quinta-feira, 9 de abril de 2015

O que está dentro de uma caixa negra?


Descubra ainda qual é a principal fabricante destes aparelhos e o que as torna tão resistentes aos acidentes


Há outro nome para caixas negras?

Sim: registadores de voo.



Qual é a principal fabricante de caixas negras?

É a norte-americana Honeywell, cujos equipamentos estão em duas grandes construtoras de aviões: a Boeing e a Airbus. "Fabricam os dois tipos de caixa", afirma Álvaro Neves. Contactada pela SÁBADO, a empresa não se mostrou disponível para responder às nossas perguntas durante os próximos meses.



Como é feita a sua manutenção?

"As caixas têm de ser calibradas entre certos períodos de tempo: é respeitado um plano de manutenção por cada operador, como por exemplo a TAP", explica António Neves. A calibração tem de estar de acordo com o fabricante para as caixas conseguirem cumprir a sua vida útil: "entre 25 a 30 anos", é a estimativa do director do GPIAA.




Como se faz a análise dos dados?

A informação contida na caixa negra é chamada dados rogue, e estes têm de ser retirados com software e hardware específico. O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves está a tentar adquirir equipamentos próprios para fazer o download dos dados, mas até agora têm de pedir a congéneres estrangeiras para tratar a informação, como por exemplo a BEA (França), a AAIB (Reino Unido) e a CIAIAC (Espanha), que demoram cerca de uma semana a reenviá-la para o nosso país. Com o ficheiro de áudio do cockpit e os dados do voo, todos os procedimentos são verificados e "dependendo do tipo de acidente, é analisada a aproximação do avião ou a velocidade, por exemplo", explica Álvaro Neves. 



Todas as aeronaves são obrigadas a ter caixas negras?

Não. De acordo com o regulamento nº 833/2010 do Decreto-Lei n.º 40/2006, publicado em Diário da República, só as aeronaves cuja massa máxima à descolagem (o peso total autorizado para o voo) seja superior a 27 mil quilos é que são obrigadas a estabelecer e manter "um programa de análise dos parâmetros de voo". Por isso é que há muitos acidentes com avionetas que são investigados sem recurso a caixas negras.



Que tamanho têm as caixas negras?

Hoje em dia, o gravador de voz do cockpit e o gravador de dados de voo "têm entre 30 a 35 centímetros de comprimento e 15 de largura. Pesam entre cinco a seis quilos", afirma Álvaro Neves. As antigas eram bem mais pesadas e maiores. "Tinham dez quilos à vontade, já pegou em alguma?", questiona Álvaro Neves.



O que está dentro de uma caixa negra?

As duas caixas são compostas por uma bateria, uma unidade de memória (que armazena os dados captados pelo aparelho, e que nas caixas negras modernas consiste em cartões de memória), uma placa de circuitos electrónicos (que faz com que o aparelho funcione), o localizador que emite o pinger (o sinal enviado pela caixa negra, quando está debaixo de água e que facilita a sua descoberta) e a interface onde se ligam todos os dispositivos que recolhem os dados pelo avião. 

fonte: Sábado