sábado, 9 de maio de 2015

Descoberto fóssil mais antigo do grupo que deu origem às aves actuais


Ilustração científica da nova ave do Cretácico, que terá vivido num ambiente lacustre ZONGDA ZHANG


Um dos fósseis encontrados desta pequena espécie, com a plumagem bem preservada WAN ET AL

O Archaeornithura meemannae viveu há 130 milhões de anos na China. Dois fósseis agora encontrados ainda tinham as penas bem preservadas.

O Archaeornithura meemannae era uma ave de poucos centímetros de altura que terá vivido em terra, junto de lagos, num mundo dominado por dinossauros. Esta nova espécie foi agora descoberta, depois de se desenterrarem dois fósseis na China em estratos geológicos com 130,7 milhões de anos, revela um artigo publicado nesta terça-feira na revistaNature Communications.

Nessa altura, a Terra estava no inicio do Cretácico, o último período do Mesozóico, que ficou conhecido como a era dos dinossauros, mas onde as aves também surgiram. O Mesozóico iniciou-se há 252 milhões de anos e terminou há 66 milhões de anos, quando um meteorito colidiu com a Terra. Nessa colisão, muitos grupos de aves (e de outros animais, como muitos dos dinossauros) desapareceram. Mas alguns descendentes de um grande grupo de aves chamado Ornithuromorpha subsistiram na era Cenozóica e deram origem às aves modernas.

As características morfológicas do Archaeornithura meemannae, que viveu muitos milhões de anos antes daquele evento de extinção planetária, mostram que esta espécie é, até agora, o mais antigo membro dos Ornithuromorpha. Por isso, representa o antepassado mais antigo do grupo de aves que deu origem às aves modernas.

“Antes, o fóssil mais antigo dos Ornithuromorpha tinha 125 milhões de anos. Por isso, esta descoberta recua a origem dos Ornithuromorpha em, pelo menos, cinco milhões de anos”, explica ao PÚBLICO Min Wang, investigador da Academia Chinesa das Ciências, e um dos autores do estudo.

As aves terão surgido há cerca de 150 milhões de anos, ainda no período Jurássico. Pensa-se que, nos 50 milhões de anos anteriores, os dinossauros que deram origem a este grupo voador foram diminuindo de tamanho, ao mesmo tempo que foram colonizando as árvores, que até então estavam vazio. Encontram-se várias características anatómicas nas aves que não existiam antes nos dinossauros, como a fúrcula, o osso em forma de forquilha que resulta da fusão das clavículas, um esqueleto oco, membros superiores maiores, ou penas complexas que permitem voar e não são apenas ornamentos, como noutros dinossauros.

Além dos Ornithuromorpha, existiam nesta altura outros grupos de aves, como os Enantiornithes, com dentes e garras nas asas, ou os famososArchaeopteryx. Nem os Enantiornithes” nem o Archaeopteryx sobreviveram até hoje. Os fósseis da Archaeornithura meemannae foram encontrados na formação geológica de Huajiying, que contém estratos formados entre o final do Jurássico e o inicia do Cretácico, na província de Hebei, no Nordeste da China. “Os fósseis representantes dos Ornithuromorpha assemelham-se mais às aves modernas do que a outras aves do Mesozóico, como osEnantiornithes e o Archaeopteryx”, explica Min Wang.

Algumas das características morfológicas dos Ornithuromorpha estão ligadas ao voo. Estas aves tinham uma quilha (osso existente na maioria das aves que se estende a partir do externo e faz lembrar a quilha de um barco) alta e o osso sinsacro (resultante da fusão de muitas vértebras do sacro, no final da coluna vertebral) com pelo menos nove vértebras. Através de uma análise da árvore evolutiva das aves, a equipa de Min Wang descobriu que a nova espécie pertence à família Hongshanornithidae, que, além das características já descritas para os Ornithuromorpha, tem uma fúrcula em forma de “U” e as pernas mais compridas do que as asas.

Os novos fósseis não só têm um conjunto de características que levou os cientistas a criar um novo género, como mantêm a plumagem quase toda. Segundo a equipa, a forma das penas está associada a aves com grande capacidade de manobra durante o voo. Além disso, a proporção dos membros e as patas faz pensar que estas aves viviam perto de lagos.

O estudo da nova espécie mostrou ainda outro aspecto interessante sobre a evolução dos Ornithuromorpha. Apesar do Archaeornithura meemannae ser até agora o representante mais antigo deste grupo de aves, já apresentava características muito evoluídas. Segundo o artigo, este facto obriga que “a data de origem dos Ornithuromorpha seja muito anterior”. Agora, só falta descobrir esses fósseis ainda mais antigos.

fonte: Público