domingo, 12 de julho de 2015

Robôs, os novos substitutos?


A start-up, Narrative Science, foi a pioneira nesta inovação ao criar robôs capazes de escrever vários artigos noticiosos, a uma velocidade incrível.

Parece que a ideia está a chegar ao The Wall Street Journal. Os analistas podem ser substituídos por robôs que tiram notas de forma mais rápida, eficaz e com custos reduzidos – não há salários para pagar.

Mas como funciona? O robô vagueia pela informação inserida em documentos oficiais, bancos de dados e até documentos internos e confidenciais. Depois, recorre a um algoritmo que reúne e agrupa a informação por temas e transforma-os em artigos.

William Trout, analista da Celent, afirmou que "é um debate muito intenso e complicado sobre a possibilidade da comunidade de analistas finceiros ser dizimada por algoritmos" e acrescenta ainda que "a ruptura quando acontece, acontece muito rápido".

Já o CEO da Narrative Science defende que os analistas estão sobrecarregados com trabalho que não é prioritário, mas que tem de ser feito, e esta inovação "liberta-os para fazer o trabalho realmente importante".

Wall Street não é o único local a sofrer uma renovação na equipa, mas também os motoristas e as pessoas relacionadas com a inserção de dados.

Bem-vindo ao mundo automático.

fonte: Sábado