quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

As galáxias podem desaparecer mais cedo do que se pensava


Um estudo pioneiro diz que algumas têm menos mil milhões de anos de vida, o que é pouco segundo os astrofísicos

As galáxias podem morrer mais cedo porque o gás que precisam para criar novas estrelas está a ser ejectado. A conclusão é de um estudo da University of Western Australia, agora apresentado. 

Os investigadores responsáveis pela pesquisa dizem que há dois tipos de galáxias: as galáxias azuis que ainda criam estrelas activamente e as galáxias vermelhas que pararam de crescer. A maioria passa de azul a vermelho dois mil milhões de anos depois, mas algumas transições estão a ocorrer em menos de mil milhões de anos, o que é considerado precoce em termos cosmológicos. 

Nestes casos, os especialistas descobriram que as galáxias em fim de vida expeliram a maioria do seu gás.

"Uma das hipóteses é que esse gás se esteja a perder no buraco negro", diz o astrofísico Ivy Wong. 

fonte: Sábado