quinta-feira, 16 de junho de 2016

Arqueólogos encontram ruínas do século XV da 1ª Cidade Proibida de Pequim







Arqueólogos chineses descobriram ruínas do século XV em escavações na Cidade Proibida de Pequim, residência de imperadores durante séculos, que poderiam corresponder à construção original do complexo, informou na segunda-feira a imprensa local. 

Ao renovar as conduções de água e eletricidade, foram desenterrados os alicerces de tijolo que, segundo os pesquisadores, datam dos primeiros anos da dinastia Ming (1368-1644) e poderiam corresponder a uma primeira versão do palácio que se considerava perdida. 

Embora a Cidade Proibida, uma das principais atrações turísticas da capital chinesa que a cada ano recebe milhões de visitantes, tenha sido erguida pela primeira vez entre 1406 e 1420, foi destruída depois e reconstruída em várias ocasiões. 

Junto aos alicerces do palácio, com até 20 camadas de tijolo, também foram descobertos buracos e plataformas de madeira que poderiam ter sido utilizados para a construção do edifício. 

Assim, os tijolos agora achados, que se encontravam a 2,8 metros de profundidade, desmentiriam a crença de que as primeiras construções da Cidade Proibida tinham sido realizadas com materiais de má qualidade. 

No mês passado, uma equipe de arqueólogos que trabalha há dois anos no complexo que acolheu os imperadores das dinastias Ming e Qing (1644-1911) acharam destroços de um palácio anterior no mesmo lugar pertencentes à época mongol (XIII-XIV). 

fonte: Terra