quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

NASA quer produzir água na Lua e oxigénio em Marte


Astronauta durante a missão Apollo 17, em 1972

A NASA está a planear missões à Lua e a Marte em 2018 e 2020 para realizar provas que poderão demonstrar como produzir água e oxigénio.

A NASA, juntamente com a CSA (Agência Espacial do Canadá), planeia enviar um robô todo-terreno à Lua em 2018 e a Marte em 2020. Estas experiências são denominadas ISRU (exploração de recursos no local). Este seria provavelmente o mais importante avanço científico desde que Armstrong pisou a Lua pela primeira vez em 1969.

Na Lua, o objetivo da missão será analisar o constituinte do solo lunar e realizar experiências de extração de água e outras substâncias voláteis como o hidrogénio e o oxigénio. Em Marte, o veículo enviado procurará extrair Oxigénio da atmosfera.

Até hoje, apenas doze homens pisaram a superfície lunar; todos eles entre 1969 e 1972. Luísa Lara, astrofísica do Instituto de Astrofísica de Andaluzia, explicou ao jornal espanhol El Mundo que "pôr um quilo no espaço custa mais de um milhão de euros". Assim, a carga enviada nas missões é a mais reduzida possível para que se possam transportar todos os dispositivos eletrónicos necessários, evitando-se o envio de grandes quantidades de água e combustível.

Obter água e oxigénio para auxiliar na sobrevivência dos astronautas em missão no Espaço e combustível para a viagem de regresso diminuiria os custos e permitiria realizar viagens espaciais de maior duração.