quarta-feira, 22 de julho de 2015

Descoberto um dos exemplares mais antigos do mundo do Alcorão... em Birmingham


Os dois pergaminhos podem ter sido escritos menos de duas décadas após a morte de Maomé, por um contemporâneo do profeta.

Investigadores da Universidade de Birmingham "encontraram" um manuscrito do Alcorão com pelo menos 1370 anos, uma descoberta que faz destas páginas um dos fragmentos mais antigos do mundo do livro sagrado dos muçulmanos.


A datação por radiocarbono, feita por uma laboratório da Universidade de Oxford, mostra que alguns fragmentos de um Alcorão que está na biblioteca da instituição há quase um século foram escritas até 645, com 95% de probabilidade - data que se aproxima do tempo do profeta Maomé, que se pensa ter vivido entre 570 e 632.

Segundo a tradição muçulmana, o profeta Maomé recebeu as revelação que formam o Alcorão, as escrituras sagradas do Islão, entre os anos 610 e 632, o ano da sua morte, explica David Thomas, professor do departamento de Relações Interreligiosas da Universidade de Birmingham.

Mas "a mensagem divina" só foi compilada em livro por ordem do califa Abu Bakr, o primeiro líder depois de Maomé, e a forma final só é estabelecida durante o califado de Uthman ibn Affan, por volta do ano 650. Para Dinshaw, os dois pergaminhos, que podem ter sido escritos menos de duas décadas após a morte de Maomé, por um contemporâneo do profeta, "confirmam a ideia de que o texto teve poucas ou nenhumas alterações".

Os dois pergaminhos fazem parte de uma coleção de mais de 3000 manuscritos do Médio Oriente recolhidos por Alphonse Mingana anos anos 20 do século passado, que pertence atualmente à Biblioteca de Investigação Cadbury, da Universidade de Birmingham. Contêm as suras (capítulos) 18 a 20 escritas em caligrafia hijazi e estavam misturados com páginas de outro manuscrito, mais tardio, já do final do século VII.

As duas folhas vêm do mesmo códex que o manuscrito da Biblioteca Nacional de França, em Paris, explicou Alba Fedeli, da Unversidade de Birmingham. Como a datação por radiocarbono dá intervalos de tempo não é possível dizer se este é realmente o manuscrito mais antigo.