segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Já conhece o macaco que espirra e o peixe que anda? Mais de 150 espécies descobertas nos Himalaias


O peixe capaz de "andar" em terra foi descoberto na Índia. Fotografia © Henning Strack Hansen/WWF


Macaco que espirra

Impatiens lohitensis, one of 133 new plants discovered.

Impatiens lohitensis

The new species were found in remote areas of the the Eastern Himalaya, which stretches from the northern most parts of India, across Nebal, Bhutan, Myanmar and Tibet (illustrated)

The Himalayan lance-headed pit viper (pictured) has striking red-brown bands. Its scales give it a vagule iridescent look, making it appear more like a piece of jewellery, say the scientists who found it

A small frog found hiding under leaf litter beside a mountain stream in north east India was found to have striking blue eyes. Despite its small size, it produces a distinctive and loud croak

A new species of bird, the spotted wren babbler, Elachura formosa (pictured), was discovered in thick undergrowth in the dense forests of the Eastern Himalayas. The males produce a characteristic high pitched song that is unlike any other bird in Asia

Quando chove, o novo macaco esconde a cabeça entre os joelhos para não espirrar. É apenas uma das dezenas de novas espécies descobertas em cinco anos nos Himalaias.

Mais de 150 novas espécies foram descobertas no Himalaias orientais apenas nos últimos cinco anos, revelou esta semana um relatório da fundação Word Wildlife Fund for Nature (WWF). O relatório descreve espécies como um macaco de nariz empinado que espirra quando chove, um peixe que anda ou um sapo de olhos azuis. Mas a fundação WWF alerta para o risco em que se encontram as espécies descritas.

Desde 2009 que um grupo de cientistas explora os Himalaias no Nepal, no Butão, no sul do Tibete, no norte da Índia e no norte de Myanmar. O novo relatório da WWF dá conta de 133 novas espécies de animais, 26 de peixes e 10 de anfíbios, assim como um novo réptil, um novo pássaro e um novo mamífero.

O mamífero é um macaco conhecido como "Snubby" entre os cientistas, um nome carinhoso que lhe foi dado pelos cientistas que o descobriram. Porque tem um nariz muito pequeno e empinado, Snubby, que vive nas florestas de Myanmar, tem alguns problemas com a chuva - quando chove, a água entra-lhe pelo nariz exposto com muita facilidade, o que o faz espirrar. No relatório é possível ler como estes macacos escondem a cabeça entre os joelhos quando chove.

Também foi descoberto um sapo de vibrantes olhos azuis no norte da Índia, e uma centopeia nepalesa denominada "unicórnio" por ser tão rara no ocidente asiático. Descobriu-se a primeira espécie de peixe endémica do Butão e uma víbora que "no primeiro instante parece mais joalharia cuidadosamente desenhada", lê-se no relatório. Uma das descobertas mais espantosas é a de um peixe que é capaz de "andar" - o peixe, de coloração em tons de azul, respira ar e é capaz de sobreviver fora de água durante vários dias. É mesmo capaz de se deslocar. através de movimentos do corpo, sobre terra húmida para chegar de uma massa de água até outra. Este peixe, o Channa andrao, vive na Índia.

O relatório da WWF alerta, porém, para o perigo em que se encontram os animais e plantas descobertos, devido a inúmeros perigos: desde as alterações climáticas à desflorestação, desde a poluição ao crescimento da população humana. Os riscos para estas espécies recém-descobertas fazem a fundação deixar um aviso: "Se não agirmos agora para proteger estes ecossistemas frágeis, há riquezas naturais incontáveis que poderíamos perder para sempre", disse Heather Sohl, porta-voz da fundação, ao jornal britânico The Guardian.