segunda-feira, 6 de junho de 2016

Cientistas tentam criar órgãos humanos em porcos


Um grupo de cientistas, da Universidade da Califórnia, Davis, está a desenvolver uma experiência com vista à criação de órgãos humanos em porcos.

O procedimento passa pela injeção de células estaminais humanas em embriões suínos. Segundo o The Guardian, os investigadores norte-americanos conseguiram criar com sucesso embriões parte-humana, parte-suína.

Esta investigação usa uma técnica revolucionária chamada edição de genes e tem como principal objetivo complementar a lacuna de órgãos humanos disponíveis para transplante, nomeadamente pâncreas.

À BBC, os cientistas disseram que os animais deverão comportar-se como porcos normais. A única diferença em relação aos outros animais é que um dos órgãos terá células humanas. Os embriões desenvolvem no interior das fêmeas, durante 28 dias, antes de terminar o período de gestação

Esta investigação tem sido marcada por alguma contestação. Há receios de que a presença de células humanas poderá afetar o cérebro dos animais e o seu comportamento, tornando-os mais humanos.

O biólogo responsável pela investigação, Pablo Ross, garantiu que a probabilidade de algum dos riscos se concretizar é muito reduzida.

A equipa, liderada por Pablo Ross, acredita que as células estaminais humanas aproveitam o vazio genético no embrião bovino para que o feto possa desenvolver um pâncreas humano.

Ross, licenciado em medicina veterinária na Universidade de La Plata (Argentina), acredita que esse embrião possa desenvolver-se normalmente, mas o pâncreas vai ser feito "quase exclusivamente de células humanas", o que seria "compatível" para transplante num paciente.

O professor Walter Low, do departamento de neurocirurgia da Universidade de Minnesota (EUA), disse à BBC que os porcos são os "incubadores biológicos" ideais para o crescimento de órgãos humanos e podiam ser utilizados para criar não só pâncreas, mas também corações, fígados, rins, pulmões e córneas.