sábado, 20 de novembro de 2010

Reprodução em cativeiro para salvar rã ameaçada


Enquanto as populações de anfíbios de todo o mundo continuam a ser afectadas por perda de habitat, poluição ou doenças, no Panamá, investigadores de um projecto de conservação destes animais conseguiu pela primeira vez fazer reprodução em cativeiro de uma rã que está criticamente ameaçada. Trata-se da Hyloscirtus colymba, que vive nas árvores das florestas tropicais naquele país.

"Somos dos primeiros a tentar fazer a reprodução em cativeiro desta espécie e tínhamos muito pouca informação sobre os procedimentos necessários", explicou um dos biólogos do projecto, Brian Gratwicke. "Avisaram-nos de que provavelmente não conseguiríamos manter as rãs vivas em cativeiro, mas com algum cuidado e atenção conseguimos ter sucesso", adiantou o investigador.

O projecto conta neste momento com 28 indivíduos adultos da espécie e quatro juvenis e beneficiou das práticas aprendidas pela equipa com a reprodução em cativeiro feita anteriormente pela equipa com outra espécie, a Atelopus limosus.

Quase um terço das seis mil espécies de anfíbios existentes no mundo estão em risco de extinção e metade está em declínio e no Panamá, um dos locais do mundo onde se concentra uma grande diversidade de anfíbios, isso é muito visível.

O projecto de conservação que ali está em curso pretende salvar mais de 20 espécies endémicas do país. Além dos problemas ambientais, um fungo citrídio é apontado como responsável pelo desaparecimento de 94 das 120 espécies de rãs que se pensa terem-se extinguido desde 1980.


Sem comentários:

Publicar um comentário