quinta-feira, 11 de junho de 2020

Médium garante que Maddie está "viva e bem" aos 17 anos

Maddie McCann

Madeleine McCann está viva, mora na Alemanha e agora chama-se Melanie. Quem o garante é uma médium norte-americana, Fia Johansson, que é consultora a ‘coach’ de vários famosos de Hollywood.

Em entrevista exclusiva ao Daily Star, a vidente explicou que Maddie já não celebra o seu aniversário a 12 de maio, mas sim a 28 de julho. Fia afirma que a menina inglesa, que desapareceu na Praia da Luz em 2007, está a viver uma nova vida, depois de ter sido adotada na Alemanha, e que não tem qualquer ideia de quem realmente é.

"Quanto ao aniversário, temo que tenha mudado a sua data de nascimento real, pelo que não é 12 de maio, e ela não sabe nada sobre isso nem sobre a sua mudança de nome. O ano é o mesmo, mas o mês é julho. Vão celebrá-lo no dia 28 de julho", explicou a médium à publicação inglesa.

"Ninguém da atual família dela tinha qualquer indicação de quando a Madeleine nasceu. Para além disso o nome dela já nem é Madeleine, por isso tudo mudou. Mas em julho e agosto ela celebrará muito. Consigo ver que, atualmente, a mãe dela tem uma irmã, que também nutre um grande amor pela Madeleine. Toda a família ama a personalidade dela e têm uma ligação muito forte", assegura Fia.

A médium norte-americana diz que consegue ver como vai ser a festa de aniversário dos 17 anos de Maddie, agora Melanie. "Normalmente a família junta-se toda para celebrar, mas desta vez serão cerca de 10 a 15 pessoas, todos familiares próximos", explica Fia, dizendo que os pais adotivos de Maddie terão atualmente mais de 70 anos de idade e que, por isso, estão em risco caso sejam infetados pelo novo cornavírus.

"Ela está muito feliz, é muito saudável. Faz exercício. Na casa eles têm um pequeno ginásio e ela é uma jovem de rotinas, aconteça o que acontecer ela cumpre-as. È preocupada com o corpo e não quer engordar. Tem o cabelo lindo e comprido e continua a ser conhecida pelos seus olhos diferentes", termina Fia na entrevista dada ao Daily Star.


Coronavírus causa praga de ratazanas gigantes

Relatos de invasão de ratazanas gigantes multipliccam-se nas redes sociais

Relatos de invasão de ratazanas gigantes multipliccam-se nas redes sociais

Relatos de invasão de ratazanas gigantes multipliccam-se nas redes sociais

Relatos de invasão de ratazanas gigantes multipliccam-se nas redes sociais

Relatos de invasão de ratazanas gigantes multipliccam-se nas redes sociais

Reino Unido vê-se a braços com outro problema de saúde pública em plena pandemia de Covid-19.

Numa altura em que no Reino Unido continuam a aumentar os casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (tendo já ultrapassado os 280 mil casos e as 40 mil mortes), o país vê-se perante outro sério problema de saúde pública que está a assustar muitos britânicos: ratazanas gigantes.

Multiplicam-se os relatos e as imagens nas redes sociais, que mostram animais que ultrapassam os 40 centímetros apanhados dentro de casas por todo o Reino Unido. A Associação Britânica de Controlo de Pestes confirma que o caso está a tomar proporções preocupantes, e não apenas pelo tamanho dos animais, confirmando que houve um pico em atividade de roedores em quase todo o país desde o início das medidas de contenção e restrições decretadas.

Martin Kirkbride, um especialista em desratização, conta ao Telegraph que o negócio de ‘caça ao rato’ tem florescido com a pandemia do novo coronavírus e que recebe vários pedidos de ajuda diariamente, relatando casos em que os animais invadem prédios inteiros.

“Num dos últimos casos, havia uma infestação destas ratazanas gigantes dentro de um carro abandonado. O veículo estava junto a um restaurante chinês, que tinha deixado comida a apodrecer em sacos na rua. Não foi bonito”, conta Martin. O homem explica que estas invasões de roedores devem-se às medidas de confinamento, que deixaram estes animais sem as suas fontes de alimento habituais (lixo). Com os restaurantes fechados, sem produzir desperdício, as ratazanas foram ‘obrigadas’ a procurar alimento nas casas dos ingleses.

Martin Kirkbride, um especialista em desratização, conta ao Telegraph que o negócio de ‘caça ao rato’ tem florescido com a pandemia do novo coronavírus e que recebe vários pedidos de ajuda diariamente, relatando casos em que os animais invadem prédios inteiros.

“Num dos últimos casos, havia uma infestação destas ratazanas gigantes dentro de um carro abandonado. O veículo estava junto a um restaurante chinês, que tinha deixado comida a apodrecer em sacos na rua. Não foi bonito”, conta Martin. O homem explica que estas invasões de roedores devem-se às medidas de confinamento, que deixaram estes animais sem as suas fontes de alimento habituais (lixo). Com os restaurantes fechados, sem produzir desperdício, as ratazanas foram ‘obrigadas’ a procurar alimento nas casas dos ingleses.


Ator porno espanhol detido por matar com veneno de sapo

Nacho Vidal, arrested for the death of a photographer in a ...

Nacho Vidal, famoso na indústria, está acusado do homicídio de um fotógrafo, durante um ritual místico.

Nacho Vidal, um dos nomes mais conhecidos da indústria pornográfica espanhola, está a dar que falar em todo o mundo depois de, na passada sexta-feira ter sido detido pela polícia espanhola e acusado pelo homicídio de um fotógrafo de moda, José Luis Abad. O crime remonta a julho de 2019, em Enguera, na Comunidade Valenciana, e ocorreu durante um ritual místico, em que os participantes inalam veneno de uma espécie de sapo. Juntamente com Nacho Vidal, outras duas pessoas estão acusadas de homicídio por negligência no caso.

O sapo, uma espécie rara que habita no México, e nos EUA (Califórnia e Arizona), produz um veneno que é uma poderosa substância psicadélica, conhecida como 5-MeO-DMT. O veneno é utilizado, segundo as autoridades espanholas, em rituais místicos nos quais os participantes acreditam que a sua inalação tem benefícios para a saúde (algo sem qualquer base científica).

A polícia espanhola explica que Nacho Vidal organizou uma cerimónia deste tipo na sua propriedade e que "o ritual ancestral aparentemente inofensivo" era uma armadilha, pois "constituía sério risco de saúde a todos os participantes, que eram facilmente influenciáveis por estarem vulneráveis ou por procurarem cura para doenças e vícios usando métodos alternativos".

Os investigadores adiantam que foram vários os rituais deste tipo organizados pelos envolvidos neste caso. Nacho Vidal foi detido e será presente a um juiz em breve.


Autoridades espanholas procuram crocodilo "muito agressivo" no rio Douro




Biólogo analisou as pegadas do réptil e revelou que podem corresponder a um crocodilo do Nilo, uma espécie considerada perigosa.

O Serviço de Proteção da Natureza da Guarda Civil espanhola (Seprona) lançou este domingo uma operação de busca de um crocodilo, com cerca de 250 quilos, que foi avistado no troço do rio Douro entre Simancas e Tordesilhas.

De acordo com os especialistas, trata-se de um crocodilo do Nilo, uma espécie considerada "muito agressiva", tendo sido detetado por três pessoas distintas entre sexta-feira e sábado na zona de Pesquerela, perto de Valladolid.

As buscas das autoridades e dos biólogos arrancaram hoje e contam com 10 pessoas e o apoio de drones, que permitiram já descobrir dois ninhos nesta zona da foz de Pisuerga, no Douro, popular entre pescadores, canoístas e banhistas.

Os ninhos foram já analisados por elementos do Seprona, bem como restos de peixes com mordeduras identificadas que apontaram para um crocodilo do Nilo.

Dois jovens com cerca de 13 anos foram os primeiros a avistar o animal e informaram na sexta-feira a polícia de Simancas, segundo o jornal El País. Um agente deslocou-se no dia seguinte à zona indicada e confirmou o relato dos jovens, pedindo a alguns pescadores para abandonarem a zona, sem, porém, explicar a razão do pedido para evitar gerar pânico.

A área foi entretanto isolada pelas autoridades espanholas, que montaram também algumas armadilhas nos ninhos e na água para tentar capturar o réptil, e será percorrida "com prudência", estando a ser considerada a possível intervenção do grupo de atividades subaquáticas da Guarda Civil e dos bombeiros.



Líder de culto satânico abusa de menores e obriga-os a canibalismo

Líder de culto satânico abusa de menores e obriga-os a canibalismo ...

Líder de culto satânico abusa de menores e obriga-os a canibalismo ...

Estudante de Economia autoproclamava-se ‘O Diabo’ e convencia jovens a atos sexuais dizendo que ganhariam "poderes sobrenaturais".

O caso está a chocar Itália. Um jovem de 23 anos foi detido em Prato, na região italiana da Toscânia, e está acusado de 13 crimes de abuso sexual, escravidão e pornografia infantil. Matteo Valdambrini era líder de um culto satânico e autointitulava-se "O Diabo", aterrorizando os seguidores, alguns menores, e obrigando-os a atos sexuais.

Segundo o Il Messaggero, o homem tratava os seguidores do culto como escravos e sujeitava-os a abusos sexuais durante os rituais iniciáticos, que ocorriam numa floresta. Matteo é estudante de Economia na Universidade de Florença, estando matriculado naquela instituição de ensino desde 2016.

A polícia de Florença procedeu à detenção do jovem na casa que este partilha com os pais. Segundo as autoridades, o culto liderado por Matteo começou há cerca de um ano. Pelo menos 13 jovens terão sido abusados pelo italiano, sendo que a polícia já identificou pelo menos dois menores de idade entre as vítimas.

As primeiras denúncias surgiram em fevereiro deste ano, quando duas vítimas contaram o horror a que tinham sido sujeitas. Outras denúncias de mais crimes do homem depressa começaram a emergir. Segundo a polícia, Matteo convencia os jovens a juntarem-se a ele dizendo que seria ele a "salvar o Mundo" e dizia-se imortal, encetando uma encenação em que parecia morrer estrangulado, levantando-se em seguida.

Quando atraia jovens para o seu culto, ameaçava-os de morte e dizia que, se não seguissem as suas ordens e se sujeitassem aos abusos sexuais, Matteo trataria de matar todos os familiares das vítimas.

Alguns pormenores chocantes do processo foram revelados pelas autoridades. O homem agredia os seguidores com violência, obrigava-os a inalar fumo de cristais queimados e sujeitava-os a rituais com "sangue de dragão e dentadas de vampiro e lobisomem", nos quais mordia os jovens e obrigava-os a ingerir uma substância que, segundo relatado aos meios de comunicação, se trataria de sangue humano. Dizia que estes atos garantiriam "poderes sobrenaturais".

Ainda, Matteo obrigava os menores a enviarem-lhe fotografias nus, dizendo que não eram para ele mas sim para uma entidade sobrenatural chamada Hydrà. As imagens serviriam depois também para chantagem com os jovens, para os obrigar a atos sexuais com o líder do culto.

Matteo encontra-se em prisão preventiva a aguardar início do julgamento.


terça-feira, 26 de maio de 2020

10º ANIVERSÁRIO DO EPHEMERA – O OVNI DE 1957


Alberto Augusto Pereira Gomes Covas, natural de Sesimbra, Setúbal, nasceu em 24 de Março de 1932 e faleceu em 30 de Agosto de 2007. Estudou na Escola Industrial e Comercial Alfredo da Silva, no Barreiro, onde concluiu o Curso Complementar de Aprendizagem de Comércio com a classificação final de 15 valores.

Alistou-se como voluntário na Força Aérea Portuguesa em 6 de Outubro de 1950. Em 26 de Fevereiro de 1955 terminou o Curso de piloto-aviador. Entre meados de 1958 e finais de 1959 fez parte da Esquadrilha Acrobática São Jorge. Em 1961 seguiu em missão para o Ultramar – Moçambique – onde se manteve até Julho de 1963. Ingressou nos Transportes Aéreos Portugueses – TAP – em Setembro de 1963. Por força do regulamento, passou à condição de reformado em 24 de Março de 1992.

Esta é alguma da documentação do seu espólio relativa a um avistamento de OVNIs que mereceu especial atenção dada a qualificação dos pilotos que os observaram.







fonte: Ephemera JPP

Arquivos 16


O Globo, 09 de Setembro de 1944

Arquivos 9


O Globo, 05 de Dezembro de 1951