domingo, 17 de janeiro de 2016

Casas bem preservadas da Idade do Bronze são descobertas no Reino Unido








Arqueólogos dizem ter descoberto a “Pompeia Britânica”: as habitações mais bem preservadas da Idade do Bronze já encontradas no Reino Unido. 

As casas de madeira circulares, construídas sobre palafitas, fazem parte de um assentamento em Must Farm, Cambridgeshire. Elas datam de cerca de 1000 a 800 aC. 

Um incêndio destruiu os postes, fazendo com que as casas caíssem num rio. Por sua vez, a lama ajudou a preservar os materiais. A comparação com Pompeia é justa: até mesmo panelas com refeições ainda dentro foram encontradas no local.

Achados fascinantes

Os investigadores acreditam ter encontrado cerca de cinco casas, que agora estão sendo escavadas. A Idade do Bronze na Grã-Bretanha durou de 2500 a 2000 aC, até o uso de ferro tornar-se comum, entre 800 a 650 aC.

Restos clássicos da época no assentamento incluem machados sofisticados, objetos de ouro preciosos e túmulos redondos, os quais ainda podem ser vistos pela Grã-Bretanha. 

Os arqueólogos também encontraram pequenas xícaras, taças e jarras, além de peças de vidro “exóticas” que faziam parte de um colar e insinuam uma sofisticação que não é geralmente associada com a Idade do Bronze. Por fim, tecidos feitos de fibras vegetais, como a casca de uma árvore chamada tília, também foram desenterrados.

Dois metros abaixo da superfície do assentamento, os investigadores ainda encontraram pegadas preservadas, que se acredita serem das pessoas que lá viviam. 

Dificuldades que valerão a pena 

A escavação precisará ser rápida. Existem preocupações que o nível da água no local possa cair em algum momento no futuro, de forma que os restos das casas não podem ser preservados in situ.

“Um incêndio dramático 3.000 anos atrás, combinado com subsequente preservação alagada, deixou-nos um momento congelado no tempo, o que nos dá uma imagem gráfica da vida na Idade do Bronze”, disse Duncan Wilson, presidente-executivo da Historic England, que está financiando a escavação em conjunto com a Forterra. “Este sítio é de importância internacional e sua escavação vai realmente transformar a nossa compreensão do período”.

David Gibson, da Cambridge Archaeological Unit, o líder da escavação, disse: “Podemos realmente ver a vida cotidiana durante a Idade do Bronze. É arqueologia pré-histórica em 3D, com achados insuperáveis tanto em termos de variedade quanto de quantidade”. 

Enquanto outros assentamentos da Idade do Bronze já foram encontrados no Reino Unido, nenhum é tão bem preservado. 

“A maioria não tem qualquer madeira restante, apenas furos e marcas de onde os postes teriam estado”, explica Gibson. “Até agora, este é único sítio com a estrutura do telhado também”. Uma vez que todos os itens do local forem recuperados, limpos e documentados, devem ser colocados em exposição pública.

fonte: Hypescience