quarta-feira, 13 de maio de 2015

Buscas pelo MH370 descobrem navio desconhecido afundado no Índico

Um dos navios australianos da equipa de buscas

Um dos navios australianos da equipa de buscas Fotografia © REUTERS

An image of a previously uncharted shipwreck found whilst searching for missing Malaysia Airlines Flight MH370

An image of a previously uncharted shipwreck found whilst searching for missing Malaysia Airlines Flight MH370

Australian Defence Vessel Ocean Shield crew move a search vehicle into position in the hunt for MH370 (14 April 2014)

Do avião da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de um ano, nem sinal. Mas os equipamentos sofisticados dos investigadores permitiram até encontrar os destroços de um navio afundado no século XIX.

O avião da Malaysia Airlines que desapareceu a 8 de março de 2014, quando fazia a ligação entre Kuala Lumpur, na Malásia, e Pequim, na China, continua sem ser detetado. Mas as buscas pelo voo MH370, cujo desaparecimento já foi considerado um dos maiores mistérios da aviação até aos dias de hoje, prosseguem, numa tentativa de localizar pelo menos os corpos das 239 pessoas que seguiam a bordo.

As autoridades concordaram entretanto em duplicar a área das buscas, de aproximadamente 60 mil quilómetros quadrados, caso nada seja encontrado nas próximas semanas. A atual missão, no oceano Índico, deverá ficar concluída neste mês de maio e todas as pesquisas se revelaram infrutíferas até agora: do avião, nem sinal. Mas os investigadores conseguiram fazer uma descoberta fascinante: enquanto procuravam o aparelho no fundo do mar, detetaram o que resta de um navio de carga do século XIX, do qual não existe qualquer relato ou informação conhecida.

Peter Foley, o líder da equipa de buscas, considerou o achado impressionante, mas não deixou de sublinhar: "não é o que procuramos". Ainda assim, se o navio foi descoberto, também o avião da Malasya Airlines será encontrado caso tenha caído nas águas do Índico, garantiu o investigador à BBC. As equipas de busca estão focadas, de momento, numa área do oceano na costa oeste da Austrália, onde acreditam que o avião se terá despenhado.

O navio desconhecido foi localizado com o sonar, que detetou um amontoado de objetos a quase quatro quilómetros de profundidade. As equipas suspeitaram que não se tratava do avião mas, ainda assim, recorreram a uma câmara subaquática para investigar. "Obviamente, estamos desapontados que não se trate do avião", lamentou Foley, da Agência Australiana para a Segurança nos Transportes. "Este acontecimento demonstrou que os sistemas, as pessoas e o equipamento envolvidos nas buscas estão a funcionar bem. Mostrou que se houver destroços na área de buscas, vamos encontrá-los".

Segundo Michael McCarthy, arqueólogo marinho de um museu australiano, os destroços encontrados, entre os quais se inclui até a âncora, pertencem a um cargueiro que como muitos outros ter-se-á afundado a meio da travessia do oceano Índico. "Existem muitas histórias de navios que se afundaram a meio da viagem no Índico e é difícil dizer qual destes é, a não ser que tivéssemos um catálogo de todos os que se perderam", disse à AP.