terça-feira, 2 de junho de 2015

A chuva de animais existe mesmo.E há uma explicação científica


Fotografia © Constança Araújo Amador (www.aconstancia.com)

Sapos, peixes, pássaros e até aranhas podem cair dos céus. Na maioria dos casos, os tornados são responsáveis pelo fenómeno.

Os sapos não caem do céu só em filmes, como no Magnólia, de Paul Thomas Anderson. Há vários séculos que se ouvem relatos de chuva de animais, na maior parte das vezes peixes, rãs e pássaros. Uns caem vivos, outros mortos e, não raras vezes, congelados. Embora existam algumas interpretações sobrenaturais para o fenómeno, a explicação mais plausível parece residir nos tornados. Mas há outros animais a cair dos céus. No mês passado, choveram aranhas bebés, na localidade de Goulburn, na Austrália. Neste caso, considerado bastante raro, os cientistas locais acreditam que a explicação está associada a uma técnica de migração das aranhas, que constroem teias que usam como paraquedas para se moverem no céu.

Também na Austrália, há notícias sobre uma chuva de pequenos peixes, alguns ainda vivos, em 2010. "Desde o século XVII e XVIII que há relatos de quedas de animais de pequena dimensão e pouco peso. A explicação mais razoável parece estar associada aos tornados", esclarece Paulo Pinto, da área de radar meteorológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Quando se forma um tornado sobre um lago, o mar ou a terra, há movimentos ascendentes fortes. "Por exemplo, se passar por um lago onde existem peixes de pequena dimensão que estejam próximos da superfície, estes podem ser sugados, juntamente com a água."