sábado, 20 de junho de 2015

Crianças abduzidas

Atualmente, existem milhares e milhares de relatos de pessoas que foram abduzidas por alguma raça de extraterrestres. Sendo que, normalmente, a raça responsável por abduções é a descrita como: Cinzentos, altos, cabeça grandes e olhos compridos.

Neste caso a raça dos extraterrestres que foram responsáveis pela abdução é a mesma, porém as vítimas são outras! Confira nas linhas abaixo a história de quatro crianças que foram abduzidas na Argentina.

Crianças Argentinas Abduzidas


O facto ocorreu no dia 09 de agosto de 1992, quando quatro crianças jogavam bola num campinho de terra, numa pequena cidade no interior da Argentina. As crianças tinham entre 3 e 6 anos de idade.

Segundo elas mesmas e sete pessoas que moravam próximas ao campinho de terra, por volta das vinte horas, um objeto voador não identificado pairou no céu e uma forte luz banhou toda a vizinhança.

Quando a luz sumiu, as crianças sumiram com ela. Uma vizinha, que conhecia a mãe das crianças, foi até a casa da mulher lhe informar do ocorrido. No início, a velha senhora não acreditou muito no que sua amiga lhe contara. Afinal, não é qualquer pessoa que aceita o fato de que seus filhos foram abduzidos por uma nave espacial, tão facilmente.

Mas, com o cair da noite e a chegada do dia seguinte, o sumiço era notável. A mulher foi até a delegacia local e deu queixa, fazendo com que a polícia iniciasse imediatamente as buscas. A notícia foi rapidamente veiculada em um jornal da região, correndo boa parte de todo o território argentino, fazendo com que a história se tornasse muito famosa entre loshermanos.

As buscas da polícia local não vinham dando nenhum resultado quando, três dias após a abdução dos quatro irmãos, a mesma vizinha encontrou-os no campo de terra, de onde haviam sumido.

Isso não foi muito bem interpretado pela polícia, que a colocou como principal suspeita pelo “sequestro” dos irmãos. Acusação que, ao longo da investigação, a mulher foi absolvida.

Para onde vão os abduzidos?


Essa é uma questão que somente as inocentes crianças podem responder, sem o medo de serem julgadas como loucas ou repreendidas por pessoas que acreditam que elas apenas querem atenção.

Segundo as mesmas, elas foram levadas para um Tour Espacial. Visitaram vários locais da nossa galáxia. Sempre acompanhadas por um guia, que lhes contava tudo que estavam vendo e explicava como funcionavam os sistemas galácticos.

“Ele usava roupas douradas e tinha longos cabelos prateados e era todo magrinho“, disse Maria Molero, a mais velha dos irmãos abduzidos. “Ele era um bom homem e nos disse para chamá-lo de Laiar. Ele nos mostrou a lua e outros lugares no céu e disse que eles vinham das estrelas.”

As crianças, no seio de sua inocência, acreditaram que aquilo se tratava de um passeio com Deus, ou melhor, de acordo com as palavras de Maria Molero “Uma grande nave dourada nos levou para o céu e foi conduzida por Deus – Eu sei que era Deus! ”.

Os irmãos de Maria confirmaram sua história e disseram que ficaram com um pouco de medo, mas não muito. Pois os “sequestradores” eram pessoas legais. Segundo Jorge Molero, eles tiveram medo apenas quando o homem usou um objeto que tinha uma agulha na ponta, para raspar o rosto deles.

“Mas eles não queriam machucar”, afirma o garoto com toda a certeza que somente seus 5 anos de vida poderiam lhe garantir. Ainda segundo Jorge “Havia um milhão de botões e luzes. O homem parecia engraçado, porque ele tinha uma cabeça grande e dois grandes olhos amarelos. Ele é nosso amigo…”

Investigação policial


Dada a dificuldade de entrevistar crianças com 3, 4, 5 e 6 anos de idade a polícia local não conseguiu reunir muita informação sobre o que ocorreu dentro da nave espacial. Apenas sabe-se que eles foram submetidos a alguns testes médicos, pois ainda eram visíveis marcas redondas em seus rostos, quando retornaram para casa.

O departamento de polícia solicitou a força área argentina informações sobre um OVNI que teria sido captado pelos radares, no dia em que aconteceu a abdução. Porém um porta-voz militar negou ceder qualquer tipo de informação, tanto para a polícia quanto para a mídia.

Sendo que, a partir de então, o caso se tornou de responsabilidade militar, saindo da alçada da polícia local.

Desde que os militares argentinos assumiram o controle da investigação, não se obteve mais novidades sobre o caso e, atualmente, o paradeiro dos meninos ainda é incerto.