sexta-feira, 24 de julho de 2015

Gaivotas "assassinas" no Reino Unido. Até o primeiro-ministro está preocupado


Fotografia © Leonel de Castro / Global Imagens

Este verão as gaivotas já mataram dois cães e atacaram uma idosa e uma criança.

Com as histórias de ataques de gaivotas a multiplicarem-se no Reino Unido este verão, especialmente na região da Cornualha, os jornais britânicos já falam em gaivotas "assassinas". Já há dois relatos de cães mortos por gaivotas, e uma criança e uma idosa foram também atacadas pelos pássaros, o que levou o primeiro-ministro David Cameron a pronunciar-se sobre a situação.

Quando visitava a região da Cornualha na semana passada, David Cameron disse que era necessário que houvesse uma "grande conversa" sobre os perigos das gaivotas. "Temos de ouvir as pessoas que realmente percebem deste assunto", disse o primeiro-ministro, que não quis dar "uma resposta imediata" acerca da necessidade de um abate em massa.

Na Cornualha, um menino de quatro anos foi atacado por uma gaivota enquanto comia. O Guardian fala de "fraca pontaria" da parte da gaivota, que estaria a tentar apanhar a comida do rapaz mas acabou por magoar-lhe o dedo. Já o caso de uma mulher de 66 anos, que foi atacada na cabeça por uma gaivota e teve que ser hospitalizada. levantou mais preocupação. "Fiquei assustada. Não só estava a sangrar como tinha medo que ela voltasse", disse a idosa ao jornal britânico.

Existem mesmo casos de cães mortos por gaivotas. Até agora, um Yorkshire Terrier e um Chihuaha terão sido atacados e mortos por gaivotas, à bicada, em dois incidentes diferentes. Após a morte do Chihuaha, que se chamava Bella, um porta-voz da sociedade de proteção animal britânica, a RSPCA, disse ao jornal local Exeter Express que esperava que as pessoas não ficassem assustadas. "Incidentes como este são muito incomuns", disse.

Num texto de opinião no Guardian, o perito em história natural Patrick Barkham alerta para o facto de que os confrontos com gaivotas costumam acontecer nesta altura do ano, no princípio do verão, quando as gaivotas estão a proteger os ninhos com as suas crias, o que as pode levar a comportamentos mais agressivos. "Nós causámos um aumento nas populações urbanas de gaivotas", escreve Barkham, "porque tirámos o peixe do mar".