sábado, 19 de agosto de 2017

Cientistas russos experimentam máquina do tempo no espaço

As capsulas espaciais de Soyuz e Progress, acopladas à EEI. Essa foto foi tirada pelos membros da tripulação da Estação Espacial Internacional

Os especialistas russos lançaram para o espaço um relógio atómico com base em hidrogénio para comprovar a teoria que o tempo não é estático no espaço.

Assim, de acordo com a sua versão, o tempo na Estação Espacial Internacional está passando mais rapidamente do que fora dela.

Os apoiantes da teoria afirmam que ao nos afastarmos do nosso planeta, o tempo passa mais rapidamente. Por outro lado, junto a objetos grandes ele é mais lento, por exemplo, ele é praticamente estático perto dos buracos negros.

Os astrofísicos acreditam que a gravitação e a energia escura influenciam o tempo, e é a energia escura que faz o Universo se expandir, comunica o Gazetadaily.ru.

Se os especialistas puderem provar que o tempo é uma grandeza física e não abstrata, este material podia ser utilizado para a construção de novos motores espaciais.

Anteriormente, os especialistas norte-americanos anunciaram a existência de portais espaciais que permitem efetuar deslocações no tempo.

Os especialistas da NASA afirmam que tais portais, que surgiram só há alguns anos, podem permitir efetuar deslocações no espaço.

fonte: Sputnik News