todos mundo deveria ter a oportunidade de sentir tanto amor na vida. Apesar do cancro, temos muita sorte", acrescentou, referindo-se aos familiares e amigos que não os abandonaram.

fonte: JN

Curiosos em missões espaciais convidados para encontro internacional na Covilhã


Missões no Espaço e dinâmica orbital serão alguns dos temas do encontro

Os mais curiosos em saber como se planeiam missões espaciais ou como se conduz uma nave em órbita estão convidados para um encontro internacional entre segunda e quarta-feira na Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã.

O Centro de Ciência e Tecnologias Aeroespaciais da UBI organiza durante três dias a sexta edição da oficina internacional sobre Dinâmica e Controlo de Voos Aeroespaciais.

A entrada em todas as sessões é gratuita e as apresentações acessíveis como forma de “dinamizar a participação do público curioso pelas temáticas espaciais”, adiantou à Agência Lusa Anna Guerman, coordenadora do centro de investigação.

O evento coincide com as comemorações do 50.º aniversário do primeiro voo do homem ao espaço, protagonizado pelo cosmonauta russo Yuri Gagarin, a 12 de abril de 1961.

O primeiro passeio no espaço “será um dos temas de abertura dos trabalhos”, que vão decorrer “mais como numa sala de aula do que como numa conferência”.

Segundo Anna Guerman, o encontro será “uma escola avançada, uma vez que vai contar com a participação de cientistas de topo do sector espacial”, do mundo académico ao profissional, oriundos do Brasil, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Itália, Portugal, Reino Unido, Rússia e Suécia.

Missões no Espaço, Movimento de Atitude, Dinâmica e Controle de Sistemas Espaciais e Dinâmica Orbital são os temas do encontro, que pretende ser também “um bom exemplo de internacionalização do ensino”, destaca a investigadora.

fonte: Público

Dedo cai do céu e leva polícia a desvendar crime hediondo


Em 1º plano, a vítima no dia de seu casamento; no 2º plano, o assassino

Um dedo que caiu do céu, possivelmente trazido por um pássaro, foi a pista necessária para a polícia britânica elucidar o assassinato de um homem torturado até a morte por seu próprio cunhado.

O assassino, Mohammed Riaz, 33, sequestrou o irmão de sua esposa, Mahmood Ahmad, 40, em março de 2010 para descobrir onde a mulher estava se escondendo.

Nahid, irmão mais novo de Mahmood, havia deixado o marido em 2008 por causa do seu caráter violento e de seus constantes abusos. Ela mudou o nome e contou apenas a poucos parentes onde estava a viver.

Como se recusou a revelar o paradeiro da irmã para o cunhado, Mahmood foi morto e esquartejado. O corpo nunca mais apareceu.

Terror

O caso chocou a opinião pública britânica. Nas mais recentes fotos divulgadas pela polícia, Mohammed Riaz aparece sorrindo atrás de Mahmood Ahmad por ocasião do casamento deste último, em março de 2008.

Quando Nahid abandonou o marido, naquele mesmo ano, Riaz começou uma campanha de intimidação e terror contra a família da esposa.

Em 2009, a irmã de Nahid teve seu apartamento invadido. Ao chegar em casa, encontrou a torneira da banheira aberta, o imóvel inundado e um recado ameaçador de Riaz na secretária electrónica.

"Desta vez foi apenas água. Da próxima, vais queimar", era a mensagem.

Em março de 2010, com a ajuda do irmão e de outros comparsas, Riaz raptou Mahmood Ahmad quando este voltava do trabalho, um restaurante de kebabs na zona leste de Londres.


Mohammed Riaz conduziu campanha de terror contra família de Nahid

Tortura

Poucos dias depois, a família de Mahmood chamou a polícia. Os investigadores descobriram que Mahmood fora abordado quando voltava para sua casa em Watford, no condado de Hertfordshire.

Ele tinha sido levado à casa em que a irmã de Riaz vivia com o namorado, em Ilford, no leste de Londres.

Os gritos da vítima durante as sessões de tortura foram ouvidos pelos vizinhos, mas ninguém avisou a polícia.

Pouco após o desaparecimento de Mahmood, o carro usado no rapto apareceu desmantelado. Riaz foi preso como suspeito.

Parte da parede e os azulejos do banheiro do apartamento onde Mahmood foi torturado havia sido arrancada, assim como as carpetes do local.

Buscas

Mas a pista crucial para elucidar o crime foi o dedo da vítima, que literalmente caiu do céu, possivelmente do bico de um pássaro.

O momento em que o pedaço do corpo de Mahmood cai no chão de um estacionamento em Ilford foi registado por umas câmera de circuito interno de segurança.

O funcionário da limpeza que viu o dedo pensou, a princípio, que se tratasse de um pedaço de frango lançado de alguma janela do prédio de escritórios, que fica a cerca de um quilómetro e meio do local onde Mahmood foi morto.

Um exame forense identificou o dedo e relacionou o sangue encontrado nele ao sangue encontrado na casa de Ilford.


Após assassinato, local da tortura foi desmantelado

A polícia revirou contetores de lixo da região à procura do corpo de Mahmood, mas sem sucesso.

Os investigadores chegaram a estudar rotas de voos de pássaros para tentar descobrir onde o corpo da vítima pode ter sido enterrado, mas não tiveram sucesso.

A polícia afirmou que está determinada a continuar a busca do corpo de Mahmood, para que a família possa dedicar-lhe um enterro digno.

Riaz foi condenado pela Justiça britânica junto com cinco cúmplices e aguarda a divulgação da sentença.

Apesar dos resultados da investigação, a corporação foi criticada pela comissão que supervisiona o trabalho policial, IPCC, para quem a polícia subestimou a campanha de terror de Riaz contra Nahid.

Para o órgão, se tivesse prestado atenção às denúncias na época, a polícia poderia ter prendido o assassino antes do rapto de Mahmood.

fonte: BBC Brasil

Nova biografia diz que Gandhi era bissexual


O livro, que será lançado esta semana, chama-se "Great Soul" e foi escrito pelo jornalista Joseph Lelyveld.

O livro alega que Gandhi tinha "afagos nocturnos", sem roupa, com raparigas de 17 anos, incluindo a sua sobrinha, e que se apaixonou por um arquitecto e culturista alemão judeu, Hermann Kallenbach, pelo qual o líder indiano terá deixado a esposa, em 1908.

"Gandhi escreveu a Kallenbach sobre como ele 'tomou completamente posse' do seu corpo" e que isto era "escravatura com vingança". O indiano deu alcunhas particulares ao alegado casal - "Upper House" para ele e "Lower House" para Kallenbach - e terá prometido ao alemão "não olhar de forma luxuriosa para qualquer mulher". "Os dois então prometeram 'mais amor, e ainda mais amor... tanto amor que eles esperavam que o mundo nunca antes ter visto'", diz o livro, citado pelo Daily Telegraph.

Outra revelação da biografia prende-se com o racismo expresso por Gandhi numa visita à África do Sul, num período em que reinava o 'apartheid naquele país'. "Fomos colocados numa prisão para os Kaffirs. Posso compreender não sermos misturados com os brancos, mas sermos colocados ao mesmo nível que os nativos parece-se demasiado para aturar. Os Karrifs são entendidos como não civilizados", terá dito o indiano durante a visita.

O Wall Street Journal fez um resumo da forma como o livro do ex-editor executivo do NY Times descreve Gandhi: "sexualmente estranho, incompetente político, louco fanático, racista implacável e um auto-propagandista, professando o seu amor pela humanidade como conceito quando na realidade desprezava as pessoas como indivíduos".

fonte: DN

Sismo de 6,5 ao largo do Japão


Um sismo de magnitude 6,5 foi registado ao largo do nordeste do Japão e foi emitido um alerta de tsunami pela prefeitura de Miyagi, a mais atingida pela catástrofe de 11 de março, anunciou hoje a Agência Meteorológica japonesa.

O Instituto de Geofísica norte-americano (USGS) também registou uma magnitude de 6,5 na escala aberta de Richter. Precisou que o sismo, a um profundidade de seis quilómetros, ocorreu às 07:42 locais (23:23 em Lisboa), a uma centena de quilómetros da cidade de Sendai, destruída pelo terramoto e tsunami de 11 de março.

Este novo sismo trata-se provavelmente de uma réplica do abalo de magnitude 9 ocorrido há 17 dias, uma vez que se registou na mesma região do Oceano Pacífico.

A Agência Meteorológica japonesa emitiu uma aviso à população costeira de Miyagi sobre a possibilidade de um tsunami com 50 centímetros de altura poder atingir o litoral.

fonte: DN

domingo, 27 de março de 2011

Sismo no Algarve sentido em diversas regiões


Um sismo de magnitude 4.0 na escala de Richter foi sentido ao início da manhã nas regiões de Monchique, Silves, Albufeira e Lagos, no Algarve, um abalo que segundo o Instituto de Meteorologia (IM) não causou quaisquer danos.

De acordo com o IM, o epicentro do sismo foi a cerca de 12 quilómetros a Norte-Nordeste de Silves e o abalo foi registado às 7h36.

O sismo foi sentido com intensidade máxima de IV na escala de Mercalli modificada, que tem 12 graus de intensidade. Foi sentido com menor intensidade noutros locais do Algarve e Alentejo.

fonte: Sol

Mais de 2 mil bebés morreram após serem vacinados


No início deste mês (março 2011), as autoridades japonesas ordenaram a médicos que parassem de usar vacinas contra o pneumococo e Hib porque quatro crianças morreram depois de receber as injeções. No entanto, a verdadeira notícia nunca foi relatada: mais de 2.000 bebés morreram nos Estados Unidos após terem recebido as vacinas para essas doenças, mas as autoridades recusam-se a alertar os pais e parar a produção. Uma revisão de segurança é fundamental para determinar se uma revogação das injeções perigosas pode ser necessária para proteger mais bebés americanos contra incapacidade e morte.

O Sistema de Laudos de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS), operada em conjunto pela FDA e CDC, já recebeu mais de 59.000 relatos de reações adversas às vacinas contra pneumococo e Hib durante os últimos anos. Mais da metade desses casos - 30.094 - necessitaram de internamento hospitalar, com 2.169 mortes. Cerca de 95 por cento dessas mortes foram em crianças menores de três anos de idade.

Nos últimos cinco anos, entre 2006 e 2010, 17.595 pessoas nos EUA tiveram reações adversas às vacinas contra pneumococo e Hib, 464 dessas pessoas morreram depois de receber suas injeções. Também deve-se salientar que estes números representam apenas relatos "oficiais" para a VAERS. O ex-chefe da FDA, David Kessler, estimou que para cada relatório oficial de uma reacção adversa ao medicamento, cerca de 100 outras pessoas também estão afetadas, mas não conseguem fazer um relatório.

Em resumo, quatro crianças japonesas morreram depois de receber as vacinas e o Ministério da Saúde japonês imediatamente interrompeu o programa de vacinação. Autoridades de saúde dos EUA declararam esta ação como "tola", embora seja melhor salvar bebés de danos adicionais. Nos Estados Unidos, milhares de pessoas morreram após receberem vacinas para as mesmas doenças, mas as autoridades não querem saber. Autoridades de vacinas dos EUA acreditam que as crianças são dispensáveis, um mercado alvo garantido a ser utilizado para benefício comercial. Incapacidade e morte de cidadãos dos EUA após terem recebido as vacinas mandadas são apenas tratadas como o custo de fazer negócios.


Relógios adiantam 60 minutos no domingo


Portugal Continental e a Madeira voltam à hora de verão ao adiantar os relógios 60 minutos à 1h de domingo, para as 2h, enquanto nos Açores a alteração realiza-se às 00h, informa o Observatório Astronómico de Lisboa.

O director da instituição, Rui Agostinho, disse hoje que «todos os países no espaço europeu irão fazer a transição da hora de inverno para a hora de verão, no mesmo instante, à mesma hora».

Portugal decide «qual a hora oficial que pretende ter», se é a do fuso do meridiano de Greenwich, do fuso menos um ou menos dois, mas em relação à hora de verão deixou de ser uma competência nacional e passou a ser uma decisão no âmbito da União Europeia (UE).

O último domingo do mês de Março foi seleccionado para concretizar a alteração para a hora de verão e o último domingo de Outubro para passar à hora de inverno, «uma escolha política, no sentido de que não foi uma escolha científica, o que está na génese não é uma decisão de carácter astronómico», explicou o especialista.

O director do Observatório referiu que a maior parte das pessoas adaptam-se com alguma facilidade a esta alteração e reajustam o relógio interno biológico, mas «existe uma pequena fracção que diz que sente essa mudança da hora terrivelmente».

A hora que «interessa às pessoas», a dita hora civil, «é a rotação do planeta, é a maneira como nós vemos o sol e toda a nossa vida está associada à sucessão do dia e da noite», como explicou Rui Agostinho.

O Observatório, que comemora este ano 150 anos, está à frente da Comissão Permanente da Hora para «manter a independência científica em relação à hora». A Comissão tem representantes dos ministérios, mas também de sectores como comércio, indústria, agricultura, turismo e educação.

«Há que jogar entre ter uma hora matematicamente idêntica àquilo que é a posição do sol ou, por questões de vida social e económica, tentarmos aproximar mais do espaço europeu», realçou o responsável.

E apontou: «Temos em média uma diferença de 37 minutos sistemática durante o ano e isso vem da história da hora do nosso país».

«Conseguimos viver o desfasamento de 37 minutos sem sentirmos a vida fortemente afectada em relação à luz solar que temos no dia a dia», acrescentou.

fonte: Sol

China nega acusações da Google


Governo chinês diz que as acusações são "inaceitáveis"

O Ministério chinês para as Relações Internacionais rejeitou as acusações da Google. A empresa tinha dito que o governo de Pequim estava a interferir com o seu serviço de correio electrónico, o Gmail.

“Esta é uma acusação inaceitável”, referiu o porta-voz do ministério, Jiang Yu, durante uma conferência de imprensa.

A Google tinha acusado a China de interferir com o Gmail, a fim de tentar aplacar um movimento dissidente inspirado na Revolução do Jasmim, ocorrido na Tunísia e que deu origem à revolta no Mundo Árabe.

De acordo com o gigante americano, os internautas chineses têm vindo a queixar-se cada vez mais de problemas nas suas contas de Gmail, quando, por exemplo, querem enviar mensagens ou marcá-las como não lidas.

“O problema não está do nosso lado. Já confirmámos isto de forma extensiva. Isto é obra de um bloqueio governamental cuidadosamente planeado para que pareça que o problema está do lado da Google”, disse um porta-voz da empresa numa nota oficial citada pelo “The Guardian”.

A China é um dos países com maior controlo da Internet. Muitos sites populares encontram-se bloqueados no país, como o Facebook e o YouTube, por exemplo.

fonte: Público

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...