quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Estrela alienígena invadiu sistema solar


Ilustração mostra a estrela de Scholz e sua companheira, com o sol ao fundo (à esquerda)Fotografia © Michael Osaciw/University of Rochester

A estrela de Scholz andou pelos limites do sistema solar e esteve cinco vezes mais perto do Sol do que a nossa vizinha mais próxima.

Uma estrela alienígena passou pelo nosso sistema solar... há 70 mil anos. Segundo uma internacional equipa de astrónomos, a estrela esteve cinco vezes mais perto do que a nossa vizinha mais próxima, do sistema triplo Alpha Centauri.

A anã vermelha, conhecida como estrela de Scholz, andou pelos limites do sistema solar, na nuvem de Oort, tendo por companheira uma anã castanha, ou seja, uma estrela falhada.

A descoberta foi revelada num artigo publicado no Astrophysical Journal Letters, por uma equipa liderada por Eric Mamajek, da Universidade de Rochester, Nova Iorque, com astrónomos europeus, do Chile e da África do Sul.

A equipa calculou a trajetória passada de um objeto descoberto em 2013, a estrela de Scholz, e diz poder afirmar com uma segurança de 98% que esta viajou pela região exterior da nuvem de Oort, a apenas 0,8% anos-luz do Sol - Proxima Centauri (do sistema Alpha Centauri) está a 4,2 anos.

A nuvem de Oort é a região de onde vêm os cometas de longo período, como o Lovejoy ou o Halley, que atravessam o sistema solar em viagens de milhares de anos.

A probabilidade de a estrela ter penetrado nas regiões interiores da nuvem, por outro lado, é muito menor. A equipa simulou 10 mil órbitas possíveis para a estrela, tendo em conta a posição atual, distância e velocidade, e ainda o campo gravitacional da Via Láctea. Em 98% destas 10 simulações o objeto passou na nuvem de Oort, mas apenas numa passou na região interior.

Assim, os astrónomos dizem que a sua passagem teve um impacto reduzido no fluxo dos cometas.

Atualmente a WISE J072003.20-084651.2 - ou estrela de Scholz, em honra do astrónomo alemão Ralf-Dieter Scholz - é uma anã vermelha que está a 20 anos-luz, na constelação de Unicórnio, com 8% da massa do Sol. Mas há 70 mil, durante breves períodos, minutos ou horas, pode ter sido visível a olho nu pelos nossos antepassados.