domingo, 18 de setembro de 2016

Raras baleia e orca brancas aparecem nas águas da Austrália e da Rússia





Cientistas conseguiram captar imagens espetaculares de uma baleia-austral nadando ao lado do filhote ao longo da costa da Austrália. A cor branca do jovem animal é muito rara.

Os pesquisadores observaram os dois cetáceos quando realizavam um censo aéreo da população de baleias-francas-austrais diante da costa do estado da Austrália Ocidental. As imagens foram registadas com um drone.

Estudiosos da Universidade Murdoch de Perth afirmam que a câmera permite tomar medidas e constatar o estado sem causar stress aos animais. 

A população das baleia-franca-austral se reconstituiu depois de ter sido dizimada no século passado, durante as campanhas de caça. 

O filhote de baleia branco é ainda mais raro, já que apenas 5% deles nascem com essa cor surpreendente, antes de se tornarem cinzas no primeiro ano de vida.

Orca branca reaparece 

Na Rússia, a orca branca macho apelidada de Iceberg reapareceu nas águas das ilhas Comandante, na Rússia, depois de ser descoberta em 2010.

Ela, que tem 22 anos, estava com outras quatro orcas mais jovens, o que levanta suspeitas de que se trata de uma família.

Segundo os pesquisadores da Ferop (Far East Russia Orca Project), a orca branca é extremamente rara. Apenas uma em cada 10 mil é completamente branca.

Existem, porém, entre cinco e oito diferentes tipos de orcas brancas em águas russas, parte delas albinas. O relato da observação foi publicado recentemente no periódico Aquatic Mammals. 

De acordo com um estudo, apesar da beleza, a cor branca do mamífero pode não ser um bom sinal para sua sobrevivência. 

A pigmentação branca reduz a capacidade de absorção de calor em águas frias, torna os animais mais sensíveis à luz solar, interfere nas habilidades comunicativas visuais com outras orcas e também torna as orcas presas fáceis contra predadores.

"Se algumas fêmeas são capturadas para aquários ou abatidas por outros motivos, então você pode realmente colocar espécie em perigo", disse Erich Hoyt, do Ferop. 

fonte: UOL