domingo, 28 de junho de 2015

Ex-chefe de polícia diz que reabriria investigação sobre morte de Cobain


Norm Stamper








O policia responsável pela investigação da morte do músico do Nirvana, Kurt Cobain, disse que, se ainda estivesse no comando da instituição, reabriria as investigações do caso. 

Encontrado morto em 1994 num caso que, na época, foi classificado como suicídio, Cobain era um dos ícones da cena musical conhecida como grunge, e sua morte gera polémica desde então.

Norm Stamper, que chefiou o departamento policial da cidade de 1994 a 2000, afirmou, em entrevista para o documentalista Benjamin Statler, que reabria a investigação sob a suspeito do músico ter sido assassinado.

A versão oficial aponta que Cobain se matou com tiro de espingarda na cabeça em 5 de abril de 1994, dentro de sua casa em Lake Washington, nas redondezas de Seattle. O comportamento volátil do músico sempre foi alvo de especulação, e deu origem a teorias de que ele na verdade teria sido morto.

Diretor do documentário "Soaked in Bleach", Statler realizou o documentário com base nas evidências recolhidas pelo detetive particular Tom Grant, que foi contratado pela esposa de Cobain, Courtney Love, quando o músico desapareceu poucos dias antes de sua morte.

"Nós deveríamos ter estudado melhor os padrões de comportamento dos indíviduos que tinham um motivo para querer Kurt morto", afirma Stamper em sua entrevista no documentário. Ele diz que não acredita que o músico tenha sido vítima de algum tipo de confusão, mas gostaria que a polícia revisse os documentos sobre o caso.

fonte: Rede TV