terça-feira, 19 de outubro de 2010

Cientista cria LED que pode ser implantado na pele

Pequeno filete de luz é flexível e já foi testado em ratos por Redação Galileu

O diodo emissor de luz, mais conhecido como LED, é uma das fontes de iluminação mais usadas actualmente, principalmente nos produtos electrónicos e até nos semáforos, por ser mais resistente e ter vida maior que as lâmpadas.

O investigador John Rogers, da Universidade de Illinois, rejeitou a ideia de que os LEDs são frágeis e não pode ser dobrados em diferentes formas. Ele criou uma placa electrónica flexível com pequenos LEDs que pode ser alongada e torcida até 720 graus sem qualquer perda da função de iluminação.


Pode ser torcida até 720º


Placa flexível de LED pode ser implantada no corpo, segundo investigador

A placa pode ainda funcionar debaixo d'água e até mesmo sob a pele, como já demonstrou o cientista ao fazer um implante em camundongos, segundo o site iO9.

Sem aplicação prática até o momento, a placa flexível de LEDs pode ser usada como peça decorativa, como uma espécie de tatuagem eletrônica. Para o criador do projeto, no entanto, o LED flexível pode ter fins medicinais. Ele pode ser colocado em luvas cirúrgicas para permitir que médicos enxerguem melhor o que estão operando, por exemplo.


Sem comentários:

Publicar um comentário