sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Antigo mega-tubarão é descoberto nos EUA


Tudo é maior no Texas, ou assim eles dizem. Isso parece estender-se ao passado antigo também, uma vez que um novo fóssil de tubarão foi encontrado e é muito grande. 

Um tubarão gigante que nadava cerca de 300 milhões de anos atrás foi descoberto no que hoje é o Texas, e é muito maior do que os tubarões que vemos hoje. O maior tubarão que já viveu, o Megalodon, podia chegar a 18 metros de comprimento antes de se tornar extinto 2,6 milhões de anos atrás. 

Esta besta fossilizada tem 8 metros de comprimento, o que não significa que seja uma quebra de recorde, mas é 25% maior do que o moderno tubarão branco. Os resultados foram anunciados na reunião anual Vertebrate Paleontology.

Este “super-tubarão” viveu durante o período Carbonífero entre 359 a 299 milhões de anos – muito antes dos dinossauros dominarem a Terra. Durante este tempo, ele nadava através de um mar raso chamado Western Seaway, que hoje estaria localizado numa grande faixa do oeste americano. O ambiente aquático também teria sido o lar de corais, moluscos, e peixes ósseos.

Embora tubarões existam há centenas de milhões de anos, com os primeiros surgindo no período Ordoviciano, esta nova descoberta representa o mais antigo “tubarão gigante” já encontrado, pelo menos 170 milhões de anos mais velho que o fóssil de tubarão gigante anterior.

Um dos paleontólogos que ainda está escavando cuidadosamente os restos fossilizados, John Massey, disse este mês: “Você não vê os tubarões deste tamanho novamente até o Cretáceo”.

Além de seus dentes, tubarões não costumam fossilizar bem: Seus ossos degradam-se rapidamente após a morte. Sua cartilagem, no entanto, é mais eficaz e se transforma numa forma mineral, e estas são as partes que os paleontólogos encontram. 

Maisey e sua equipa usaram fragmentos da parte de trás do crânio do tubarão para determinar seu tamanho real. Com essas informações, juntamente com o que já se sabe sobre supertubarões extintos, eles foram capazes de estimar o comprimento do corpo.

O fóssil pode estar relacionado com um outro grupo extinto de tubarões: o Glikmanius, que tinha um corpo semelhante e uma cauda bifurcada, e também viveu no período Carbonífero. Mais trabalhos são necessários para confirmar se esse novo tubarão é outro Glikmanius ou é de facto uma nova espécie de tubarão antigo.

Os tubarões são, indiscutivelmente, os predadores perfeitos. Sua forma e comportamento básico não mudou durante milhões de anos, tanto assim que os tubarões evoluíram antes que houvesse aves.

A primeira ave, o agora extinto Archaeopterix, viveu cerca de 350 milhões de anos numa floresta densa que hoje é o deserto do Saara.

Tubarões existem desde 400 milhões de anos, passando por alguns eventos de extinção em massa, incluindo a Grande Morte 252 milhões de anos atrás, que matou mais de 90% de toda a vida na Terra.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...