domingo, 4 de setembro de 2016

Polo de Júpiter é "diferente de tudo o que já foi visto no sistema solar"


NASA divulga primeiras imagens do planeta captadas pela sonda Juno

A sonda espacial Juno enviou as primeiras imagens do polo norte de Júpiter e, segundo a NASA, esta região do maior planeta do sistema solar é "diferente de tudo" o que já vimos: "as imagens mostram sistemas de tempestades e atividade meteorológica diferente de tudo o que já vimos nos outros gigantes gasosos do nosso sistema solar".

A sonda conseguiu executar a primeira de 36 viagens orbitais a 28 de agosto, quando a nave ficou a 4200 km das nuvens de Júpiter. A agência espacial norte-americana NASA precisou de um dia e meio para descarregar os dados enviados pela sonda.


Uma imagem da aurora austral de Júpiter, em infravermelhos NASA/JPL-CALTECH/SWRI/ASI/INAF/JIRAM

Embora os cientistas ainda estejam a analisar os dados, já fizeram algumas descobertas. "Primeiro olhar sobre o polo norte de Júpiter e é diferente de tudo o que imaginámos", disse Scott Bolton, investigador principal responsável pela sonda.

"É mais azul do que outras parte do planeta e há muitas tempestades. Não há qualquer sinal das bandas latitudinais ou zonas e cinturas a que estamos acostumados - uma imagem que dificilmente reconheceríamos como Júpiter." Há também sinais de que as nuvens têm sombras, uma indicação de que estão a alta atitude.



Entre os dados recolhidos pela Juno estão gravações das transmissões rádio que emanam do planeta, que são conhecidas desde os anos 50 do século passado, mas que nunca puderam ser estudadas de tão perto. "Júpiter está a falar connosco de uma forma que apenas os mundos gasosos conseguem", disse o investigador Bill Kurth, responsável pela Radio / Plasma Wave Esperiment. Foram detetadas as emissões de partículas que gerar as enormes auroras que são visíveis no polo norte do planeta, as mais fortes do sistema solar. "Agora vamos tentar perceber de onde vêm os eletrões e o que os gera".