quinta-feira, 23 de julho de 2015

Açores vai criar parque arqueológico subaquático


Fotografia © Paulo Spranger/Global Imagens

Local escolhido fica ao largo da ilha das Flores, onde está afundado o navio inglês RMS Slavonia. O navio, que foi ao fundo em 1909, levava perto de 600 pessoas a bordo

Os Açores vão criar um parque arqueológico subaquático ao largo da ilha das Flores, no local onde está afundado o navio inglês RMS Slavonia, que ali naufragou em 1909, anunciou hoje o Governo Regional. O navio naufragou com 597 pessoas bordo, mas todas foram salvas, permanecendo o Slavonia no fundo do mar, ao largo do Lajedo, nas Flores.

"O sítio do naufrágio do Slavonia apresenta características que permitem visitas de mergulhadores, sem impacto negativo sobre a conservação dos bens arqueológicos e naturais presentes, onde este testemunho arqueológico se encontra bem identificado, contendo elevado potencial na promoção turístico-cultural dos Açores, podendo transformar-se em museu subaquático", considera o executivo regional, num comunicado.

No ano passado, o Governo dos Açores criou também o Parque Arqueológico Subaquático da Caroline, junto à ilha do Pico, no local onde naufragou, em 1901, o navio francês que controlava o mercado europeu dos adubos.

Neste momento, além do local do naufrágio do Caroline, existe nos Açores outro parque arqueológico subaquático: a baía de Angra do Heroísmo, com diversos locais visitáveis, como um cemitério de âncoras e o sítio onde está o vapor Lidador, um navio brasileiro de transporte de passageiros e mercadorias que se afundou em 1878.

Estão registados em fontes históricas escritas entre 600 e 700 naufrágios nos mares dos Açores, entre os séculos XVI e XX.

A criação do Parque Arqueológico Subaquático do Slavonia foi uma das decisões tomadas pelo Conselho do Governo Regional dos Açores, que esteve reunido na quarta-feira nas Flores, ilha que o executivo visitou nos últimos dois dias.

Ainda especificamente para a ilha das Flores, o Governo dos Açores aprovou trabalhos de limpeza da Rocha dos Bordões, um monumento natural, com o objetivo de remover vegetação da escarpa e assim "valorizar um dos maiores símbolos paisagísticos da ilha e da região".

Entre as 12 medidas aprovadas para a ilha das Flores, na terça-feira, pelo Conselho do Governo dos Açores, está ainda um concurso público de sete milhões de euros para obras "de melhoramento" no Porto das Poças, usado nas ligações marítimas de passageiros entre as Flores e o Corvo.