quinta-feira, 30 de abril de 2015

Pilares da Criação, berço de estrelas, têm prazo de vida «curto» de 3 milhões de anos


Os Pilares da Criação, berço de estrelas revelado pelo telescópio espacial Hubble, continuam a desfazer-se, desaparecendo ao fim de três milhões de anos, tempo reduzido em astronomia, devido à radiação intensa das estrelas, divulga hoje um estudo.

Uma equipa italo-alemã de astrónomos concluiu que os Pilares da Criação terão uma «esperança de vida» de mais três milhões de anos, «um piscar de olhos no tempo cósmico», segundo o Observatório Europeu do Sul (OES), já que o Universo tem cerca de 14 mil milhões de anos.

Para estimarem o prazo, os especialistas mediram, com o auxílio do espectroscópio MUSE, instalado no telescópio ótico VLT do OES, no Chile, a taxa de evaporação dos pilares - colunas que se formaram em nuvens gigantes de gás e poeira, onde nascem novas estrelas.


NASA detecta possível calota de gelo polar em Plutão


Plutão pode ter uma calota de gelo polar, anunciaram cientistas da NASA, depois de analisar as imagens mais recentes de uma nave espacial que está a aproximar-se do distante planeta anão.

A nave New Horizons vai voar por Plutão a 14 de Julho e já começou o envio de imagens do corpo celeste e de Charon, a sua lua de tamanho semelhante ao Estado norte-americano do Texas.

A NASA combinou 13 imagens tiradas ao longo de seis dias em Abril com material do instrumento de reconhecimento de imagens de longo alcance, LORRI, para fazer um curta-metragem.

Apesar de serem pixelizadas, as imagens mostram áreas claras e escuras na superfície de Plutão.

Essas áreas foram identificadas pela primeira vez com o telescópio Hubble há anos, mas como as características de Plutão estão a tornar-se mais evidentes graças à New Horizons, os cientistas estão a começar a duvidar se uma área de luz intensa indica efectivamente a presença de uma calota polar em Plutão.

«Esse brilho na região polar de Plutão pode ser causado por uma calota de neve altamente reflexiva na superfície», explicou a agência espacial norte-americana.

«A 'neve', neste caso, é provavelmente gelo de nitrogénio molecular congelado. As observações da New Horizons em Julho vão definitivamente determinar se a hipótese está correcta ou não.»

Plutão foi durante muito tempo considerado o nono planeta no Sistema Solar e o mais afastado do sol, mas foi redefinido como um planeta anão em 2006.


África do Sul: leão mata homem em zoológico


Corpo da vítima foi encontrado no horário de alimentação dos leões.

Um leão do zoológico de East London, na África do Sul, matou um homem depois que este entrou no cercado do animal nesta terça-feira, informou uma autoridade do governo.

Imagens das câmeras de segurança mostraram o homem comprando um ingresso e entrando no zoológico perto das 9h da manhã, disse a porta-voz governamental Thandy Matebese ao jornal Daily Dispatch.

“Suspeitamos que ele usou o canto de um muro de segurança e a cerca do recinto do leão para escalar e saltou a cerca”, explicou Matebese. “Seu corpo foi encontrado próximo das 10h, o horário de alimentar os leões”.

fonte: Band

Vaca começa a comer ovelhas em fazenda e deixa família chocada no Quénia



Uma família do Quénia ficou em estado de choque ao perceber que uma das vacas de sua propriedade estava comendo suas ovelhas.

Charles Mamboleo, um fazendeiro, notou que a vaca havia chifrado uma ovelha e começou a devorá-la.

Charles contou que após o primeiro incidente, pensou que a vaca estava passando fome, e resolveu aumentar a oferta de pasto e água. Só que mesmo assim ela continuou atacando as ovelhas. 

O fazendeiro contou que agora tem medo que a vaca tenha sido enfeitiçada.

Mas o especialista Albert Kabugi colocou tal crença abaixo ao afirmar que o que deve estar ocorrendo é a falta de alguns nutrientes na alimentação que a vaca recebe.


fonte: Techmestre

Raríssimo peixe-remo é encontrado na Nova Zelândia





Na pequena cidade de Dunedin, na Nova Zelândia, foi encontrado um raro peixe-remo morto na praia. O que torna o fato insólito é a perda da cauda, que dá indícios de que o animal se automutilou.

O peixe-remo, também conhecido como rei-dos-arenques e regaleco, pode chegar a oito metros de comprimento. Estudiosos indicam, entretanto, que a partir de 1,5 metro o animal começa a sofrer um processo de autotomia, em que liberta partes de sua cauda – mas a razão para isso é desconhecida.

Essa espécie é muito rara e dificilmente encontrada nos mares. Ela tem o hábito de nadar na vertical e vive a cerca de 300 metros da superfície da água. Por muitos anos foi tida como um “monstro marinho”, dada a sua raridade e aparência.

O espécime encontrado na Nova Zelândia foi levado para estudos no Centro de Estudos Marinhos do país. Possuía três metros de comprimento e foi achado morto na praia por um habitante local. “Ele não tem escamas como outros peixes, tinha a pele lisa, como papel alumínio”, explicou David Agnew do Departamento de Conservação.

fonte: Megacurioso

Raro peixe-lua de 1,5 tonelada é encontrado na Indonésia





Pescadores indonésios encontraram um raro peixe-lua de seis metros de comprimento e 1,5 tonelada na costa da cidade de Palu, na província de Celebes Central.

Segundo o Daily Mail, o animal estava em condições críticas. Os pescadores ainda tentaram devolvê-lo ao mar, na tentativa de ajudar na recuperação, mas o peixe acabou por morrer. 

O peixe-lua é o maior peixe osséo dos oceanos e vive 'escondido' em águas de até 600 metros de profundidade.

fonte: Rede TV

Raia manta gigante com mais de uma tonelada é capturada no Peru






Um peixe manta gigante, com 6m de envergadura e mais de uma tonelada, foi capturado por pescadores, na costa de Caleta La Cruz, nordeste do Peru, no último dia 18. 

O animal, que entrou acidentalmente na rede pesca dos homens, precisou ser erguido por uma grua para ser retirado da praia. Uma banhista, que acompanhou a ação, divulgou imagens do bicho em uma rede social. As informações são do jornal Metro.

“Fomos pegos de surpresa quando sentimos o barco inteiro estremecer e dar uma guinada para o lado. Nós olhamos e vimos a criatura sob a gente. Eu nunca tinha visto uma manta ao vivo na minha vida. Infelizmente, ela estava gravemente ferida. Acho que se machucou na hélice do barco. Nós a rebocamos para a praia e chamamos as autoridades”, disse o pescador Franco Vergara, de 39 anos.

Quando as autoridades portuárias e os agentes ambientais chegaram, tiveram de usar uma grua para levantar animal gigantesco. A turista Kelly Cruz Cumpen, 25, que o publicou fotos do peixe manta no Facebook, se impressionou com o tamanho. 

“Quando a puxaram para fora da água, ela estava pingando sangue. Foi muito triste de ver. É uma criatura tão bonita”, disse.

A maior arraia já encontrada tinha 9m de envergadura.

fonte: Extra

Coiotes são flagrados nas ruas de Nova York


Foto cedida pelo Departamento de Polícia de Nova York mostra coiote fêmea após ser capturada, em Nova York, no dia 27 de abril de 2015



Primeiro, um foi encontrado sobre um telhado de Long Island City, depois, no sábado, a polícia apreendeu um espécime na parte baixa de Manhattan e nesta segunda-feira outro foi avistado na frente de uma casa no Queens: os coiotes parecem ser os novos imigrantes de Nova York.

Desde o início do ano, pelo menos cinco desses animais - geralmente associados ao oeste e ao sudoeste dos Estados Unidos - foram localizados em diferentes bairros de Nova York, despertando a atenção dos vizinhos, da imprensa e das autoridades.

Tratam-se de exemplares do chamado "coiote oriental" (cujo nome científico é 'Canis latrans'), que se parecem com cachorros da raça pastor alemão, mas podem ter até 1,5 metro de comprimento.

O evento mais marcante até agora foi a captura, no sábado passado, pela polícia de um coiote em Battery Park City, no sul de Manhattan, não muito longe de onde o novo One World Trade Center está sendo construído.

O animal foi avistado no início da manhã e as autoridades o perseguiram por cerca de uma hora para encurralá-lo perto de um café e sedá-lo com um dardo, disse o Departamento de Polícia de Nova Iorque (NYPD) em comunicado.

"O coiote está atualmente alojado no Centro de Controle e Cuidado Animal" da cidade, informou o NYPD nesta terça-feira em e-mail enviado à AFP.

Na segunda-feira, um morador do bairro de Middle Village (Queens, nordeste), Joe Petito, publicou nas redes sociais uma foto de um coiote escondido atrás de um arbusto em frente a sua casa. 

"Tem um coiote relaxando em frente a minha casa... Sim, em Middle Village", escreveu Petito em sua conta no Twitter.

Antes, no mês passado, outro coiote havia sido flagrado no telhado de um bar em Long Island City (Queens). A polícia tentou capturá-lo, mas não teve sucesso.

No Bronx desde 1990

Contatado pela AFP, o Departamento de Parques da cidade lembrou que "coiotes são comuns em todo o estado de Nova York, incluindo áreas urbanas, como confirmado por observações recentes".

"Não há necessidade de ter medo caso se aviste um coiote. A maioria não é perigosa para as pessoas", disse um oficial do departamento de imprensa, Sam Biederman, detalhando uma série de medidas que devem ser tomadas em caso de encontro, como não alimentá-los ou fazer barulho para mantê-los afastados.

Se no passado a presença de coiotes nos Estados Unidos estava concentrada nas pradarias do meio-oeste e do sudoeste árido, hoje eles podem ser encontrados nas florestas da América do Norte de costa a costa.

Em artigo publicado no ano passado na revista Environmental Protection, do estado de Nova York, o especialista Don Bogan falou sobre "o aumento da presença dos coiotes orientais" e sua presença no subúrbio de Nova York desde a década de 1990.

"Os coiotes vivem no Bronx, o único bairro da cidade de Nova York ligado à parte norte do estado e ao continente. Às vezes, esses exploradores furtivos entram em outros distritos da ilha", escreveu.

Em seu artigo, Bogan disse que um coiote foi fotografado no Queens em 2011 e, dois anos mais tarde, outro foi flagrado em Bridgehampton, Long Island, no leste de Nova York.

Destes dois episódios isolados em 24 meses, os casos aumentaram para pelo menos cinco entre janeiro e abril, embora ainda não se saiba se tratam-se de animais diferentes. 

De acordo com a revista Newsweek, uma coiote fêmea foi capturada em 10 de janeiro passado em Riverside Park, noroeste de Manhattan, e outra no leste da cidade duas semanas depois. Os dois animais foram soltos no Bronx. 

fonte: Yahoo!

Pesquisador flagra estranha taturana com 'tentáculos' no Peru





O entomologista Aaron Pomerantz flagrou uma espécie diferente de taturana durante sua expedição à Amazônia peruana. Inicialmente, ele achou que o animal era um galho, mas então notou que os filamentos da taturana se movem como tentáculos. Ele não conseguiu identificar a espécie, mas acredita que pertença à família das mariposas Geometridae. O animal foi avistado e documentado próximo ao Centro de Pesquisa Tambopata, no sudeste do Peru. 


fonte: UOL

Peixes, rãs e vacas também já caíram do céu


Um misteriosa chuva de peixes cai, de quando em vez, na localidade hondurenha de Yoro

Há quem diga que nenhum lugar é seguro e que algo pode cair do céu a qualquer momento, sem aviso prévio ou explicação plausível - e por vezes carregadas de mistério.

E há quem se dedique a colecionar esses acontecimentos. O blogue Weird Worm, citado pelo jornal espanhol "ABC", diz que há pelo menos uns 600 registos de "chuva" de objetos estranhos.

Um dos mais espantosos - e pelos vistos proveitoso para os seus habitantes, que organizam festivais gastronómicos - é a misteriosa chuva de peixes que, de quando em vez, cai na localidade hondurenha de Yoro.

Acontece, dizem, após grandes aguaceiros e é atribuída pela crendice popular à súplica de certo frade franciscano do século XIX condoído - ou ele próprio aflito - com a escassez de alimento.

Uma hipótese provável é que se trate de peixes subterrâneos (uma das pesquisas indicou que não têm olhos) que emergem à superfície por efeito do enchimento das cavidades pelas chuvadas.

Uma chuva singular de rãs ocorreu na cidade grega de Naphia, em 1981, mas nada teria de milagroso, pois seria explicado por forte ventania que da costa africana as arremessou para a banda helénica.

De susto - e parece que grande estrago nas embarcações - por pouco não morreram certos pescadores japoneses em 1986, quando faziam pela vida no mar de Ojotsk (Sibéria) e viram tombar do céu umas quantas vacas.

O singular maná bovino foi depois explicado pela simples e urgente necessidade de estabilizar um avião russo em que as reses eram transportadas, antes que o aparelho se despenhasse.


Sonda da NASA despenha-se hoje em Mercúrio... de acordo com o planeado


A nave espacial vai criar uma nova cratera numa região, perto do Polo Norte do planeta, já crivada de outras crateras de impacto.Fotografia © NASA/ JHU/APL

A missão Messenger vai terminar esta noite quando a sonda colidir com o planeta a uma velocidade 12 vezes superior à do som e criar uma cratera perto do polo norte.

A sonda espacial Messenger vai despenhar-se esta quinta-feira no planeta Mercúrio, de acordo com os planos feitos pela NASA, a agência espacial norte-americana, para o fim da missão. A Messenger chegou a Mercúrio em 2011 e há muito que já ultrapassou o tempo previsto para a missão, que era de um ano.

Todo o combustível da Messenger, que representava metade do seu peso quando foi lançada da Terra, já está esgotado, pelo que a sonda tem estado a perder altitude com lentidão. A colisão vai acontecer a uma velocidade 12 vezes superior à do som.

A pequena nave de apenas 3 metros vai criar uma cratera muito maior na superfície do planeta, perto do seu polo norte. Isto acontece porque Mercúrio tem uma atmosfera pouco densa, o que explica que já esteja crivado de outras crateras de impacto que se devem a meteoritos. Prevê-se que a colisão tenha lugar um pouco antes das 21.00, hora de Lisboa.

A página da missão Messenger no Twitter tem sido atualizada com informação sobre a sonda. "Quero agradecer a todos os que trabalharam na minha missão e seguiram a minha história!", lê-se numa publicação feita na rede social.

"Bem, sobram-me 3 horas e 26 minutos", 'escreve' a sonda no Twitter.

A sonda espacial saiu da Terra em 2004 para estudar o planeta mais próximo do sol. Está na sua órbita desde 18 de março de 2011, após uma viagem que durou mais de seis anos e meio.Quando se despenhar, terá completado 4104 voltas ao planeta.

As observações do aparelho permitiram dar, por exemplo, apoio à hipótese de que Mercúrio tem água gelada em abundância nas suas crateras polares, que estão permanentemente à sombra. Segundo a equipa científica da missão, a água agora armazenada nos depósitos de gelo das crateras polares parece ter sido transportada para Mercúrio pelos cometas e asteroides que colidiram com a sua superfície.

Além das descobertas científicas, a missão testou com êxito novas tecnologias, que possibilitaram proteger os instrumentos e componentes eletrónicos da radiação solar direta, dada a proximidade do planeta com o Sol.

Uma outra sonda, a BepiColombo, será lançada, em janeiro de 2017, para estudar igualmente Mercúrio, mas numa missão euro-nipónica com tecnologia portuguesa, da empresa Active Space Technologies, que concebeu a mecânica e o isolamento térmico de um dos instrumentos.


Tamanho de pombo e asas de morcego: um dinossauro

Tamanho de pombo e asas de morcego: um dinossauro

Descobertos na província de Heibei, no Nordeste da China, os fósseis do Yi Qi (o nome significa asa estranha), revelaram uma nova espécie de dinossauro pertencente a um enigmático grupo daquela família de répteis, o Scansoriopterygids, um antepassado das aves que só existiu na China.

Ao estudar o achado, os paleontólogos verificaram com surpresa que o pequeno dinossauro, que era do tamanho de um pombo, tinha umas asas muito estranhas e grandes semelhantes às dos atuais morcegos.


quarta-feira, 29 de abril de 2015

Este cientista diz que vai viver até aos 150 anos


Alex Zhavoronkov 

Alex Zhavoronkov, especialista em investigação sobre anti-envelhecimento, garantiu que vai conseguir viver até aos 150 anos.

Para isso, o cientista toma 100 medicamentos por dia e controla diariamente as suas análises clínicas, explica o Independent.

O especialista, director do think tank do Biogerontology Research Foundation, defende que a maior barreira para a longevidade é o impacto psicológico do envelhecimento e explica que desafiar as expectativas que as pessoas têm é uma parte crucial do seu trabalho.

“As pessoas formam as expectativas quanto à longevidade recorrendo à história familiar e à média nacional e não estão preparadas para mudar essas expectativas”, afirmou Zhavoronkov numa entrevista ao Telegraph.

O cientista fez uma aposta de um milhão de dólares com o colega (também especialista em longevidade), Dmitry Kaminskiy, sobre quem iria viver mais tempo e acrescenta que as pessoas que bateram recordes de idade viveram sob condições muito mais duras do que as de hoje em dia.

fonte: Sol

Nave espacial russa em queda não deve apresentar perigo


Uma nave Progress fotografada a aproximar-se da Estação Espacial Internacional em 2010 NASA/REUTERS

O mais provável é que a nave russa descontrolada arda aquando da sua reentrada na atmosfera terrestre.

A nave espacial não tripulada Progress, que levava mantimentos para a Estação Espacial Internacional (ISS) — e que começou a rodopiar descontroladamente após a sua colocação em órbita —, “está a cair em direcção à Terra”, noticiou a agência AFP. Contudo, a possibilidade de causar estragos no solo parece bastante remota.

O foguetão Soiuz que levava a nave Progress M-27M foi lançado na terça-feira, mas as comunicações foram perdidas pouco depois.

“É impossível dizer quando exactamente é que a nave cairá na Terra, isso depende de inúmeros factores", disse à AFP um oficial da base espacial de Baikonur (Rússia), que pediu para conservar o anonimato, admitindo assim que os responsáveis pela missão perderam o controlo da Progress.

Todavia, refere a AFP, a quase totalidade dos engenhos espaciais do mesmo tipo desintegra-se na sua reentrada na atmosfera terrestre — e mesmo se não arderem completamente, os seus fragmentos costumam cair nos oceanos, que ocupam a maior parte da superfície terrestre. Três a quatro naves Progress são lançadas por ano e, uma vez completada a sua missão, ardem na atmosfera por cima do Oceano Pacífico.

Seja como for, a probabilidade de uma pessoa ser atingida por um fragmento da nave em queda é de uma em 3200 — e “a de você próprio ser atingido(a) anda à volta de uma em 2,2 milhões de milhões”, segundo as contas do jornalista James Ball no diário britânico Guardian. “Portanto, se fosse a si, não ficaria muito preocupado(a).”

A Progress M-27M transportava material científico e mantimentos de primeira necessidade — nomeadamente água e alimentos —, mas a sua perda não deverá causar transtornos aos seis membros da tripulação da ISS. Ora, se os astronautas e cosmonautas que se encontram a bordo da estação não tivessem mantimentos suficientes, isso poderia ter causado uma real preocupação.

Mas não é esse o caso: "Os segmentos russo e americano da estação continuam a funcionar normalmente e dispõem de reservas suficientes para subsistir bem para além da data de chegada da próxima nave de mantimentos, prevista para Junho", declarou na terça-feira a agência espacial norte-americana NASA.

Responsáveis da agência espacial russa Roscosmos citados pela imprensa internacional estimam que a queda eventual de fragmentos da nave aconteça entre 7 e 11 de Maio. Até lá, irão monitorizar de muito perto a sua trajectória.

fonte: Público

5 cadáveres humanos que se recusam a entrar em decomposição

Viver, morrer e apodrecer. Esse é o curso natural para a maioria dos seres humanos - mas não pra todos. Ao longo da história da humanidade, alguns corpos se recusaram a se decompor. E estes cadáveres passaram a ser santificados e/ou reverenciadas.

Como a ciência explica esses “milagres”? Ainda não há estudos que provem qualquer coisa. E vale lembrar que as técnicas modernas de embalsamamento surgiram no período da Guerra Civil Americana e, portanto, não estavam disponíveis antes da década de 1860.


1. Santa Zita

Santa Zita foi uma empregada doméstica espanhola. Morreu em 1272, aos 60 anos. Mais de 300 anos depois, seu corpo foi exumado e adivinhem: nenhum sinal de decomposição. O cadáver secou e ficou praticamente mumificado. Hoje, ela está exposta na Basílica de San Frediano, em Lucca, na Itália.


SANTA ZITA (FOTO: REPRODUÇÃO)


2. Dashi-Dorzho Itigilov
Dashi-Dorzho Itigilov era um lama budista russo. Em 1927, ainda vivo, Itigilov pediu para seus companheiros lamas começarem seus ritos funerários. Sentado na posição de lótus, ele morreu durante a meditação.


(FOTO: REPRODUÇÃO)

Em seu testamento, ele pediu especificamente para ser enterrado exatamente como ele havia morrido. Curiosamente, ele também pediu que seu corpo fosse exumado após alguns anos. A partir de 2002, o corpo de Itigilov foi descrito como "na condição de alguém que tinha morrido 36 horas atrás".


3. La Doncella

Cerca de 500 anos atrás, uma garota inca de 15 anos de idade foi levada até as íngremes montanhas argentinas. Um forte golpe na cabeça matou e ela foi mantida sentada com suas roupas e objetos cerimoniais como um sacrifício religioso.


LA DONCELLA (FOTO: WIKIMEDIA COMMONS)

As baixas temperaturas e o ar quase rarefeito dos Andes preservaram o estado do seu corpo durante séculos, até sua descoberta em 1999. Não se sabe o nome da mocinha, mas ela é conhecida como La Doncella (A Donzela, em tradução livre).


4. Lady Xin Zhui

Lady Xin Zhui era a esposa de um nobre chinês durante a dinastia Han, há mais de 2000 anos. Ela viveu uma vida extravagante para o tempo e lugar, comia muita carne e não precisava trabalhar. Todo esse luxo resultou numa morte de ataque cardíaco por conta da obesidade mórbida.


(FOTO: WIKIMEDIA COMMONS)

Quando seu corpo foi descoberto, em 1971, sua pele ainda era suave e suas articulações flexíveis. Não existem motivos para o cadáver de Lady Zhui estar em tão boas condições, afinal não há sinal algum de embalsamento.


5. Santa Catarina Labouré

Santa Catarina Labouré relatou uma visita da Virgem Maria na França, em 1830. Seus contos rapidamente se espalharam por toda Europa e ela passou a ser venerada por católicos de todo mundo.


(FOTO: WIKIMEDIA COMMONS)

Ela morreu em 1876, e ficou enterrada até 1933, quando seu corpo foi exumado, como parte de sua beatificação oficial. Um exame concluiu que "o corpo está em perfeito estado de conservação, e suas articulações ainda são flexíveis". O corpo de Santa Catarina Labouré está exposto em Paris.



10 teorias da conspiração que envolvem tanto OVNIs quanto nazis

A obsessão do Terceiro Reich com esoterismo e ocultismo é bem conhecida. Por isso, talvez não seja muito difícil imaginar que essas bizarras fascinações pseudo-religiosas do movimento possam levá-lo para o reino do paranormal, de encontros com extraterrestres, objetos voadores não identificados (OVNIs) e similares. Além disso, o que não falta é gente com minhoca na cabeça por aí.

Abaixo, examinamos 10 teorias de conspiração com conexões OVNIs e nazis:


10. Die Glocke (O Sino)


Há surpreendentemente pouca informação sobre o que supostamente seria um dos principais projetos de OVNIs dos nazis. Porém, isso só seria mais um argumento para alimentar uma suculenta teoria da conspiração. Chamado de Die Glocke, ou O Sino, acredita-se que o projeto seja fruto da imaginação do tenente-general da SS Hans Kammler.

A nave, que foi batizada por causa do seu formato, seria alimentada por uma substância misteriosa chamada Xerum 525, que era altamente radioativa e exigia um revestimento de chumbo pesado. Os cientistas nazis teriam conseguido fazer a engenhoca funcionar, mas a energia que emanava dela tinha alguns efeitos colaterais não revelados e aterrorizantes, o que teria levado à morte de vários investigadores.

Seres vivos expostos ao campo energético poderiam se decompor e até mesmo os resíduos teriam efeitos muito desagradáveis. Os nazis usariam trabalhadores retirados de campos de concentração para limpar a câmara de teste depois do Die Glocke ser executado.

Quando a guerra estava chegando ao fim, aqueles que estavam trabalhando no projeto teriam sido mortos. O Die Glocke – e o general Kammler – teriam sido levados para outro esconderijo, onde o trabalho na nave misteriosa teria supostamente continuado.

Por mais rebuscados que esses rumores pareçam, há um grãozinho de verdade – um grão que só foi descoberto em 2014. Kammler realmente chefiou um programa de armas secretas e, junto com Heinrich Himmler, foi um dos responsáveis pelo foguete V-2. A descoberta de uma fortaleza e área de testes de armas subterrânea em Sankt Georgen an der Gusen, na Áustria, por um cineasta austríaco deu uma nova e estranha credibilidade à teoria.

OVNIs e teorias da conspiração à parte, acredita-se que o complexo foi construído por vítimas do campo de concentração de Mauthausen-Gusen, e estima-se que algo em torno de 320 mil pessoas morreram na construção do bunker subterrâneo.


9. Ernst Zundel, a negação do Holocausto e OVNIs


A ideia do movimento de negação do Holocausto é inexplicavelmente estranha, mas aí mora outro conjunto de teorias de conspiração. Ernst Zundel esteve na vanguarda do movimento ao longo de décadas – enquanto não estava preso na Alemanha, onde acabou de cumprir pena por incitar o ódio racial. Ao longo da década de 1970, ele era o chefe de uma empresa especializada em publicações nazis e neo-nazis. Mas, além disso, ele também foi um defensor da ideia de que os nazis estavam construindo, testando e voando em OVNIs.

Em 2013, a esposa de Zundel publicou um artigo que, ela alegou, tinha sido escrito por seu marido em resposta a aqueles que argumentavam que o desenvolvimento de OVNIs pelo Terceiro Reich seria absurdo. O texto afirma que o alemão seria uma autoridade no assunto, pois ele escreveu vários livros.

Zundel afirma que está há muito tempo em contato pessoal com Rudolf Lusar, um dos investigadores mais prolíficos da OVNIlogia da Alemanha nazi. Ele garante ser capaz de confirmar que houve considerável desenvolvimento de OVNIs ao longo da guerra, e que o Terceiro Reich tinha conseguido construir naves em forma de disco que poderiam quebrar a barreira do som.

Ele cita também um livro de Renato Vesco, que teria sido chefe da inteligência de aviação de Mussolini durante a Segunda Guerra Mundial. De acordo com a obra, haveria todos os tipos de avanços fantásticos em teste pelos nazistas, de novas ligas e metais até aparelhos esquisitos.

Em última análise, Zundel afirma estar bem informado sobre o desenvolvimento de OVNIs nazis, comentando sobre a tecnologia norte-americana e como ela era primitiva em face dos avanços do Terceiro Reich. E ele insiste em que, um dias desses, todo mundo vai saber que ele estava certo.


8. A base nazi na lua


Se você pensa que as missões da NASA à lua foram por razões científicas, tem gente que acha que você é só um ingênuo que não presta atenção aos sinais.

De acordo com os teóricos da conspiração, a verdadeira razão da NASA e do governo dos EUA terem se envolvido numa corrida para a lua era para ver os nazis que estavam vivendo lá. Aparentemente, em 1957, os russos trouxeram para os norte-americanos a confirmação de que os nazistas usaram sua tecnologia OVNI para fugir para a lua e montar acampamento no nosso satélite natural. Documentos recuperados em Berlim relatariam que Hitler teria descoberto uma substância lunar chamada H3, que ele percebeu que seria capaz de fornecer toda a energia necessária para os seus nefastos planos envolvendo a lua. Os Estados Unidos, naturalmente, estariam mais do que um pouco preocupados com a perspectiva, de modo que a NASA foi formada e a corrida espacial foi lançada.

Mas não é aí que param as alegações absurdas. Também há quem tenha certeza que os Estados Unidos estavam trabalhando em um programa sombrio chamado Projeto A119. Os relatos não confirmados afirmam que os EUA planeavam destruir completamente a lua, usando uma arma nuclear para exibir o poder de fogo americano e fazer a União Soviética pensar duas vezes antes de continuar a Guerra Fria.

Quando nave espacial tripulada da NASA chegou à lua, os astronautas, aparentemente, encontraram a base lunar nazi e conseguiram fotografar tudo. A destruição da nave espacial Challenger na verdade foi, alguns acreditam, causada pela intercepção de uma arma nazi disparada da lua.

Toda essa ideia ganhou alguma força em 2012, com o lançamento e as ações promocionais do filme “Deu a Louca nos Nazis” – que, claramente, não deve ser levado nem um pouco a sério.


7. Giuseppe Belluzzo


Vamos a mais uma teoria da conspiração com pouca documentação para apoiá-la. Giuseppe Belluzo foi o ministro da Economia Nacional na época de Mussolini, e também era um especialista no campo e no avanço das turbinas que eram usadas ​​no desenvolvimento de vários navios de guerra e cruzadores. Ele morreu em 1952, mas, alguns anos antes, de acordo com a história, ele teria procurado a imprensa com algumas histórias bastante bizarras.

Ele havia dito que as turbinas não eram as únicas coisas em que estava trabalhando, e que haveria planos para a construção de aeronaves circulares – planos que estariam em ação desde cerca de 1942. A máquina não seria tripulada, mas conseguiria entregar armas nucleares. Desenhos foram publicados num jornal em 1950, e vários outros supostamente ofereceram mais evidências para essa afirmação.

Um deles era um comandante britânico, que disse que teria recebido uma proposta para uma missão secreta para a Noruega, na qual seu objetivo era destruir a base onde os nazi estavam construindo seus OVNIs. A história também foi ligada a outros relatórios do desenvolvimento de naves em forma de disco com codinomes como “Kugelblitz” e “Feuerball”. A história de Belluzzo foi noticiada em jornais de todo o mundo, inclusive nos gigantes “New York Times” e “Los Angeles Mirror”.

Outro detalhe estranho da história: as matérias afirmavam que os russos haviam capturado pelo menos um protótipo da nave e tinham conseguido fazê-la funcionar.


6. Hitler, OVNIs e Vishnu


Um tema bastante contínuo ao longo da ideia que mistura nazis e OVNIs é a de que Hitler tenha escapado num destes discos voadores e estaria apenas esperando o momento certo para voltar à Terra, estabelecer o Quarto Reich e terminar o que começou. Essa é a basicamente a essência dos ensinamentos de uma mulher que atendia pelo nome de Savitri Devi e, além de sua crença de que Hitler voou num OVNI, a maioria do que ela defende é não convencional, mesmo para os teóricos da conspiração.

Nascida na França em 1905 como Maximiani Portas, descobrir os textos de HP Lovecraft e Thomas Bulfinch acabaria por moldar seu sistema de crenças. Crente na existência dos deuses gregos, ela acabou viajando por Jerusalém – e saindo da experiência com um anti-semitismo profundamente enraizado. Ela escolheu o seu nome hindu depois de vagar pela Índia, onde decidiu que o uso da suástica nazi era claramente um indicativo da bondade que cercava os nazis e seus ensinamentos, e que Hitler era uma encarnação de Vishnu.

Vishnu é um dos três deuses primários no triunvirato hindu, geralmente retratado como o maior deles. Enquanto os outros são o criador e o destruidor, Vishnu é o protetor, aquele que representa a luz e o sol, e é responsável por preservar a mente, o corpo, a existência da humanidade e “Om”, o som do mundo.

O relacionamento da Índia com a Alemanha nazi era compreensivelmente complicado, equilibrando o sentimento anti-britânico com os horrores que lentamente começaram a atingir as pessoas depois da guerra. Savitri Devi, porém, não tinha dúvidas das virtudes de Hitler, do Terceiro Reich e de seu trabalho. De acordo com os panfletos que publicou, ela tinha estado em contato com os membros do círculo interno da SS, que teriam assegurado que os trabalhos com seus discos voadores teriam sido concluídos e que sua encarnação de Vishnu estava segura, viva e bem.


5. Vril, Thule e OVNIs


Este é um daqueles casos complicados em que é absolutamente incerto onde termina a verdade e começa a ficção, por isso vamos nos ater a contar a história.

Vril e Thule são duas sociedades secretas que supostamente estariam ativas dentro dos escalões da Alemanha nazi, como uma espécie de corrente clandestina trabalhando para levar Hitler ao poder. O Terceiro Reich era apenas uma fase e o Quarto Reich – que, teoricamente, ainda está por vir – seria um governo mundial. O Quarto Reich agora foi rebatizado Allied Union e seu logotipo também teria sido atualizado, se transformando num “AU” envolvolto por um círculo – alguns acreditam que o símbolo tenha sido visto em naves alienígenas que visitam a Terra há décadas.

A Thule original era um local, que tinha fama de ser na Escandinávia ou, segundo alguns, conectado com a mítica cidade perdida de Atlantis. Contudo, ela também já foi ligada ao partido nazi por místicos que “estudaram” o ocultismo na esperança de encontrar o lar original da raça ariana. Thule teria sua base principal OVNI na Antártida e haveria planos para tornar este o centro do próximo governo mundial. Vril é o círculo interno, a elite de Thule, e desde o fim da Segunda Guerra Mundial estariam trabalhando lado a lado com o governo dos Estados Unidos.

É dito que Vril, supostamente uma palavra suméria que significa “semelhante a Deus” (mesmo que não exista “V” em sumério), teria sido fundada por um grupo de místicos com o duplo objetivo de despertar e entrar em contato com os mestres de Thule, de usar seus poderes espirituais ocultos, e na construção de uma nave para ir a Alpha Tauri, a casa dos aliens. Foi supostamente os nazis que, com suas pesquisas sobre o oculto, descobriram pela primeira vez como canalizar essa energia alienígena e adaptar a tecnologia alienígena para seu próprio ofício interestelar.

E isso tudo é só o mais básico dessa história toda, que contamos em poucas palavras e de forma muito condensada. Uma nota de rodapé: o termo Vril teria sido usado pela primeira vez em 1870, no livro “O Poder da Raça Futura”, de Edward Bulwer-Lytton. A história vai bem nas linhas das ideias que foram transferidas para os nazis, dando origem, em grande parte, à popularidade da ideia de OVNIs nazis.


4. Haunebu 1 e o Brasil


Estava demorando para chegarem nas nossas terras inóspitas.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, uma série de pessoas que ocupavam altos cargos alemães fugiram do país – e das consequências que eles sabiam que viriam após as atrocidades cometidas em nome do Terceiro Reich. Assim, não é de todo surpreendente que muitos deles tenham levado a ideia do OVNI nazi na bagagem.

De acordo com esta história, os nazis tiveram sucesso na construção de uma nave alienígena com base em uma tecnologia qualquer com a qual estavam realizando experiências. A maior delas teria sido batizada Haunebu 1 e, ainda que fosse funcional, não era funcional suficiente para ser útil. Ela ainda teria problemas de controle e uma teoria sugere que os nazis não apenas encontraram ou recuperaram tecnologia alienígena: eles fizeram um acordo para obtê-la. Os alienígenas – como quaisquer bons negociadores – não deram todas as suas informações de imediato, e guardaram alguns detalhes. No momento em que os nazis haviam descoberto isso, eles já tinham arruinado a sua parte do acordo e ficaram com um disco voador funcional, mas inútil.

O Haunebe 1 teria sido supostamente trazido para o Brasil – o nosso país é renomado por suas aparições de OVNIs. De acordo com o escritor Randolph Winters, há uma base militar em terras tupiniquins que é dedicada a dar continuidade à pesquisa e construção de OVNIs nazis. A base, executada pela inteligência alemã, seria responsável pela maioria dos avistamentos de OVNIs em todo o Brasil.


3. Operação Highjump


Os registos oficiais da Operação Highjump indicam que houve vários objetivos diferentes dadas à missão, em 1946. Parcialmente, a missão foi realizada para fornecer às tropas americanas treinos para o tempo frio e clima extremo. Isso baseado na ideia de que se a União Soviética decidisse atacar, era provável que eles o fizessem cruzando o Polo Norte e poderia ser necessário enviar tropas para a região para conter esse avanço. Uma razão mais confidencial para a missão era a de que ela permitiria que a Marinha dos Estados Unidos tomasse terras do outro lado do mundo, na Antártida.

Mas, embora a ação de treinamento (realizada no hemisfério sul para evitar o inverno do norte) tivesse começado dando alguma noção aos militares do que os esperava no polo – e tenha iniciado a era do mapeamento fotográfico -, ela não alcançou muito mais.

Isso, de acordo com os teóricos da conspiração, é porque a frota foi frustrada pelos OVNIs nazis que estavam instalados na base de lá. De acordo com as declarações de alguns que haviam servido a bordo de navios utilizados durante a Operação Highjump, eles não tinha ideia do que estava acontecendo – eles ouviram o disparo e responderam à situação, mas não tinha ficado claro no momento o que eles estavam enfrentando.

O almirante Byrd que, na teoria, era o encarregado da operação, teria feito algumas declarações que sugeririam que havia algo além das condições extremas no polo envolvido na missão. Algumas de suas observações fariam referência a uma nova guerra, discos voadores e à necessidade de bases defensivas que protegeriam o resto do mundo de tudo que a Operação Highjump tinha encontrado.

Esta teoria é supostamente apoiada na ideia de que cerca de 250 mil pessoas alemãs ficaram desaparecidas após a guerra – e claramente a explicação mais lógica seria que eles estavam manejando a base polar que frustrou Operação Highjump. Há até mesmo cópias online do que supostamente seriam os registos e o diário de viagem do almirante Byrd, chamado “The Inner Earth: Meu Diário Secreto”. O diário conta que, a princípio, os militares encontraram sinais clássicos de atividades alienígenas, como o mau funcionamento de equipamentos e tecnologia e, em seguida, conta uma incrível história que envolve mamutes, cidades brilhantes e militares impossivelmente altos, louros e com sotaque alemão que os escoltaram até a sua fortaleza.


2. A fortaleza na Antártida


A ideia desta fortaleza na Antártida é possivelmente uma das mais duradouras de todos os mitos de OVNIs nazis. De acordo com o diário do Almirante Byrd, o interior da base é brilhante e bonito, bonito demais para ser descrito em palavras. Entretanto, tal beleza seria obscurecida pela presença do Mestre, que promete um fim para a Terra e as pessoas que nela habitam.

Uma das versões mais conhecidas da história diz que, em 1938, um grupo de exploradores alemães foi enviado para mapear a Antártida. Quando o fizeram, eles encontraram uma série de enormes cavernas subterrâneas aquecidas por rios. A maior das cavernas se tornou a base 211, e até o final da guerra foi a nova casa da Thule, da SS, e de pesquisa, desenvolvimento e fabricação de instalações nazis. Após a rendição oficial da Alemanha e o fim da guerra, Hitler, Eva Braun e um punhado de outros nazis de alto escalão embarcaram num barco U-boot e se dirigiram para a base 211.

Esta não é uma teoria nova; já estava circulando em 1952. As sementes da dúvida foram colocadas quando autoridades aliadas fizeram comentários sugerindo que eles não haviam confirmado a morte de Hitler. Parecia plausível que ele poderia ter fugido e possível que tivesse havido algum tipo de “plano B”. Foi nessa época que o nosso velho conhecido Ernst Zundel começou a apostar em teorias da conspiração.

E, como muitas teorias da conspiração, há um grão de verdade nesta – na primeira parte dela, pelo menos. Em dezembro de 1938, houve uma expedição alemã para a Antártida, mas era para determinar se valia a pena ou não estender o território baleeiro do país até mais ao sul. Havia outras expedições de acompanhamento previstas, mas a escalada das tensões no front da guerra pôs um fim a elas.

1. Roswell e os OVNIs nazis


Qualquer pessoa com um breve interesse em discos voadores já conhece um pouco do mistério que envolve o que foi denominado “Área 51 do Novo México”.

O suposto acidente aéreo de 1947 e o abafamento do caso têm alimentado a retórica dos teóricos da conspiração há décadas, e uma hipótese sustenta que os norte-americanos estariam testando tecnologia OVNI que havia sido apreendida dos alemães no final da guerra. Alguns até acreditam que era o Die Glocke encontrando um final bastante ignóbil no meio do deserto.

Alguns vão mais longe ainda, sugerindo que não eram exatamente os EUA experimentando com tecnologias alemãs de fabricação de discos voadores, mas que a cidade de Roswell era a casa de uma sociedade ultrassecreta que estava continuando o trabalho dos nazis para a criação do Quarto Reich e que teriam se mudado para lá após a guerra. Outra hipóstese é a de que os membros desta sociedade teriam sido raptados e convocados para o serviço militar norte-americano, descodificando e revertendo a engenharia da tecnologia alienígena com a qual vinham trabalhando há tempos.

Alguns teóricos da conspiração, enquanto isso, estão do outro lado, argumentando que a tecnologia alienígena poderia estar envolvida no incidente de Roswell, mas que o Terceiro Reich não tinha nada a ver com isso. Eles apontam para alienígenas pequenos, do tamanho de crianças, como prova disto. Mas não se decepcione: mesmo neste caso, ainda há uma explicação digna do nazismo, já que os médicos nazis realizariam experiências em crianças prisioneiras.

Tem sido sugerido que os aliens pequenos de pele cinzenta eram, na verdade, crianças humanas, frutos de engenharia genética e má formação, criadas por Josef Mengele para serem colocadas nas naves e desempenharem algum papel não determinado no acidente.

Ufa, acabamos! Ou não? [Urban Ghosts]

fonte: Hypescience

Nova vacina reforça sistema imunitário para portadores de VIH


Fotografia © EPA/JEAN-CHRISTOPHE BOTT

Investigadores foram capazes de produzir uma resposta imune para evitar a progressão da doença.

Uma vacina que contém uma proteína necessária para a replicação do VIH pode reforçar o sistema imunitário dos infetados com o vírus, refere uma investigação publicada pela revista "Retrovirology".

O reforço do sistema imunitário dos pacientes pode ter como resultado um aumento da eficácia dos fármacos antirretrovirais, assinala o estudo.

Quando uma pessoa é diagnosticada com o VIH é submetida a uma terapia denominada HAART, na sua sigla inglesa, à base de medicamentos antirretrovirais que podem conseguir que o vírus deixe de se reproduzir quase completamente.

Os especialistas sabem que o vírus pode manter a reprodução a níveis baixos e acumular-se de forma latente nos chamados "reservatórios" que se localizam por todo o corpo, podendo causar complicações e até a morte por doenças não relacionadas com a Sida.

Na fase inicial da infeção por VIH é produzida uma proteína vírica denominada "Tat" que tem um papel fundamental na replicação do vírus e a progressão da doença ao debilitar o sistema imunitário do doente.

Desenhando uma vacina que incorpora uma pequena quantidade da proteína "Tat", os investigadores foram capazes de produzir uma resposta imune para evitar a progressão da doença.

"Pela primeira vez provámos que a terapia antirretroviral pode ser intensificada com uma vacina", indicou a responsável da equipa de investigadores, Barbara Ensoli, do Instituto Superior Saúde de Roma.

O ensaio clínico foi realizado em 168 pacientes com VIH que receberam a vacina com diferentes concentrações de "Tat" durante períodos de três a cinco meses e que foram combinadas com o tratamento HAART.

Os investigadores perceberam um reforço do sistema imunitário e vão agora realizar um novo estudo de confirmação das conclusões, mas defendem que os resultados são prometedores para o tratamento do VIH no futuro.


Audi mistura ar e água e cria diesel não poluente


Amostras do novo diesel feito de ar e águaFotografia © Audi

O fabricante automóvel alemão Audi conseguiu criar um diesel sintético, não poluente, a partir do hidrogénio da água e de dióxido de carbono. Está numa fase inicial de testes, mas poderá ser uma revolução nos combustíveis.

Um programa experimental da Audi, fabricante automóvel do grupo Volkswagen, em conjunto com a empresa energética Sunfire criou um combustível semelhante ao diesel que usa como matérias primas apenas água e dióxido de carbono, noticia a edição britânica da revista Wired.

Este novo composto tem potencial para se tornar num combustível não poluente, no sentido em que é "neutro" a nível do carbono - ou seja, o dióxido de carbono que retira da atmosfera é equivalente aquele que é libertado durante a sua utilização.

O combustível é conseguido através da separação do hidrogénio e oxigénio do vapor de água. O hidrogénio depois é colocado em reatores sob alta pressão e temperatura juntamente com dióxido de carbono - para já este foi fornecido por gás natural, mas os investigadores dizem que podem capturá-lo da atmosfera. O produto é um líquido sintético designado "crude azul" que, tal como o crude do petróleo, pode ser refinado numa espécie de bio-diesel (veja um esquema da Audi aqui).

A Audi já testou com êxito este combustível misturado com diesel "normal" mas, segundo os investigadores acreditam que não haverá grandes obstáculos para que seja usado como combustível único nos motores dos automóveis.

O maior problema atualmente prende-se com a quantidade de produção. O laboratório em Dresden onde as experiências estão a ser realizadas tem capacidade de produção de 3 mil litros nos próximos meses. Como escreve a Wired, só os EUA consomem 622 mil milhões de litros de combustível por ano.


Lagos subterrâneos na Antártida podem ter vida


Prospeção eletromagnética revelou rede de reservatórios subterrâneos. Tudo indica que tem vida microbiana.

Sob os glaciares desérticos de Taylor Valley, na Antártida, há uma rede subterrânea de lagos salgados - e, possivelmente, cheios de vida microbiana -, que até agora era desconhecida.

A descoberta foi feita graças a uma prospeção eletromagnética realizada durante uma série de voos de helicóptero e, além de permitir agora aprofundar o estudo da história climática daquela região do planeta, vem reforçar também as esperanças de existir vida microscópica em planetas do sistema solar, como Marte, ou em luas de Júpiter, como Europa ou Ganimedes, e de Saturno, como Encélado.

Num estudo publicado ontem na revista Nature Communications, a equipa que integrou investigadores norte-americanos, dinamarqueses e franceses e que foi coordenada por Jill Mikucki, microbióloga da Universidade de Tennessee, Knoxville, nos Estados Unidos, descreve o achado e defende que aquela rede de água subterrânea é um potencial habitat de vida microbiana prístina e intocada há milhares de anos.


terça-feira, 28 de abril de 2015

NASA usa rochedo para evitar asteróides


A agência espacial norte-americana vai lançar um rochedo para a órbita da lua para estudar formas de defender o planeta do impacto de asteróides

A NASA planeia cortar um pedaço de um asteróide com um braço robótico e lançá-lo para a órbita da lua para estudar o rochedo. A missão, intitulada Redireccionar Asteróides, vai permitir à agência estudar tecnologias que podem ser usadas para levar humanos até Marte.

A agência também irá estudar técnicas que podem ser usadas para atirar um asteróide fora de curso quando um vier em direcção ao planeta Terra.

A missão será executada apenas em 2019. Nesse ano, os cientistas irão escolher um asteróide e, no ano seguinte, uma nave espacial não-pilotada será enviada com um braço robótico para cortar uma parte do asteróide. Já foram identificados três candidatos e a agência planeia encontrar mais. Depois serão analisados pela forma, tamanho e órbita.

A mesma tecnologia poderá ser usada para redireccionar asteróides. A nave espacial com braços robóticos poderá viajar até ao asteróide e a sua gravidade poderá atirar o asteróide para fora de curso, sem sequer tocar-lhe. Isso funcionará ainda melhor se o robô conseguir agarrar um rochedo e assim aumentar a sua massa e força gravitacional. 

fonte: Sábado

Estados Unidos desenvolvem bala com sistema de navegação

Resultado de imagem para Estados Unidos desenvolvem bala com sistema de navegação

A Agência de Projectos de Pesquisa Avançada de Defesa criou uma munição especial de .50mm que consegue mudar de trajectória em pleno voo, para que nunca falhe o alvo

A agência norte-americana de Projectos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA), está a desenvolver um projéctil de .50mm capaz de mudar de trajectória em pleno voo para que atinja sempre o seu alvo. Sem dar informações específicas de como a munição funciona, a DARPA diz que a bala é guiada através de um "sistema de navegação óptico".

A munição de .50mm é disparada de uma espingarda normal, mas o projéctil consegue compensar em vários factores como o tempo, vento e a deslocação do alvo. No vídeo é possível ver que até um atirador sem experiência consegue atingir o alvo.


A tecnologia vai permitir melhorar o alcance e exactidão dos atiradores furtivos e tornar estas espingardas mais viáveis para serem usadas em locais habitualmente com ventos fortes.

fonte: Sábado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...