terça-feira, 6 de outubro de 2015

Rússia libera imagens secretas de 30 anos do planeta Vénus


O doutor em ciências físicas e matemáticas do Instituto de Investigação Espacial (Rússia), Leonid Ksanfomaliti, explicou que as fotos tiradas há 30 anos pelas sondas espaciais russas revelam a existência de alguns objetos que se movem e têm a aparência de seres vivos, informou a imprensa russa.

Os objetos foram acidentalmente capturados pelas câmeras instaladas nas sondas soviéticas Venera, que foram até Vénus em 1975 e 1982, relembrou o cientista.

Como prova de sua hipótese, Ksanfomaliti tornou públicas as fotos tiradas pela sonda espacial Venera-13, recebidas em março de 1982. O investigador descobriu vários objetos que aparecem e desaparecem numa série de imagens consecutivas, e que se assemelham a “um disco, um retalho negro e um escorpião”.

Alguns destes objetos estão presentes nas primeiras imagens, mas desaparecem posteriormente. Segundo o cientista, isso deve-se ao forte ruído da sonda ao pousar. Outros objetos, como o suposto “escorpião”, provavelmente ficaram enterrados no solo que se levantou quando a nave pousou, e depois de algum tempo surgiram novamente na superfície.

Ksanfomaliti explicou que havia a intenção de tornar pública a sua descoberta muito antes, mas decidiu atrasá-lo por falta de apoio.

O investigador afirma ter tomado a decisão de voltar a estudar a possível existência de vida em Vénus, por causa do importante número de novos resultados nas investigações de exoplanetas, alguns deles com condições físicas parecidas às de Vénus.