sábado, 11 de abril de 2015

Uma explicação incomum para as marcas de nascença


Um menino nascido com uma marca de nascença na cabeça afirma estar relacionada à morte violenta em sua vida passada. O menino fez parte de um estudo da Universidade de Virgínia (Screenshot/YouTube)

Uma idosa faleceu na Tailândia desejando reencarnar como um menino. Sua filha, mergulhou o dedo na tinta branca e marcou a parte de trás do pescoço da mulher com a tinta.

Não muito após a morte da idosa, a filha deu à luz a um menino com uma marca branca atrás de seu pescoço, exatamente da mesma forma daquela que estava no pescoço de sua falecida mãe. Quando o menino começou a falar, passou a pedir as coisas que eram de sua avó, como se fossem dele.


Um menino tailandês com a marca idêntica àquela que foi feita no pescoço de sua avó pouco antes dela morrer (Screenshot/YouTube)

Este é um dos casos relatados pelo Dr. Jim Tucker da Universidade de Virgínia no qual estuda a possibilidade de marcas de nascença estarem relacionados com mortes violentas em vidas passadas.

O Dr. Tucker tem dado continuidade ao trabalho do falecido Dr. Ian Stevenson, que investigou 210 casos de crianças com marcas ou defeitos de nascença relacionadas a memórias que possuíam de vidas passadas.

Stevenson conseguiu um relatório de pós morte em 49 casos. Em 43% dos casos, a ferida e a marca de nascença localizavam-se no corpo a uma diferença de no máximo 10 centímetros quadrados, e muitas estavam basicamente na mesma localização.

Em algumas culturas, é comum marcar os mortos com fuligem ou tinta para que sejam reconhecidos quando reencarnarem.

Aqui, reunimos alguns exemplos de marcas de nascença relacionadas a memórias de vidas passadas estudadas por Stevenson.

Um menino nascido na Índia sem os dedos da mão direita relembrou que, em sua vida passada, havia sido uma criança que havia perdido seus dedos após ter sua mão presa em uma máquina de corte de forragem.


Um garoto na Turquia com a orelha direita malformada lembrou de ter levado um tiro mortal exatamente neste lado da cabeça.

Inclusive, um menino chamado Maha Ram na Índia, pôde relembrar que levou um tiro à queima roupa de uma espingarda. 

Ele conseguiu relembrar detalhes suficientes de sua vida passada para que Stevenson encontrasse o laudo necroscópico do homem que havia reencarnado como Ram. As marcas de nascença no peito de Ram correspondem a ferimentos de bala.

Alguns relatos anedóticos de marcas de nascença de vidas passadas que não foram verificados são discutidos em um blog diariamente.

Karen Kubicko postou suas fotos com uma marca de nascença no pescoço e uma foto sua mais tarde sem a marca. Ela disse que lembrou em 2011 que havia sido, numa vida passada, uma mulher chamada Helen que foi atingida por uma bala perdida e morreu em 1927.

A marca seria o local onde a bala teria atingido, na opinião dela. Após relembrar do facto, a marca gradualmente desapareceu.

Outra pessoa alega neste blog de discussão, que possuía uma marca atrás de sua perna. Ela relembrou que em uma vida passada havia sido mordida por uma cobra na mesma área. 

Alguns anos após relembrar o ocorrido, notou que a marca havia desaparecido. Ela alega que não expõe muitas vezes a área, por isso não se pode culpar o desaparecimento a elementos externos ou exposição solar.

fonte: Epoch Times