segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Descoberta múmia com mais de 2.500 anos



Arqueólogos egípcios descobriram no norte do Cairo três esqueletos humanos e uma múmia rodeada de dezenas de muletos e estatuetas.

A mais recente descoberta arqueológica foi feita na zona de Tel Tebela, na província de Al Daqahliya, situada no delta do rio Nilo, anunciou este domingo o ministro das Antiguidades do Egipto, Mohamed Ibrahim.

Os esqueletos estavam enterrados debaixo de um sarcófago de uma múmia de mulher e rodeados de dezenas de amuletos.

O chefe do Departamento de Egiptologia do Ministério das Antiguidades, Ali al Asfar, declarou que os arqueólogos descobriram no interior da mastaba dois caixões esculpidos em calcário e cobertos com tampas feitas da mesma rocha.

Num desses caixões foi também encontrada uma múmia coberta com um manto dourado e textos escritos em carateres hieroglíficos, entre eles um rolo pertencente ao Faraó Psamético I, da XXVI dinastia (654-525 a.C.).

A mesma múmia, apesar do mau estado de conservação, tinha junto a si um cofre de madeira com estatuetas e amuletos, um dos quais uma ave dourada e um olho de bronze.