terça-feira, 21 de julho de 2015

Jovem francesa em remissão do VIH após 12 anos sem medicação


Caso inédito foi apresentado esta segunda-feira na 8.ª Conferência sobre a Patogénese do HIV, no Canadá.

Uma jovem francesa de 18 anos infetada desde a gestação com o vírus da imunodeficiência humana (VIH) passou os últimos 12 anos sem medicação e não apresenta agora quaisquer sinais de infeção. O caso foi apresentado esta segunda-feira na 8.ª Conferência sobre a Patogénese do VIH, em Vancouver, no Canadá, por espanhol Asier Sáez-Cirión, investigador no Instituto Pasteur.

O cientista apresentou os detalhes do caso - inédito - da jovem no encontro anual promovido pela Sociedade Internacional da Sida, embora os especialistas continuem a dizer que são necessários estudos para determinar por que razões o controlo do vírus pode ocorrer após a cessação do tratamento.

À jovem, que contraiu VIH ainda durante a gestação, na barriga da mãe, foram administrados quatro anti-retrovirais apenas com três meses, mas a família decidiu interromper a medicação quando tinha quase seis anos. Agora, o especialista Sáez-Cirión admite ser "possível conseguir a remissão do VIH a longo prazo numa criança infetada durante o período pré-natal após interromper o tratamento antirretroviral quando este tenha começado nos primeiros meses de vida", mas alerta que a remissão "não pode ser comparada à cura".

"A jovem continua infetada e é impossível prever como sua saúde oscilará com o tempo. Porém, este caso constitui um forte argumento adicional a favor do início de tratamentos antiretrovirais o mais cedo possível, após o nascimento de bebés de mães seropositivas", observou.