quinta-feira, 30 de abril de 2015

Pilares da Criação, berço de estrelas, têm prazo de vida «curto» de 3 milhões de anos


Os Pilares da Criação, berço de estrelas revelado pelo telescópio espacial Hubble, continuam a desfazer-se, desaparecendo ao fim de três milhões de anos, tempo reduzido em astronomia, devido à radiação intensa das estrelas, divulga hoje um estudo.

Uma equipa italo-alemã de astrónomos concluiu que os Pilares da Criação terão uma «esperança de vida» de mais três milhões de anos, «um piscar de olhos no tempo cósmico», segundo o Observatório Europeu do Sul (OES), já que o Universo tem cerca de 14 mil milhões de anos.

Para estimarem o prazo, os especialistas mediram, com o auxílio do espectroscópio MUSE, instalado no telescópio ótico VLT do OES, no Chile, a taxa de evaporação dos pilares - colunas que se formaram em nuvens gigantes de gás e poeira, onde nascem novas estrelas.