quinta-feira, 7 de maio de 2015

Mapa mostra onde estão 8500 hectares de milho transgénico cultivados em Portugal


Foram precisas cinco ações em tribunal para a plataforma Transgénicos Fora ter acesso aos dados completos de 2005 até 2014, recolhidos pelo Ministério da Agricultura.

Pela primeira vez é possível conhecer localizações dos campos onde se cultiva milho transgénico em Portugal. São mais de 8500 hectares, divididas por áreas relativamente pequenas no Alentejo, Ribatejo e região Oeste, segundo um mapa divulgado esta quinta-feira pelo grupo Transgénicos Fora.

De acordo com o grupo, foram precisas cinco ações em tribunal para ter acesso aos dados completos de 2005 até 2014, recolhidos pelo Ministério da Agricultura.


Na página Transgénicos Fora é possível ver os mapas de 2013 e 2014 e aprofundar a informação até ao nível do concelho, com informação sobre as áreas cultivadas e os respetivos agricultores e empresas. Segundo os dados de 2014, a maior área foi cultivada pela Conqueiros Invest: 256 hectares no concelho de Santiago do Cacém. Mas há também muitas plantações com menos de 20 hectares - aliás, a grande maioria das explorações têm menos de 50 ha.

O grupo, que agrega várias associações ambientalistas e de agricultura biológica, argumenta que conhecer esta informação é fundamental "para a deteção precoce de eventuais problemas", na saúde dos ecossistemas e até das populações, razão pela qual a legislação europeia e nacional prevê a sua divulgação.

Na União Europeia há apenas um tipo de milho transgénico cujo cultivo é permitido - um tipo modificado geneticamente para resistir à praga da broca (MON810), produzido pela gigante Monsanto, que é usado em Espanha e Portugal.

A introdução de organismos geneticamente modificados é avaliada pela Agência Europeia de Segurança Alimentar e aprovada (ou não) pela Comissão Europeia.