sábado, 9 de janeiro de 2016

Várias empresas iniciam corrida à exploração do Espaço


Há pelo menos três empresas nos EUA interessadas em explorar os recursos naturais do Espaço. Parece ser um negócio de muitos milhões, possível com uma lei assinada por Obama.

A partir do momento em que Barack Obama assinou a chamada "Lei do Espaço", que permite a exploração privada do espaço, abriu-se uma nova etapa no que pode ser descrito como uma "corrida ao ouro espacial".

Até agora essa exploração tem-se limitado a empresas como SpaceX ou a Orbital ATK, que realizam missões de carga até à Estação Espacial Internacional.

Mas como a lei inclui um artigo que permite a apropriação de asteroides e outros "recursos espaciais" por parte de pessoas físicas e empresas, são várias as que se posicionam para uma nova etapa.

A "Lei do Espaço" apenas coloca como condição que as empresas tenham a tecnologia para se deslocar e explorar esses corpos celestes, que podem ser ricos em minerais conhecidos (como platina, ouro ou ferro) ou ainda desconhecidos. Quem conseguir recuperar recursos de um asteroide tem o direito de "o possuir, transportá-lo, usá-lo e vendê-lo".

Entre as empresas melhor posicionadas estão a Planetary Resources e a Deep Space Industries. Mas também a Moon Express quer entrar numa corrida que pode envolver valores astronómicos em recursos naturais (a Moon Express foi a primeira empresa privada a testar, no final do ano passado, um robô que pretende colocar na Lua).


Os alvos principais parecem ser os corpos rochosos que orbitam a Terra ou aqueles que se acumulam no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter.

fonte: TSF