sexta-feira, 9 de junho de 2017

Foram descobertos mais 97 grandes objetos celestes no espaço em 2016


São cada vez mais os objetos celestes descobertos pela sonda Neowise – Asteroid Hunting Spacecraft. Os últimos dados revelados pela agência espacial norte americana – NASA – dão conta que foram descobertos mais 97 objetos celestes. Destes, 64 são asteróides provenientes da cintura principal e cinco novos cometas, entre estes objetos 28 circulam perto da Terra.

A missão do Neowise da NASA, já no seu terceiro ano, é observar os objetos que circulam nos arredores do nosso planeta através de um explorador infravermelho de largo-espectro. 

A sonda espacial já identificou 693 objetos próximos do nosso planeta desde a sua reativação, em dezembro de 2013. Destes, 114 são novos.

Neos (Near-Earth objects) são os objetos celestes (cometas e asteroides) classificados como material potencialmente influenciável pela força gravitacional planetária e que podem entrar na vizinhança da Terra.

A equipa que gere as informações do programa Neowise, aproveitando os dados recebidos da sonda espacial, criou uma animação que mostra as descobertas na zona vizinha do nosso planeta durante o seu terceiro ano de operações.

Segundo a NASA foram analizadas mais de 2,6 milhões imagens infravermelhas do céu só em 2016, pelo Neowise. 

Estes dados foram combinados e comparados com os dados do ano 1 e ano 2 da Neowise, que fornecem desta forma um conjunto de dados de quase de 58 milhões deteções de objetos celestes.


Amy Mainzer, investigador responsável do laboratório da NASA Jet propulsão em Pasadena, Califórnia, refere que o "Neowise não serve apenas para descobrir previamente asteroides e cometas que viajam no espaço, mas também fornece excelentes dados sobre muitos dos que já estão em nosso catálogo".

O principal investigador do programa Neowise explica que esta sonda espacial "também está a provar ser uma ferramenta inestimável na refinação e aperfeiçoamento de técnicas para descobrir objetos perto da terra e a sua categorização através de um Observatório infravermelho colocado no espaço."

Em 2016, dez dos objetos descobertos pela Neowise, foram classificados como asteroides potencialmente perigosos, com base no tamanho e na órbitas que realizam.

Esta animação mostra asteróides e cometas observados, desde o sol até à cintura principal de asteróides, no espectro infravermelho, pela missão Near-Earth objeto Wide-campo Survey Explorer (Neowise). Desde que a missão foi reiniciada em dezembro de 2013, Neowise descobriu 114 objetos próximos da terra e catalogou 693 outros.

O programa espacial Neowise, originalmente apelidado de Wise (Wide-field Infrared Survey Explorer) foi lançado para o espaço no dia 14 dezembro de 2009 e teve como missão estudar todo o céu através do espectro infravermelho.

Entre 2009 e 2011, a sonda espacial realizou a recolha de mais de 250 mil imagens, entre as quais as mais exemplificativas, como é o caso da Galáxia M31 de Andrómeda, o cometa C2007/Q3, a nebulosa NGC 3603 ou o aglomerado galáctico “Fornalha. 


Em 2011, a NASA deu ordem ao equipamento para hibernar, reativando-o em setembro de 2013, agora sob a sigla Neowise e com nova missão: ajudar a NASA a identificar a população de objetos, potencialmente perigosos, perto do planeta Terra.


Este gráfico representa os objetos celestes, em 2011, que a NASA tinha conhecimento através do programa então designado por Wise.


fonte: RTP Noticias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...