sábado, 13 de junho de 2015

Família mata homem em Luanda por suspeita de feitiçaria


As autoridades alertam que este tipo de crime tem vindo a crescer.

Um homem de 57 anos foi espancado até à morte pela mulher, filha e genro, no município de Cacuaco, arredores de Luanda, acusado por estes familiares da prática de feitiçaria, informou esta terça-feira a Polícia Nacional.

Depois das agressões fatais, os suspeitos atearam fogo ao corpo do homem, um tipo de crime que, segundo as autoridades, tem vindo a crescer e que se insere na crença popular no oculto.

As duas mulheres já se encontram detidas, à guarda da Polícia Nacional, que está no encalce do terceiro suspeito, o genro da vítima.

Durante o mês de maio, um outro crime chocou a sociedade angolana, com a detenção em Luanda de um homem, seropositivo, acusado de violar repetidamente o enteado, menor de idade, seguindo "instruções" de um feiticeiro para poder "ficar rico", como o próprio reconheceu.

São também conhecidos vários casos de crianças abandonadas pelos familiares, acusados de feitiçaria.