terça-feira, 9 de junho de 2015

Coração de padre morto encontrado intacto


O coração do padre Ângelo Angioni foi encontrado intacto sete anos após a sua morte 

Ângelo Angioni morreu há sete anos. 

A fama de santo que o padre italiano Ângelo Angioni tinha conquistado no interior do estado brasileiro de São Paulo, onde viveu durante 57 anos, aumentou nos últimos dias, após a exumação dos seus restos mortais. 

Enviados do Vaticano para analisar o seu processo de beatificação descobriram que o seu coração estava intacto apesar de o padre estar sepultado desde 2008. Segundo os peritos do Vaticano habituados a exumações, a preservação de qualquer parte do corpo após o sepultamento não é impossível, mas não é comum. 

Para que o padre seja considerado beato é necessário que seja reconhecido pelo menos um dos vários milagres que a população local lhe credita. Por isso, os enviados da Santa Sé estão a recolher o maior número de relatos possível de fiéis da região, para posterior análise e eventual confirmação, um processo que pode demorar vários anos.