quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Oxigénio desencadeou explosão de vida na Terra


O geólogo Ross Large (esq.) liderou o estudo Fotografia © DR

Investigadores reconstituíram níveis de oxigénio e dos nutrientes disponíveis nos oceanos nos últimos 3600 milhões de anos, através de amostras rochosas

O início da vida na Terra está envolto em mistério, mas os cientistas pensam que ela terá eclodido há cerca de 3600, ou 3500, milhões de anos, sob a forma de bactérias primitivas, e assim ficou durante mais de dois mil milhões de anos. Há 550 milhões de anos, a vida diversificou-se e tornou-se mais complexa, no que se tornou conhecido pela explosão câmbrica. Mas por que se manteve estagnada durante mais de dois mil milhões de anos? Um grupo de investigadores que estudou em vários pontos do mundo terrenos que já foram o fundo oceânico têm uma resposta: durante esse longo período de dormência, o oxigénio e os nutrientes estavam em declínio nos oceanos.

Num artigo que será publicado na edição de março da revista científica Earth and Planetary Science Letters, a equipa liderada pelo geólogo Ross Large, da Universidade da Tasmânia, na Austrália, descreve o estudo de milhares de amostras de pirite em antigas rochas do fundo oceânico, recolhidas em mais de 60 locais do mundo, incluindo na Sibéria, para concluir que os níveis de oxigénio e de nutrientes disponíveis nos diferentes momentos são a chave do enigma.