domingo, 25 de setembro de 2016

Vendeu pénis humano que foi cozinhado e ingerido


Presença do pedaço de carne suspeito só foi detetada pela mulher depois de ingerir parte do mesmo, cozinhado / Foto: Arquivo JN

Uma vendedora de mercado na província de Benguela foi constituída arguida por alegadamente ter vendido um pénis humano adulto entre miudezas.

A informação foi confirmada este sábado à agência Lusa por fonte do comando provincial de Benguela da Polícia Nacional de Angola, após análises laboratoriais aos restos do órgão, que validaram a suspeita inicial.

A mesma fonte, sem adiantar mais explicações, acrescentou que a suspeita, que vende no mercado 4 de Abril, na periferia de Benguela, foi constituída arguida neste processo, participado ao Ministério Público angolano.

A suspeita inicial foi noticiada a 15 de setembro pela Lusa, e ocorreu na periferia da cidade de Benguela no dia 9 de setembro. A vítima queixou-se às autoridades, por suspeitar tratar-se de um caso de feitiçaria.

"Tinha um pedaço de carne que configura um pouco a forma de um pénis, que foi encontrado num prato de sarrabulho [miudezas] servido pela senhora", indicou na altura à Lusa uma fonte do comando provincial de Benguela da Polícia Nacional.

A presença do pedaço de carne suspeito só foi detetada pela mulher depois de ingerir parte do mesmo, cozinhado, tendo as miudezas sido adquiridas naquele mercado. "Suspeita-se de feitiçaria, mas vamos esperar", insistiu a fonte, na ocasião.

A prática de rituais de feitiçaria para tratar problemas de disfunções sexuais, saúde ou dinheiro é habitual em várias regiões de Angola.