quarta-feira, 20 de maio de 2015

Após anos de dores, mulher descobre que é alérgica ao sémen do marido


Britânica que sentia fortes dores após ter relações sexuais foi durante anos erradamente diagnosticada com uma doença sexualmente transmissível. Uma condição que pode afetar até 12% das mulheres.

O caso é raro mas grave e surge agora em público em jeito de alerta para o facto de muitos médicos não estarem alertados para a possibilidade: Marie Cuthbertson, hoje com 50 anos, sofreu mais de dez anos de cada vez que tinha relações sexuais com o marido, Mark. Só ao fim de uma década é que descobriram que ela é alérgica ao sémen do homem que escolheu para se casar.

O problema surgiu quando ela tinha cerca de 30 anos. Após ter relações sexuais com o marido, de todas as vezes, Marie Cuthbertson sentia dores intensas e uma grave inflamação vaginal.

Consultou vários médicos de clínica geral e todos lhe disseram que se trataria de uma doença sexualmente transmissível, receitando-lhe antibióticos.

"Todos os médicos desvalorizaram a minha ideia de que estaria a ter uma reação física ao sexo", disse a britânica ao jornal Daily Mail. "Eles diziam que essas coisas não acontecem e sugeriram que o meu marido estivesse a ser infiel - o que é insultuoso para ambos".

Os antibióticos que os clínicos receitaram a Marie não fizeram qualquer efeito e o casal adaptou-se como pôde - chegaram a ter um filho. Mas o sofrimento continuou.

"A inflamação [vaginal] só atingia o ponto máximo horas após [o ato sexual]. Por isso eu tinha a certeza de que não se tratava de uma simples infeção", prossegue a mulher.

Até que, há cerca de dez anos, um clínico geral a encaminhou para uma clínica ginecológica, onde finalmente lhe fizeram o diagnóstico correto: Marie é alérgica ao sémen do marido e só consegue evitar a reação alérgica utilizando preservativos.

Esta é uma condição rara, mas mais frequente do que talvez se possa pensar: segundo especialistas ouvidos pelo Mail, uma em cada dez mulheres pode ter esse problema - e poderá não o ter diagnosticado.

E não são as únicas: o também britânico Express refere um estudo científico holandês que identificou 45 homens com reações alérgicas ao seu próprio sémen, sentindo com fortes dores e sintomas semelhantes aos da gripo de cada vez que ejaculam.