quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Túmulo com mais de 3700 anos é do faraó Senebkay

 

Cientistas não conheciam faraó descoberto no Egito




Arqueólogos norte-americanos encontraram o túmulo de um faraó que reinou no Egito há cerca de 3700 anos, e cujo nome era, até aqui, desconhecido, anunciou hoje o ministério das Antiguidades egípcio.

A equipa norte-americana da universidade da Pensilvânia descobriu o túmulo do faraó Senebkay no local arqueológico de Abydos, na província de Sohag, no sul do país, indicou o ministro Mohamed Ibrahim, em comunicado.

O chefe do departamento das Antiguidades Faraónicas do ministério egípcio, Ali el-Asfar, disse à agência noticiosa francesa AFP que pergaminhos reais com o nome completo do faraó foram encontrados no sarcófago e numa parede do túmulo, de teto em madeira, uma descoberta inédita.

Alguns hieróglifos do nome figuravam no "Papiro de Turim", um documento com mais de três mil anos em que estão inscritos os nomes de cerca de 300 faraós, explicou.

Os arqueólogos encontraram também o esqueleto do faraó, com um comprimento de 1,85 metros, acrescentou o comunicado.

Recetáculos funerários destinados a receber os órgãos dos corpos mumificados foram encontrados, mas não elementos de mobiliário funerário, o que indica que o túmulo foi alvo de pilhagens durante a era faraónica.

No início de janeiro, o Egito tinha anunciado que a equipa da universidade da Pensilvânia identificou um túmulo com 3.800 anos de idade.