sábado, 23 de outubro de 2010

Pesquisa britânica explica como surgiram pintas dos felídeos


Onça-pintada, espécie que prefere ambientes fechados; animais que vivem mais em árvores têm mais pintas

"Como o leopardo ganhou suas pintas": parece o mote de algum mito africano, mas é o título de um artigo científico que promete explicar a origem dos estranhos e belos padrões na pelagem de leopardos e outros gatos.

A equipa liderada por William Allen, da Universidade de Bristol (Reino Unido), está a publicar os resultados no periódico "Proceedings of the Royal Society B".

Depois de analisar fotos de 37 espécies de felídeos, como é conhecida a família dos gatos, eles afirmam que a chave para entender a aparência deles é o tipo de habitat e estilo de vida de cada animal. Resumindo: os que vivem em matas fechadas e passam boa parte do tempo nas árvores são os mais "pintados".

Esse tipo de hábito também influencia a complexidade das pintas: os gatos de florestas tropicais e de vida arbórea não só tendem a ter mais pintas como também possuem o padrão mais irregular e complexo de manchas na pelagem.

A explicação básica tem a ver mesmo com a camuflagem: nesse tipo de ambiente, ser coberto de pintas ajuda o bicho a misturar-se ao pano de fundo. Isso facilita suas caçadas e, no caso de animais menores, como as jaguatiricas, também os esconde de predadores.

Já os felinos adaptados a lugares mais abertos, como os leões, abdicaram dessa forma de camuflagem.

fonte: Folha.com

Sem comentários:

Publicar um comentário