sexta-feira, 17 de abril de 2015

Exorcistas do Vaticano demonizam yoga, Harry Potter e vampiros de TV


Uma das maiores autoridades de Roma para assuntos de possessão demoníaca disse recentemente, em um curso sobre exorcismo apoiado pelo Vaticano, que "jovens e belos vampiros" da cultura pop, protagonistas de séries de TV e filmes de sucesso como True Blood e Crepúsculo, estão incentivando o aumento do "comportamento satânico".

"Há quem tente transformar as pessoas em vampiros e fazê-las beber o sangue de outras pessoas, ou incentivá-las a ter relações sexuais especiais para obter poderes especiais", disse o professor Giuseppe Ferrari, diretor da instituição italiana de ocultismo Grupo de Investigação e Informação Sócio-Religiosa.

"Esses grupos são atraídos pelos chamados belos vampiros jovens que temos visto tanto nos últimos anos", alertou.

Enquanto o Vaticano reconhece a legitimidade da função exercida pelos exorcismos dentro da Igreja, Ferrari ressalta que eles devem ser realizados apenas por padres devidamente treinados, capazes de "manter orientações fortes", antes de serem nomeados para dioceses.

Em 2013, o Papa Francisco exortou todas as dioceses de terem pelo menos um exorcista treinado para garantir que elas estejam em conformidade com a legislação católica.

No ano anterior, a diocese de Milão criou uma linha telefônica exclusiva para ajudar os fieis a lidarem com eventuais problemas de possessão demoníaca, e dobrou o número de exorcistas em suas fileiras, de seis para 12, a fim de atender ao acentuado crescimento da demanda nos últimos 15 anos.

"Isso tem que nos dizer alguma coisa", disse o padre exorcista Cesare Truqui, da Suíça, que afirma ter expurgado Satanás e seus demônios das almas de muita gente, incluindo de uma "pequena mulher que não podia ser segurada por três homens fortes".

O padre Gabriele Amorth, chefe exorcista do Vaticano por 25 anos, afirma ter tratado mais de 70 mil casos de possessão demoníaca. Certa vez, ele disse que os escândalos de abuso sexual na Igreja Católica Romana eram prova de que "o diabo está trabalhando dentro do Vaticano", e que a prática de yoga era "satânica”, “assim como a leitura de Harry Potter".

Além das beldades vampirescas, das posturas iogues e dos livros da escritora britânica J.K. Rowling, os debates no curso de exorcismo do professor Ferrari também giraram em torno das campanhas dos direitos homossexuais e dos tratamentos de fertilidade que recorrem à fertilização in vitro. Supostamente, ambos também são sinais do mal existencial presente na sociedade.

"Há o casamento homossexual, a adoção homossexual, a fertilização in vitro e uma série de outras coisas. Há o aparecimento clamoroso da negação do homem, tal como definido pela Bíblia", disse o monsenhor Luigi Negri, arcebispo de Ferrara-Comacchio.

fonte: Sputnik