quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

A visão neolítica de uma erupção vulcânica


O mural com a pintura Fotografia © DR

Geólogos reforçam tese sobre um mural com uma estranha pintura com 6600 anos descoberto em Çatalhöyük, na Turquia

Desde que foi encontrado, nos anos 60 do século XX, em Çatalhöyük, na Turquia, o mural do neolítico intrigou os cientistas. Uma ousada interpretação do arqueólogo que desenterrou a rocha com a estranha pintura propôs que se trataria da representação de uma erupção vulcânica. No caso, do vulcão que se vê dali, no horizonte, a cerca de cem quilómetros de distância, o Hasan Dagi, com os seus dois cones e a cidade a seus pés.

A ideia, porém, foi acolhida com ceticismo na comunidade científica e nunca inteiramente aceite. Uma outra tese, proposta por uma arqueóloga da Universidade de Cambridge, Stephanie Meece, adiantava que se trataria antes de uma pele de leopardo vista de cima. Afinal, defendia ela, o padrão da pele do leopardo é algo vulgar na arte pictórica da região.

O debate instalou-se, mas agora um grupo de geólogos descobriu que aquele vulcão teve mesmo uma erupção há 6600 anos.