quinta-feira, 23 de julho de 2015

Cientistas revelam o segredo letal da jiboia



Afinal as jiboias-constritoras, conhecida como boas, não matam as presas por asfixia.

Uma equipa de cientistas norte-americanos acabou com o mito de que a jiboia-constritora mata as suas vítimas por asfixia. Num artigo publicado na última edição do Journal of Experimental Biology, o grupo liderado por Scott Boback explica que este tipo de jiboia corta a circulação sanguínea das presas.

A equipa de Boback, de Dickinson College, na Pensilvânia, chegou a esta conclusão monitorizando os sinais vitais de ratinhos atacados por jiboias-constritoras (devidamente anestesiados) - incluindo o ritmo cardíaco e a tensão.

Concluíram que a pressão exercida por estas cobras, conhecidas como boas, é suficiente para cortar a circulação, uma forma mais eficiente e rápida de matar as presas do que a asfixia. A pressão desliga o sistema circulatório que leva o sangue e oxigénio aos órgãos, destruindo os tecidos do cérebro, coração e fígado em segundos.

A pressão também pode sufocar a vítima, mas é a falta de oxigénio causada pela paragem na circulação de sangue que a mata, já que a asfixia demoraria mais tempo.

A capacidade de prender e esmagar as vítimas permitie às boas atacar presas maiores, explica Boback, às vezes maiores do que as próprias cobras, uma característica que terá sido favorecida pela evolução.