terça-feira, 14 de abril de 2015

Curiosity descobre pista para a existência de água líquida em Marte


O robô Curiosity está a explorar a superfície de Marte. Fotografia © NASA/JPL

A possibilidade de formação de água líquida na superfície do planeta vermelho deve-se a um sal que existe no solo marciano.

Ao contrário do que se pensava, afinal existem condições emMarte para a formação de água em estado líquido, revela uma investigação publicada esta segunda-feira na revista Nature. O robô Curiosity, que se encontra numa missão no planeta vermelho, ajudou perceber como, nalgumas estações do ano e durante a noite, água salgada pode existir na superfície de Marte.

Os investigadores que analisaram dados do Curiosity mostraram que é possível que exista água líquida muito salgada em camadas finas em Marte durante as estações de inverno e primavera no planeta, que se forme durante a noite e evapore ao nascer do sol.

Devido à pressão atmosférica muito baixa, a água que existe em Marte transforma-se diretamente de gelo em gás, sem passar pelo estado líquido. No entanto, os dados recolhidos pelo robô Curiosity acerca das condições climáticas e do solo em Marte permitem concluir que, graças a um tipo de sal que existe no solo marciano, é possível a água líquida surja durante a noite.

Esse sal tem a capacidade de absorver vapor de água da atmosfera e de baixar a temperatura a que a água congela, permitindo que esta permaneça em estado líquido a temperaturas mais baixas do que sem a sua presença. Durante a noite, é possível que se formem finas camadas de água salgada líquida, que se evaporam ao nascer do sol.

A água em estado líquido é considerada, como relembra o principal autor da investigação, o espanhol Javier Martin-Torres, "essencial à vida como a conhecemos". Citado no comunicado da agência espacial norte-americana, NASA, Martin-Torres explicou que "as condições junto à superfície de Marte hoje em dia não são favoráveis para a vida microbial como a conhecemos, mas a possibilidade de soluções salgadas líquidas em Marte tem implicações mais amplas" no estudo do planeta.

O cientista ressalvou, porém, que o Curiosity ainda não detetou estas soluções salgadas em estado líquido, mas sim as condições para que estas existam. A equipa de comunicação da NASA aproveitou a conta no Twitter para destacar o mesmo facto.