terça-feira, 23 de junho de 2015

Homem que decapitou idosa acreditava que ela era Hitler


Palmira Silva imigrou para o Reino Unido em 1953, vinda de Itália. Foi morta em setembro, aos 82 anos.Fotografia © Met Police

O homem de 25 anos também decapitou os gatos da família com quem ficava por pensar que eram "demónios".

Um homem britânico de 25 anos que é acusado de ter matado e decapitado uma idosa, em setembro do ano passado em Londres, estaria a ter uma crise de esquizofrenia paranoide que o fez pensar que a mulher era uma entidade sobrenatural. Nicholas Salvador acreditaria que a mulher de 82 anos que matou se tratava de Hitler regressado dos mortos.

Em tribunal, o procurador Jonathan Rees disse ao júri que não há dúvidas de que Nicholas Salvador, de 25 anos, matou Palmira Silva, de 82, no quintal de sua casa. Destacou que Salvador estava a ter uma crise de esquizofrenia que já há várias semanas o fazia adotar comportamentos estranhos, incluindo a repetição de frases como "Sou o rei" e "Vermelho é a cor", de acordo com a BBC.

Rees disse que o ataque a Palmira Silva ocorreu três dias depois de Nicholas Salvador perder o seu emprego. Salvador começou por matar os dois gatos da família com quem residia, por alegadamente acreditar que se tratavam de "demónios". Na altura, Nicholas Salvador vivia na mesma rua que Palmira Silva, em Londres. Após matar e decapitar os gatos, o homem entrou numa casa vizinha, e atacou um carro onde viajavam duas pessoas com quem morava.

De seguida, saltou por cima do muro do quintal de Palmira Silva, onde a idosa se encontrava, e esfaqueou e decapitou a mulher. De acordo com o procurador Jonathan Rees, Salvador acreditava que se tratava de uma entidade sobrenatural, como Hitler, regressado dos mortos.

Salvador foi detido junto a outra casa após uma luta "violenta e caótica" com a polícia, acrescentou o procurador, dizendo ainda que o acusado foi pontapeado e agredido pela polícia repetidamente sem que isso o detivesse, tendo mesmo sido submetido a choques elétricos com um taser que não surtiram efeito.

Atualmente, Nicholas Salvador encontra-se detido num hospital de alta segurança, devido à sua doença do foro mental.

Palmira Silva imigrou para o Reino Unido em 1953 vinda da Itália. Tinha dois filhos, e geria um café juntamente com o marido.