quarta-feira, 15 de abril de 2015

Elio Canestri, a sétima vítima dos tubarões de Reunião desde 2011


Fotografia © Instagram

Nos últimos quatro anos, este é o 16.º ataque e a sétima morte causada por tubarões naquela ilha francesa do Índico, considerada uma das zonas com mais ataques do género.

Com apenas 13 anos, Elio Canestri passou a fazer parte de uma triste estatística: no domingo, o jovem surfista tornou-se na sétima vítima mortal de ataques de tubarões na ilha da Reunião desde 2011. De acordo com as testemunhas no local, o animal atacou os membros inferiores, superiores e o abdómen do adolescente, que surfava com um grupo de amigos em Aigrettes, na zona de Cap Homard, na costa Oeste da ilha. O ataque ocorreu durante o calendário de treinos oficiais da equipa Francesa de Surf.

Nos últimos quatro anos, este é o 16.º ataque do género naquela ilha francesa situada no oceano Índico. Desde 2011, sucederam-se os casos fatais na ilha da Reunião, situada a leste de Madagáscar. Sete pessoas, entre banhistas e surfistas, perderam a vida nos últimos quatro anos. Outras tiveram menos má sorte: ficaram sem os membros.

Em fevereiro deste ano, uma jovem de 22 anos foi atacada enquanto nadava em Etang Sale. Embora seja considerado um paraíso para o surf, pelas ondas que oferece, o destino tem vindo a ficar manchado devido ao histórico de ataques de tubarões - sendo mesmo considerada uma das zonas do planeta com mais casos do género - com sérios prejuízos para o turismo.