quinta-feira, 23 de abril de 2015

Mulher tinha o embrião da irmã gémea no cérebro


Fotografia © Skullbase Institute, Los Angeles

Americana operada ao que os médicos pensavam ser um tumor descobre que na realidade tinha a "irmã gémea má" alojada na cabeça.

"Era a minha gémea má que me andava a torturar há 26 anos". Foi desta forma, com bom humor, que Yamini Karanam, americana de Indiana, reagiu à notícia de que os médicos tinham descoberto no seu cérebro o feto não desenvolvido da sua irmã.

A intervenção cirúrgica decorreu ontem em Los Angeles e tinha como objetivo remover o que os clínicos pensavam ser um tumor que estava a provocar problemas de concentração e compreensão a Karanam, noticia a NBC.

Veja a reportagem da NBC Los Angeles:

Durante a operação, encontraram o que clinicamente se chama teratoma - o embrião da sua irmã gémea que não se chegou a desenvolver mas que já tinha vestígios de ossos e cabelo.

A intervenção cirúrgica não foi realizada de "cabeça aberta", como costuma dizer-se. Utilizou-se o método da laparascopia, em que se realizam pequenas incisões através dos quais se inserem os instrumentos, com os cirurgiões a serem ajudados por sistemas de imagem computorizada.

Os receios de que se tratasse de um tumor maligno caíram assim por terra, pelo que se espera que Yamini Karanam recupere em pleno.

O seu caso, no entanto, é extremamente raro. "É a segunda vez que vejo [uma situação destas] e provavelmente já retirei sete ou oito mil tumores cerebrais", disse Hrayr Shahinian, médico cirurgião que dirigiu a operação.